Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Vou contar como conheci meu marido na internet, num verdadeiro processo seletivo para namorado. É podem me chamar de doida, mas funcionou! Essa não é a minha praia, falar de amor e tal, mas lendo o Clube Superela, fiquei com vontade de contar a minha história. Quem sabe ela pode ajudar algumas supers.

Eu estava divorciada haviam quatro anos e queria muito encontrar um namorado. Mas como conhecer caras legais se eu mal tinha tempo para mim. Com uma jornada de trabalho super pesada, estudo (não podemos parar nunca), família, academia e cuidar da casa, não sobrava tempo e nem disposição para sair à noite. Sair para paquerar e conhecer pretendentes era algo que me desanimava.

Estava eu um dia trabalhando e fazendo o planejamento de crescimento dos times de tecnologia na empresa. Eu usava para os recrutamentos, os bancos de currículos de empresas de mercado, e era bem difícil conseguir bons currículos para as vagas abertas. Depois tínhamos o processo de ler e selecionar os que estavam aderentes ao que pedíamos.

Separado os currículos, íamos para as entrevistas. De dez candidatos as vezes conseguíamos um para as vagas. Para acelerar alguns processos eu lançava mão da minha rede de contatos para conseguir algumas indicações. Com a contratação eu pedia aos gestores que aplicassem um teste comportamental para balizar o time.

Conto esse processo para vocês, pois foi a partir dessa rotina, que me veio a ideia de abrir um processo seletivo para namorado. Se numa empresa para preencher uma vaga era preciso se debruçar em pilhas de currículos. Imagina sair para conhecer um pretendente, eu ficaria velhinha e não teria encontrado. Rsrs

Como uni pelo menos uns dez casais, inclusive o meu irmão, sei que não é fácil o “match”. Dois anos antes estava com uma colega coach fazendo um trabalho de formação, no qual propus a ela um coaching de relacionamento para mim. Lógico que ela ficou muito reticente em relação ao processo, tentou mudar meu objetivo, mas bati o pé que eu queria um namorado.

marido na internet 2

Na época em questão colocamos como evidência sair com o carinha por três vezes e assim concluir o relatório do processo (rsrs). Foi super bem-sucedido. Usamos alguns testes comportamentais para ajudar no mapeamento do perfil e tudo mais. Mas eu não me senti pronta para entrar em um relacionamento sério e me sabotei. Sabia que não era ainda o momento.

Alguns clientes que souberam do processo de coaching de relacionamento, me contrataram para mapear seus cônjuges. Teve um que pediu de presente do dia dos namorados um mapeamento desses para a noiva. Ele queria pedir ela em casamento, mas antes queria ter certeza de que era o momento. Em um ano foram 5 casais fazendo mapeamento de perfil. É confesso, tenho um lado casamenteira e romântica.

Bem voltando a minha ideia… ela tinha lógica, pois quando escolhia os profissionais para as nossas equipes, fazia excelentes escolhas. Como eu poderia errar ao fazer o mesmo para o meu novo namorado?! Era preciso manter o processo o mais racional possível. Por conta disso, sentei um final de semana e montei o meu próprio processo de coaching. Yes, I can!

Um processo tão racional, que gerou muitas risadas dos colegas com quem compartilhei a ideia. Mas eu não ligo para o que dizem (não mesmo) e tinha todo o plano nas mãos, testes comportamentais e até escolhi a ferramenta para capturar os “currículos” dos pretendentes. Era hora de começar. Vamos lá?!

Os passos para encontrar marido na internet

Passo 1

Antes de mais nada, defini o que chamam de Persona. Ou seja, o perfil do meu pretendente. Formação, idade, localidade, etc. E vou ser muito sincera, não tem nada errado em fazer exigência no que você quer. Afinal se der certo essa será a pessoa que vai conviver com você e sua família. Você quer realmente a companhia de alguém ruim ao seu lado? Então foco aqui, esse é o ponto chave de tudo. Usem o cérebro meninas.

