Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Há muito tempo o real significado do movimento hippie se perdeu. Hoje em dia vemos muitas pessoas se auto intitulando hippies, porém são totalmente reféns do sistema capitalista, pessoas altamente materialistas. A cultura hippie se tornou simplesmente uma referência para a moda contemporânea, que se acha vintage. As calças rasgadas que eram na verdade uma crítica ao consumismo, onde os hippies tinham apenas uma ou duas calças jeans e as usavam até que elas estivessem totalmente desgastadas e surradas, hoje em dia já saem das lojas assim, com valores superiores às roupas comuns, se distanciando totalmente da essência da ideia.

Você sabe realmente o que foi o movimento hippie?

O movimento hippie surgiu nos anos de 1960, quando jovens em busca da paz, resolveram protestar e lutar contra o conservadorismo e as regras que tornavam as pessoas escravas de um sistema. Surgiu nos Estados Unidos, quando bandas famosas, como Beatles, entre muitas outras, começaram a propagar ideias hippies em suas músicas e o movimento começou a se espalhar por muitos lugares do mundo, incluindo o Brasil. O movimento de contracultura apesar de associado à rebeldia, vandalismo e libertinagem era de caráter totalmente pacífico, atraiu olhares preconceituosos de muitas pessoas porque visava questionar valores impostos para a sociedade pela cultura dominante.

Ok Sheila, todo mundo já entendeu o que foi o movimento, mas o que ele tem a ver com a espiritualidade?

Bom, essa é uma associação que eu mesma estou fazendo e quero dividir essa forma de pensar com vocês.

Se observamos a sociedade em que vivemos hoje, não é difícil perceber que estamos presos à dogmas, valores e crenças que foram impostos a nós desde que nascemos. E como estão aí desde que nascemos dificilmente vamos nos questionar se estão realmente certos, afinal se todos pensam assim, ou a grande maioria, deve estar certo mesmo.

E o que o movimento CONTRACULTURA tem a ver com isso?

Bom, vocês tem alguma dúvida de que a cultura do lugar onde o indivíduo cresce é o que formará a sua personalidade? Obviamente temos muitos outros fatores, e características da personalidade mais individuais que se formarão de diversas outras maneiras, mas o básico, como crenças religiosas, imagem do que é certo e errado, hábitos e maneiras de viver é totalmente influenciado pelo sistema politico/cultural.

E o que tem de ruim em colocar regras em uma sociedade, mostrar-lhes o que é certo e errado, oferecer ensinamentos religiosos?

O problema disso tudo é que o sistema te obriga a pensar como ele quer que você pense e mesmo que você pense de forma contrária você não tem poder de ir contra toda uma sociedade.

Vou dar como exemplo, um post que eu vi no Facebook outro dia, onde um brasileiro havia compartilhado um protesto para que os Chineses parassem de matar os cachorros para consumo, e eu então indaguei se ele era vegetariano, vegano ou algo do tipo, ele disse que não, mas que comer carne de vaca, de porco e de peixe etc. era normal, porém cachorro era inaceitável. É totalmente compreensível que ele pense assim pois o país onde ele cresceu o ensinou a comer carne desde muito cedo e também o ensinou que cachorro é um animal doméstico, o famoso pet, que deve ser tratado com amor e carinho.

Agora o que vocês acham que um indiano pensaria a respeito do nosso consumo de carne de vaca e da forma como esses animais são tratados aqui? Para eles seria inaceitável da mesma forma que achamos um absurdo os Chineses comerem cachorro, pois na Índia, a vaca é um animal sagrado. E quem vocês acham que estão certos ou errados? O brasileiro, o indiano ou o Chinês? Nenhum dos três está certo nem errado, pois não existe uma verdade absoluta e eles só estão defendendo aquilo que a cultura deles os ensinou. Mas vocês notaram como a cultura molda a forma de pensar do indivíduo a qual ele pertence?

