Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Moça, tudo passa. Tem coisa que passa devagar, lento. Passa todo dia para te lembra que tá ali, vivo. Passa dia sim e dia não, mas um dia deixa de passar. Passa.

Ele também vai passar. Primeiro ele vai passar pela sua vida. Passageiro não permanece só passa. Passa para te fazer entender o que tu quer que permaneça e o que tu quer que passe. Tem gente que é experimento para o autoconhecimento. Isso não passa.

“Só passei para ver como você tá” disse ele, depois de ter esquecido de passar no outro dia. “Estou bem” você vai responder com uma convicção ensaiada. Talento de uma vida passada.

Ele vai ficar aliviado. “Sabia que não era nada” pensa. Quer passar por cima de ti. Passa e te arrasta. Palavras fácies e bonitas conquistam. Mas tu não passa de um passatempo pra ele. Deixa estar.

Você ganhou um presente das suas ancestrais, moça.

Passada de mãe para filha, sua língua afiada pode cortá-lo ao meio. Não se anule, mas também não se desperdice. Deixa ir.

Tem gente que a gente não quer que passe. Por que tu não fica mais um pouco? Faz morada em mim. Dorme no sofá. Dorme na minha cama. Eu te faço dormir. Eu te faço ficar acordado. Eu te faço. Fica?

Como tudo que é bom, ele passa.

Esses dias eu fiquei com vontade de experimentá-lo de novo. Veja bem, tem coisa que passa, mas tem coisa que se esconde. Finge que passou e te massacra.

Uma foto, um cheiro, um lugar, um objeto, uma risada, uma pessoa, uma palavra. Sempre tem uma coisa que te leva de volta. Te atropela. Passa por cima sem olhar para trás. E só passa.

Tem um cara amarrado dentro do armário da cozinha. Gostei demais dele, mas vi que era passageiro. Agarrei. O prendi com cordas de expectativas, mas não tem sido o suficiente.

Ele pediu para ir ao banheiro. Deixei. Se inclinou, achei que ia me beijar. “Posso passar aqui?” disse ele claramente pedindo licença para passar entre mim e o vão que leva ao banheiro. Deixei ele passar. Nunca mais voltou.

Às vezes, não vou negar, sinto falta dele.

“Não quer dar uma passada?” Mas ele nunca quer. Daí lembro que eu não sou mulher de passada. Depois lembro que eu posso ser uma mulher de passada se eu quiser. E às vezes eu quero.

Mas tem dias que eu queria que ele se lembrasse de mim. Acordasse de manhã, devagarinho, sem nem abrir os olhos, levantasse da cama e caminhasse até o banheiro.

Quando abrisse os olhos pensaria no dia de hoje, que seria igual ao dia de ontem e assim por diante. Lembraria de um passado de merda e desejaria não ser passageiro em viagens alheias. Quer permanecer?

Tudo passa, moça. O segredo é esquecer que tem que passar. É o mesmo que eu faço com todos os cremes corporais que eu compro. Na hora pareceriam importante, os usei por duas semanas. Não passo mais.

Imagem: Unsplash

@ load more