Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Se o título desse artigo chamou sua atenção, tenho certeza que encarar o espelho é – ou já foi – uma tortura pra você, como já foi pra mim. Tá, não era uma tortuuuura, mas tinha sempre aquele pensamento se eu fosse mais magra…

A gente olha para a imagem refletida e não gosta do que vê. Tudo o que consegue pensar é: “Preciso emagrecer. Olha essas celulites. Meu Deus, o tamanho dessa barriga!”. Abre o armário, prova mil combinações e não se sente bonita com nenhuma delas. Acaba escolhendo qualquer roupa, aposta numa roupa mais básica pensando nas roupas que vai poder usar quando emagrecer, e muitas vezes até deixa de ir a lugares ou eventos que gostaria muito de ir, por vergonha da própria aparência.

E assim passam-se os dias, os meses, os anos… e assim A VIDA passa. E você se privou de viver.

É hora de mudar isso. Agora. Pra já!

se sentir bem - 1

– Mas como, Ligia?!

Identificando a raiz do problema

Em um de seus best-sellers, a expert em Alimentação Consciente Geneen Roth (com quem eu tive o prazer de me encontrar em 2016 para uma semana de curso nos EUA) fala de episódios que ela chama de “fat-and-ugly attack” – algo como “ataque feia-e-gorda”, em português. Vamos chamá-lo aqui de “ataque da mente”. Basicamente, é o ato de dirigir para si mesma e para a própria imagem refletida no espelho as insatisfações que, na verdade, estão localizadas do lado de dentro, ou ainda, são apenas consequência de fatos desagradáveis que ocorreram, fatos de vida mesmo.

Eu já tive váááários desses e não me dava conta. A maioria das minhas alunas já teve vários desses. Provavelmente, você também. Depois de uma briga qualquer, de um dia duro no trabalho ou de qualquer outra frustração, vem a sensação – muitas vezes, revestida de certeza absoluta: “Eu sou inútil, incapaz, fora do padrão aceitável, feia, gorda, indigna de amor…” , e por aí vai. Esse é o momento crítico do seu dia, e a forma como você reage a ele definirá o rumo do seu estado emocional, dos seus dias e, consequentemente, da sua vida. O “ataque da mente” nada mais é do que uma armadilha colocada pelo seu crítico interno pra desviar sua atenção das verdadeiras causas do seu sofrimento, que em geral não têm NADA a ver com o seu corpo ou sua aparência.

Lígia, o que fazer diante de um ataque da mente?

Assim que perceber que está no meio de um “ataque da mente”, você precisa respirar fundo e tomar duas medidas urgentes.

  • A primeira delas é: mande seu crítico interno calar a boca! Por mais estranha que possa parecer essa afirmação, você não é os seus pensamentos. Essa voz que te fala coisas desagradáveis e faz você se sentir mal consigo mesma NÃO é você. Ela é apenas uma parte do seu pensamento que reproduz sem questionar todos aqueles discursos que um dia nossos pais, a mídia, as crenças, a sociedade ou o senso comum nos fizeram engolir sem ao menos refletir a respeito. Calar a voz do crítico interno é se assumir consciente de que existem as “verdades impostas” e a sua verdade. E que é a sua verdade que importa.
  • A segunda medida urgente é uma dica muito preciosa, que mudou a minha vida e a vida de muitas pessoas: comece a agir “como se”. “Como se” você já se sentisse a pessoa mais importante, merecedora, linda, valorosa, e inteligente da sua vida. “Como se” você não tivesse nenhum problema com peso ou com comida. “Como se” você tivesse a aparência e corpo dos seus sonhos.

Como fazer isso? Pergunte para si mesma o que você faria de diferente caso já tivesse “chegado lá”. Quais coisas você se permitiria fazer/viver/comer/experimentar/vestir? Então, faça hoje mesmo. É mudando seus hábitos que você muda a sua vida.

A seguir, vou te mostrar 4 passos passar a agir “como se” você já tivesse a imagem dos seus sonhos e passar se sentir bem consigo mesma!

O que você pode fazer agora mesmo para se sentir bem com seu peso:

se sentir bem - 2

1) Quebre, jogue fora, doe, venda. Mas livre-se da sua balança!