Não haveria nada de incomodo nisso se nós tivéssemos a opção de seguir ou não tais regras se achássemos válidas…

Mas Sheila, os hippies lutavam por isso na época da ditadura, onde não havia liberdade de expressão, hoje em dia cada um pode fazer o que quiser, ninguém mais é refém do sistema.

Bom, muita coisa mudou de lá pra cá, conquistamos muitos direitos, evoluímos em muitos sentidos, mas estamos longe de nos livrarmos completamente do sistema.

Nós somos como marionetes manipuladas pelo sistema para fazer as coisas que fomos designados a fazer. Vocês percebem como em muitos aspectos nós somos todos iguais, cada sociedade age e pensa de forma totalmente similar correspondente ao que a sua cultura lhe ensinou? Nós nascemos e logo vamos para o pré onde teremos noção do que é certo e errado, depois vamos para a escola e aprendemos a matérias que o sistema dita como importantes, por fim vamos para a faculdade e escolhemos um curso, a função que seremos designados a fazer pelo resto de nossas vidas, e então passamos a trabalhar naquilo e servir ao sistema de forma suprema. Sem contar nas regras que colocam em meio a isso tudo, tem que casar, construir uma família, ter moradia fixa, conquistar bens, etc.

Todo mundo agindo da mesma forma, acordando às seis da manhã todos os dias, indo para os seus trabalhos desenvolver suas funções, ficando de 8 a 12 horas fazendo exatamente a mesma coisa, como uma máquina, chegando em casa cansado, indo dormir e no outro dia tudo se repete.

Será que todo mundo é feliz levando essa vida programada como se estivesse seguindo um manual de instruções?

E o sistema está preocupado se você está feliz? Se a sociedade está doente, frustrada, exausta, etc? Você acha que é fácil ir contra tudo isso? Você não pode simplesmente abandonar todas essas regras e viver como bem quiser poque o sistema te obriga a agir assim. Você não pode simplesmente abandonar seu emprego, sua faculdade, e fazer por exemplo como os chamados sannyasis, no hinduismo, que abandonam a sua vida materialista para viver no meio do mato, e se dedicar a sua evolução espiritual.

Você tem aluguel para pagar, você tem que estudar para ser um “cidadão de bem”. Se você se meter em uma confusão e ao tentar provar a sua inocência dizer que não tem moradia fixa, não tem emprego, não tem família e não estuda, as chances de você ser condenado são grandes, porque você não está dentro das regras do sistema.

Você tem que servir o sistema, senão você não serve para nada, se você não trabalhar ou não estudar para desenvolver uma função que gere lucro, se você é homem e for chamado para lutar correndo o risco de morrer defendendo o seu país em uma guerra e se recusar, se você é mulher e não quer casar, você não é alguém de bem.

Os hippies pregavam a paz mundial, mas eles perceberam que com as regras determinadas por cada cultura era mais provável haver guerras e caos. Pois o sistema estava sempre incentivando a disputa pelo poder, estava sempre entrando em conflito por divergências religiosas, e gerava muito preconceito e racismo uma cultura ser considerada melhor do que outra por ter mais poder econômico. Então eles resolveram ir contra a cultura e daí surgiu o movimento contracultura.

Para a espiritualidade o que impede um ser humano de alcançar a sua iluminação espiritual é o seu ego. Ego é basicamente a nossa personalidade, é como se fosse um personagem que a gente cria e acreditamos ser isso. É a junção daquilo que acreditamos que somos, das nossas crenças, da maneira como achamos que devemos agir, e por muitas vezes o ego fala tão alto e convicto dentro de nós, que suprime a voz do nosso Eu Superior, fazendo com que nos afastemos da iluminação.

