Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Equilibrando seus hormônios, claro! E sim, isso é extremamente possível! Vamos de sinceridade? Vamos: muitas mulheres odeiam a menstruação, o ciclo menstrual e por aí vai. E eu não as culpo. Só a TPM, junto com suas alterações do humor, ansiedade, dores de cabeça, sintomas gastrointestinais (pois é), seios sensíveis e fadiga já justificam TODO o nosso desespero.

Só que, quando a gente para pra pensar, uma dúvida muito comum surge: quem, ou o quê, é o culpado por toda essa experiência mensal macabra? O passeio de montanha russa que os hormônios do nosso corpo merecem ter! Acontece que a TPM, em muitas mulheres, está associada ao aumento brusco de estrogênio (hormônio relacionado à ovulação e características femininas corporais como seios, cintura fina etc) e queda de progesterona (ligado à manutenção da gravidez).

Aí, que que rola com o nosso corpitcho no meio desses altos e baixos: o estrogênio faz com que o revestimento do útero cresça um pouco. Ou seja: quanto maior o seu estrogênio, mais espesso o útero fica, e mais você sangra durante a menstruação.

Conclusão

Para uma menstruação tranquila, o ideal é ter um bom equilíbrio de estrogênios e progesterona, e não o que normalmente acontece (ter o estrogênio como dominante e a progesterona em queda).

Se a gente dividir um ciclo menstrual padrão de 28 dias em quatro semanas, sendo a primeira a do sangramento, a maioria das minas se sente pior na quarta semana, a época da TPM, certo? Isso rola, provavelmente, por causa da QUEDA de progesterona. E aí, minha amiga, com isso, vêm as flutuações e variações de humor, as dores de cabeça e outros sintomas.

Mas e se eu te contasse que essa semana fatídica não precisa ser tão terrivelmente desagradável? Pois é. O segredo está em adotar soluções naturebas para reduzir os altos níveis de estrogênio e aumentar a progesterona, melhorando, assim, os sintomas da tpm, menstruação e afins! Bora lá?

Como tornar a menstruação mais tranquila?

1. Adapte sua dieta ao momento

menstruação

Acredite ou não, mas alguns alimentos podem aumentar seus níveis de estrogênio. E essa é a má notícia.

A boa notícia é que, se o seu objetivo for manter o estrogênio baixo, evitar esses alimentos pode te ajudar a realizar o sonho de princesa de ter uma menstruação tranquila. Pra fazer isso acontecer, então, você precisa:

  • Evitar carne de animais que receberam hormônios;
  • Priorizar, o máximo que puder, os alimentos orgânicos;
  • Reduzir o consumo de produtos de soja, como o tofu, carne etc.
  • Reduza o consumo de sementes de linhaça, gergelim e feijões;
  • Aumentar a ingestão de alimentos que dão um boost na progesterona, como inhame e peixes oleosos (sardinha, salmão etc).

É interessante, também, considerar uma dieta antiinflamatória. Ou seja: evitar alimentos para os quais você pode ser sensível e algumas outras adaptações como:

  • Aumentar o consumo de vegetais crucíferos (rúcula, brócolis, couve-flor, rabanete, agrião etc);
  • Evitar a cafeína, que só nos rouba nutrientes como o magnésio, que pode ajudar com as cólicas;
  • Equilibrar o açúcar no sangue, começando o dia com gorduras e proteínas saudáveis (ovos, castanhas, abacate etc).

2. Reduza o estresse

menstruação

O estrogênio e a progesterona, além de serem produzidos por nossos órgãos sexuais, também estão presentes em nossas glândulas supra-renais. Traduzindo: isso significa que o estresse é o maior sequestrador de hormônios do seu corpitcho. Basicamente, quanto mais estresse você estiver, menos suas glândulas supra-renais podem ajudar na produção desses hormônios, sacou?

Então, que tal considerar algumas mudanças no seu estilo de vida? Estabeleça limites saudáveis, aprenda a dizer ‘não’, pratique a meditação, treine as práticas de respiração profunda, apoie-se na aromaterapia, faça ioga etc. Tudo o que ajudar a reduzir o estresse será muito bem-vindo!

3. Por fim, considere uma suplementação

menstruação

Muitas de nós somos, infelizmente, nutricionalmente deficientes. Acontece que, atualmente, a maioria dos nossos alimentos não é tão densa, do ponto de vista nutricional, como eram antes. Além disso, exercícios, estresse, cafeína e álcool costumam roubar nutrientes essenciais para uma boa produção de hormônios.

O mineral magnésio, por exemplo, é excelente para reduzir cólicas menstruais, auxiliar no sono, reduzir dores de cabeça e até mesmo aumentando o humor. Também é um complemento para produção de progesterona e neurotransmissores do humor, como a serotonina.

As vitaminas também são muito importantes para as glândulas supra-renais e para dar uma sustentada na energia durante essa época do mês. As vitaminas B, especificamente, ajudam o fígado a quebrar os níveis de estrogênio e, assim, manter o equilíbrio hormonal. Além disso, elas também são importantes para a produção de serotonina.

Por fim, o ômega-3, como o óleo de peixe, é um excelente anti-inflamatório que pode ajudar a reduzir as cólicas menstruais e o sangramento intenso.

Algumas culturas usaram ervas durante séculos e mais séculos para dar conta desse equilíbrio hormonal, sabe? Ervas adaptogênicas (como a Ashwagandha e o ginseng asiático) ajudam o corpo a se adaptar ao estresse. Os benefícios da Ashwagandha são importantes para a memória, humor, energia e resistência, e também ajuda a melhorar os níveis de cortisol e tireóide. O ginseng pode ajudar com a memória, resistência e energia.

Porém, é importante demais lembrar que o melhor a se fazer é procurar uma especialista em medicina funcional ou hormonal ao considerar esses tipos de suplementação. Só elas poderão te ajudar a encontrar os nutrientes necessários para o SEU organismo e, é claro, suas dosagens.

E se joga!

Depois vem aqui contar pra gente se deu tudo certinho!

Imagem: Reprodução / Instagram


E o que você responderia a essa pergunta logo abaixo, feita por uma de nossas usuárias do Clube Superela?

@ load more