Passo 2

Abri um perfil adequado ao tipo de persona que defini. Aqui pedi ajuda de uns amigos para escolher pseudônimo, frases, etc. Sim, ajuda é sempre bem-vinda, especialmente na hora de escolher as fotos. Ata! Biquinhos, boquinhas e carinhas de débil, nem pensar. Desculpe a sinceridade, mas foto de biquinho nem de criança eu curto. Isso também valeu para desclassificar alguns perfis. Sim aparência conta e muito no amor, ou você come aquele prato com aparência ruim? Eu prefiro ficar sem comer, sinceramente. Por carência não abra mão da aparência não. Digo isso, porque a aparência é algo pessoal, tem que ser atrativo para você e não para suas amigas.

Passo 3

Esperar os pretendentes e selecionar. E foram 400 (sim, qua-tro-cen-tos!) pretendentes em um mês de cadastro. Desses 400, 80 (oitenta) conseguiram mandar mais do que um oi, ou um convite para sexo… Infelizmente a rede tem vários assim. Eu escolhi uma ferramenta que quem manda são as mulheres. Mas mesmo assim me deparei com gordinhos enviando nudes, caras que escreviam muita baixaria, enfim tem de tudo. Acho que o mais engraçado foram os que tentavam me converter as suas crenças. E lógico, você tem que cortar sem pena. Desclassifica e te livra logo.

marido na internet 4

Eu recebi a foto de um pinto.

Passo 4

Dos oitenta caras, 10 (dez) me prenderam com um papo gostoso, envolvente e de bom nível. Sim, sou formada com duas pós-graduações, professora de pós-graduação e não queria um cara que não soubesse conversar ou falasse errado. Afinal é a minha vida e tenho o direito de querer o melhor para mim. Nada de abrir exceção com caras que não estejam no perfil, entenderam né?! Foi aqui que começaram a fase da entrevista. Sim eu perguntei muito, mas muito mesmo, sobre tudo. Filhos, amor, sexo, graduação, trabalho, sonhos, planos, hobby. Sabe as perguntas de entrevista de emprego? Eu adaptei elas para o papo pelo chat e fui fazendo de forma bem natural, mas seguindo o roteiro.

Passo 5

Dos dez, escolhi os 3 (três) melhores para conhecer pessoalmente. Um foi desclassificado por ter dado crise de ciúmes quando falei que existiam mais dois concorrendo ao posto (rsrs). É mulherada linda, o machismo ainda impera! Mas não estou nem aí para ele e segui em frente. Outro não tinha agenda que batia com a minha. Ou ele estava viajando ou a caminho! E queria que eu fosse até onde ele estava. Jura! Nunca tinha visto a criatura e não seria no primeiro encontro que eu iria até ele. Não me entendam mal supers, mas eu queria um cara que me valorizasse, me colocasse em destaque e ele queria que eu fosse até ele, nem pensar! Não sou contra ir atrás de quem você ama. Já fiz isso antes, mas eu decidi que não queria mais e esse é um direito meu. Sem julgar ninguém que vai ou fica, a questão é basicamente definir e manter o foco do que se deseja. Então acabei desclassificando ele numa boa mesmo. O terceiro me propôs 3 (três) encontros como amigos, nada de beijar ou algo mais, sem ter certeza. Eu gostei dele e da proposta, que repliquei aos demais e incorporei ao processo. Mas vocês pensam que acabou? Agora é que começa! rsrs

Passo 6

Eu dei de presente aos meus pretendentes um teste comportamental completo (para quem conhece o processo usei um modelo baseado no DISC). Com isso eu além da primeira impressão do papo tinha em mãos uma ferramenta profissional para definir o que mais tinha a ver com o perfil que eu queria. Há 2 (dois) anos que estou com o meu namorado. Casamos em 2015 e ele é um super companheiro. Tem um bom papo, super educado e muito, mas muito meu amigo. Aceitou o processo numa boa, ri quando eu conto a história, mas entende o que me levou a essa decisão. Fazer os pretendentes passarem pelo processo me ajudou muito também. Pois você também passa por um aprendizado de autoconhecimento e de validação dos seus valores pessoais. Ao enxergar o outro e saber o que se deseja, você faz internamente uma ponte ao futuro. De como seria a relação em diversas situações e pode construir cenários para suas conversas.