Ego vem de egoísmo, que é pensar só em si, que é acreditar na separação do todo, que é acreditar que somos cada um por si só. É quando esquecemos quem realmente somos, é quando esquecemos que somos todos um, que estamos todos interligados, e que o bem de um, resultará no bem do outro. E é isso que o sistema faz, cria o nosso Ego, e nos afasta da iluminação, para que possamos ser manipulados e possamos servir ao sistema eternamente.

A nossa cultura nos faz acreditar no Deus que ela cria, nos esconde ensinamentos sagrados e distorce outros, a nossa cultura faz com que busquemos a nossa evolução através do externo, do mundo material porque sabem que nunca vamos chegar à iluminação desse modo, uma vez que essa se dá pela conexão consigo mesmo, com o Deus que tem dentro de você, com o autoconhecimento, com a auto-observação.

A nossa sociedade esconde o poder que cada um tem sobre si, e sobre tudo, porque uma vez que descobrirmos que tudo o que precisamos está dentro de nós mesmo, entenderemos que não precisamos do externo e não iremos servir a mais ninguém, e eles perderão suas marionetes de uma vez por todas. Essa é a relação do movimento hippie com a evolução espiritual.

O budismo sempre nos ensina a meditar para alcançarmos a tal iluminação. Mas me diga quem é que tem tempo e vontade de meditar, numa sociedade tão caótica, onde o tempo inteiro estamos correndo, para conquistar mais e mais coisas materiais. Onde estamos sempre preocupados com as contas, com as notas da faculdade, com a pessoa que idealizamos para nos fazer feliz, esquecendo que a única pessoa que pode nos falar feliz somos nós mesmos . Estamos sempre preocupados em conquistar um corpo perfeito, estamos sempre preocupados em vestir a roupa mais bonita, em comprar o carro mais caro, em conquistar o parceiro(a) mais disputado. Percebem como a nossa cultura nos força a buscar a nossa felicidade sempre no externo, e nos impede de parar para olhar para o nosso interior e trabalhar a nossa espiritualidade?

meditacao

Por isso vivemos em uma sociedade doente, onde as pessoas nem entendem o porquê de estarem doentes. Onde usamos de subterfúgios que só nos fazem mal para fugir da nossa realidade, como drogas, álcool, sexo em demasia e sem sentimento, compulsão alimentar, cigarro, e muitos outros vícios. Se estivéssemos todos felizes porque usaríamos de tantos subterfúgios para fugir da nossa própria realidade? Vivemos propagando o ódio, estressados, ansiosos, frustrados, acreditando que somos rivais, defendendo o seu time de futebol, matando por causa disso, defendendo o seu candidato político e idolatrando pessoas como se fossem superiores a todos os outros.  A sociedade nos ensina a sempre disputarmos uns com os outros, porque sabem que unidos somos mais fortes.

Por isso a depressão é a doença do século, por isso nossa mente não para de pensar, nós estamos sempre CHEIOS, cheios de lixo que esse sistema coloca na nossa cabeça, estamos sempre cheios de preocupação, sempre cheios de neurose e de pensamentos negativos. E quando os budistas nos dizem para meditarmos eles dizem que é preciso ESVAZIAR A MENTE. Algumas pessoas confundem esvaziar a mente, com não pensar. O que é impossível, pois pensamos em todos os momentos. Eles querem que nós esvaziemos a mente desse lixo que colocaram a vida inteira dentro de nós desde nascemos. Eles querem que nos esvaziemos das crenças limitantes, das preocupações, do personagem que criaram para nós, querem que calemos a voz do ego para entrarmos em contato com a  voz do nosso Eu Divino.

Fiquem com um trechinho da música Imagine, de John Lennon, laçada em 1971, e reflitam:

“Imagine não existir países
Não é difícil de fazer
Nada pelo que matar ou morrer
E nenhuma religião também
Imagine todas as pessoas
Vivendo a vida em paz

Você pode dizer que sou um sonhador
Mas não sou o único
Tenho a esperança de que um dia você se juntará a nós
E o mundo será como um só…”

Imagem: Marc Riboud

@ load more