Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Sempre achei que meu tempo é uma ferramenta muito importante e que deveria usá-lo ao meu favor. Estive pensando em como perdemos tempo fazendo escolhas erradas ou mantendo hábitos inconscientes.

Quando falo de escolhas não estou me referindo a momentos que me arrisquei, dei passos em novas direções e falhei. Me refiro a situações que me encolhi, recuei e tentei fugir de angustias que me incomodavam e que de alguma forma sabotava meu desenvolvimento emocional.

Segue abaixo 5 maneiras de autossabotagem que identifiquei na minha vida e espero que seja útil pra vocês.

O que está sabotando seu crescimento emocional:

1. Maratona de séries

Ai meu Deus, eu preciso de ajuda

Me refiro aqueles dias que a gente tem uma porção de coisas importantes pra fazer, mas passa horas na frente da TV ou computador assistindo séries e filmes, nos desviando do que é realmente essencial.

Observe a repetição, a intensidade e quantidade de tempo que você dedica a isso. Se este comportamento se repete com frequência ou interfere na conclusão de tarefas mais importantes, você pode estar usando isso como um tipo de entorpecente emocional, algo você usa para aliviar as tensões da vida ao invés de encarar o que está sugando sua energia.

Passei alguns dias focada em séries e de me dei conta que havia algo errado. Senti que não deveria estar usando tanto meu tempo em algo que não acrescenta nada. E isso me motivou a continuar na terapia/analise e também escrever esse texto.

2. Comportamentos compulsivos

No primeiro sinal de tensão, ansiedade e angústia algumas pessoas atacam a geladeira, compram doces, sorvetes, chocolates e um monte de guloseimas e comem exageradamente. Outras se jogam em atividades físicas e se exercitam além do necessário. Algumas vão ao salão de beleza ou para o shopping comprar roupas, sapatos e coisas que nem precisam.

Se você faz isso nesses momentos, pode ser que  esteja tentando abrandar a fome de vida ou se esquivar de alguma angústia dentro de você. Tudo isso, são formas de se sentir temporariamente feliz, mas é como uma droga, o efeito passa e os pensamentos que está evitando voltam a te perturbar. Pense nisso!

3. Permanecer em relacionamentos fracassados

Me refiro ao tempo que as vezes gastamos insistindo em relacionamentos que não estão fluindo ou aceitando migalhas de afeto. Uma hora ou outra se dá conta de que a vida é o bem mais precioso e é bem mais gostoso compartilhá-la com pessoas que querem desfrutar junto com você. Então se o relacionamento não tá agregando, desapegue!

Deixe ir

 4. Tentar agradar a todos

Demoramos milênios para vir a este mundo e só temos uma chance de viver – há religiões que dizem o contrário, mas não vem ao caso. Talvez você viva até os 70 anos, talvez tragicamente sua vida se encerre antes, mas se você nasceu, existe uma razão para isso. Então pense se vale a pena viver tentando agradar as pessoas e deixar de ser você mesma. Observe se a sua felicidade está em segundo plano.

5. Fingir que está tudo bem

Me sabotei todas as vezes que tentei parecer forte, engolir o choro, sorrir, quando me sentia destruída por dentro. Até aprender que está tudo bem ser frágil e carente algumas vezes. Tudo bem precisar de colo e abraço. É isso que nos torna humanos.

Não adianta viver de aparência, se as coisas vão mal, busque ajuda. Mostre as pessoas que você é humana e não máquina. Ensine as pessoas através de sua dor, que ninguém é feliz o tempo todo, e talvez assim elas também parem de fingir.

Cresci vendo pessoas fingirem que estavam felizes, “tapando o sol com a peneira” diante de problemas graves. Vamos começar admitindo que não está tudo bem. Estamos diariamente nos anestesiando com excesso de trabalho, festas, consumismo e outras formas de entretenimento e distração para fugir de sentimentos angustiantes.

Evitamos o confronto ou contato com nós mesmos. E se fugimos do diálogo interno, aumentam as chances de  repetirmos comportamentos inconscientes, fazermos escolhas incompatíveis com aquilo que somos e perdemos tempo nos desviando do foco.

Se você não busca respostas dentro de si mesma, como vai saber qual o seu caminho, seu dom, talento, seu propósito de vida?

E se você não tem essas respostas ou não se propõem a buscá-las, acredito que ainda perderá muito tempo se sabotando.

Imagem: Stocksnap

@ load more