A decisão de estar com alguém, é em si só um exercício de aprendizado, de doação e de construção. Por isso fazer isso de forma racional, sem o coração opinando é importante. Não é fácil, pois requer maturidade e serenidade para dizer não e escolher a pessoa certa.

Agora é a sua vez

Eu gosto muito de mim e adoro a minha companhia, mas decidi não estar sozinha e compartilhar minha vida com alguém. Eu já tinha errado antes e não queria mais errar. Divórcio é muito doloroso, ter de desconstruir toda uma relação leva tempo. Usei todos os recursos tecnológicos e ferramentas de coaching que eu conhecia para acertar.

marido na internet 4

Eu estou sempre solteira

Outro dia alguém me perguntou, mas Rê (meus amigos me chamam assim) só tem dois anos e se amanhã acabar. Ora, ora amigas, é como diz o poeta “que seja imortal enquanto dure”. Mas já deu certo esses dois anos, pois há companheirismo, amizade e bons momentos para contar aos amigos e familiares.

Há mais motivos de riso do que de choro. Mais cumplicidade do que competição. E principalmente muito mais amor do que indiferença. Se um dia acabar, o saldo ainda será positivo. Apenas iremos traçar caminhos separados. Mas por enquanto quero reforçar que nenhum dos dois pensa em caminhar sozinho não. Ops!!! Afasta esse olho daqui migas!

Olhando o que escrevi parece fácil, mas o grande segredo do processo todo, foi eu estar pronta para dar esse passo. Definir bem o que eu queria, como eu queria e principalmente planejar de forma estratégica. Eu não divulgo mais os processos de coaching de relacionamento, pois acabava tendo de trabalhar em coaching de vida, que eu não curto muito.

Mas com a crise quem sabe não vira um pacote comercial de novo!? (rsrs) Mas o que me inspirou mesmo a escrever sobre o assunto, é que eu vejo tantas mulheres lindas, talentosas e inteligentes por aí sofrendo por quem não merece (e muitas no Clube Superela). Mulherada acoooorrrrrdddddaaaaa!!! Nós é quem damos as cartas no jogo do amor.

Para de ficar deprimida por quem não te merece! Tipo levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima! Não deu certo com um, parte para outro. Aquela história de que figurinha repetida não preenche o álbum é verdade. Entenda que as desilusões vieram por culpa das expectativas criadas por você e que não foram bem definidas com o outro.

Não queira menos do que você merece e não seja menos do que o outro merece. Porque sejamos sinceras, só entre você e eu, querer um cara tudo de bom e estar um trapo não vai rolar! Teve uma amiga minha que um dia numa sessão me falou, puxa eu quero um “príncipe” para minha vida. Tive de dar a real para ela, começando com a seguinte pergunta: Amada quando você vai ser “princesa”?

Não adianta você vislumbrar um padrão de homem e não estar à altura do que você quer. Então fica aí pensando, de verdade, com muita sinceridade na alma! Você namoraria você mesmo? Apresentaria para a família? Se levaria ao altar? O quanto de problemas pessoais ou profissionais você tem carregado? Autoconhecimento é importante aqui.

De um up no visual, chama uma super amiga e comece hoje mesmo o seu plano de arrumar um namorado. Ah, por favor, mas por favor mesmo, me conta tudo… eu adoro ouvir histórias de amor. Me conta por favor a sua, ainda mais se esse artigo aqui te ajudar. Vou ficar me achando. E não esqueçam de dar muito beijo na boca e ser feliz!

marido na internet 3

Eu vou colocar a minha boca na boca dele.

Imagem: Pinterest

@ load more