Eu já cheguei a me pesar de três a quatro vezes ao dia, e a alegria que eu sentia ao ver 300g a menos logo mais se transformaria num suplício com o aumento de 500g. O hábito de se pesar mina a nossa autoestima. Vira um vício. O que muitas vezes nós ignoramos com essa prática é que nosso corpo tem oscilações de peso que dependem de uma série de fatores: retenção de líquido, prisão de ventre, horário do dia, ciclo menstrual, imunidade corporal, nível de massa muscular, dentre outros.

Isso significa que, por si só, esse número não quer dizer absolutamente nada. Logo, não vale a pena deixar que um dado tão impreciso e irrelevante seja capaz de estragar seu dia. E acredite, o exercício de aposentar a balança é libertador. Muitas das minhas alunas relatam como foram seus rituais de se livrar da balança e é unânime a sensação de libertação e leveza que a prática trouxe.

2) Organize seu armário e livre-se do que não te faz feliz

Quantas de nós não temos guardado lááá no fundo do guarda-roupas aquele jeans que está apertado há tempos, mas que insistimos em manter ali como uma forma de motivação? Ou aquela roupa que você nem gosta, mas é o que serve e você “só vai comprar roupa quando emagrecer”. Por que insistir em mantê-la se ela não faz você se sentir bonita? Por essas e outras razões, não raras vezes é diante do armário que muitos “ataques da mente” começam. Mude isso hoje mesmo.

Jogue fora roupas que não representam quem você quer ser. Doe as roupas que HOJE não te servem mais e mantenha apenas o que te veste bem e principalmente o que faz você se sentir confortável. Se puder, compre peças-chave e que valorizem o seu corpo. Faça reformas e novas combinações com o que você já tem. Invista em cores, estampas e acessórios, caso seja do seu estilo. Mantenha suas peças bem organizadas e visíveis. Trate suas roupas com todo o amor que você merece. Você perceberá a diferença.

se sentir bem - 4

3) Cuide da sua aparência (pele, unhas, cabelo, maquiagem…)

Quando a gente se sente feia/gorda/não merecedora/etc, a tendência é que abandonemos outras práticas de autocuidado que antes faziam parte da nossa rotina. E, claro, isso faz com que a sensação ruim só aumente. Resgate hoje mesmo os hábitos de autocuidado que já fizeram parte da sua vida e te faziam bem. Ou comece uma prática nova hoje mesmo – pode ser a que você quiser e se encaixar no seu estilo: Faça as unhas. Hidrate os cabelos. Caminhe no parque ou no shopping. Tome um banho relaxado e cuide da sua pele. Durma mais cedo. Volte (ou comece) a usar maquiagem. Use aquele perfume que você só guarda pra ocasiões especiais – e que você nunca considera nenhuma ocasião especial o suficiente. O que importa é que você, de alguma forma, demonstre amor pelo seu corpo. Ele certamente retribuirá.

4) Faça algo novo, que você sempre quis fazer

Eu já deixei de fazer muita coisa que eu queria, esperando para quando eu fosse magra. Já adiei muitos projetos porque não me via na “silhueta” dos meus sonhos. Até que um dia eu me cansei de esperar o emagrecimento para começar a ser feliz… e a mágica aconteceu!

Hoje eu te convido a liderar sua própria revolução. O que você sempre sonhou fazer mas nunca se permitiu? Dançar, tirar fotos, tocar um instrumento, desenhar, escrever, criar um blog, conhecer um lugar novo, cozinhar, costurar, consertar ou decorar, desfilar numa passarela, usar um biquíni, um batom vermelho… Quanta coisa! Descubra o que te faria se sentir incrível e mãos à obra! Você pode, e pode hoje!

Eu criei um projeto que já ajudou milhares de mulheres em todo o Brasil a transformarem sua relação com o corpo, com a comida e com suas vidas. Acesse as redes sociais do Não é Dieta, é VIDA pelo Instagram, Facebook e Youtube, ou entre em contato comigo por aqui, e receba diariamente conteúdo gratuito pra te inspirar a começar hoje mesmo sua própria revolução!

E se você gostou desse artigo, não se esqueça de compartilhar com suas amigas!

se sentir bem - 3

Imagem: Freepik


Afora que você já sabe como se sentir bem com seu peso e imagem, responda a pergunta abaixo e ajude alguém!

@ load more