Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Acordo pela manhã com meu celular praticamente gritando em minha escrivaninha. Era uma mensagem atrás da outra. Como já estava praticamente na hora de me levantar, decido ver do que se tratavam tantos recados. Em minha caixa de e-mail surgiram pequenos, porém muitos, ícones de flores.”Parabéns pelo seu dia”. Ah, sim! Hoje é Dia Internacional da Mulher. Bacana.

Agradeço pelas mensagens de carinho e, antes que eu pudesse terminar meu segundo e-mail, o whatssap começou a dar seus sinais de vida. Recebo rosas de meu pai, meus tios e tias, primos e primas, colegas de trabalho e de faculdade, amigos de infância e até mesmo de gente que eu já não via há algum tempo. Ok, me senti bastante especial e até mesmo empolgada. Eram tantos textões me dizendo o quanto eu era importante e querida, que realmente acreditei que fosse verdade.

Dia Internacional da Mulher

Mas aí o meu Dia Internacional da Mulher começou de verdade…

Dia Internacional da Mulher

Caminhando até o ponto de ônibus, admito que, naquele dia, a preguiça de ir para a aula não existia. A cada esquina que eu virava, eram diversas lojas cheias de flores, mil propagandas que afirmavam o quanto nós, mulheres, somos especiais, e muita gente simpática pelas ruas. Já dentro do ônibus, escuto duas meninas, um pouco mais novas, conversando. Eram melhores amigas, dava pra perceber. Uma delas estava em êxtase porque recebeu uma dessas mensagens prontas de Dia Internacional da Mulher de seu crush. Ao mesmo tempo que comemorava, desabafava que “já não era sem tempo. Já havia duas semanas que ele não mandava notícias. E agora, finalmente, ele me parabenizou pelo meu dia, e ainda me chamou para sair”. Achei bonitinho. Sua confidente, igualmente empolgada, já estava dando dicas do que vestir e de como se comportar. “Não entrega o ouro de uma vez, deixa ele sofrer”. Ok, concordo.

Êpa! Quase perdi meu ponto nessa brincadeira. Já na faculdade, todos os professores e professoras começaram suas aulas com discursos sobre como as mulheres são importantes e merecem um dia só para elas. Achei atencioso. Na aula de Direção de Arte vimos alguns exemplos de publicidades ‘geniais’ do ponto de vista estético. As propagandas femininas tinham leves toques de rosa e vermelho, e suas modelos eram maravilhosas, esculturais. Massa. Não tivemos os últimos horários porque nossa professora havia faltado. Ela estava grávida, e se sentia um pouco mal. Alguns alunos chegaram a reclamar um pouco. “Ela tinha que engravidar justo no semestre que temos que ter aula com ela? Já é a quarta vez que ela não vem. Mas com ela é claro que não vai acontecer nada, né.”

Algumas coisas não mudam

Dia Internacional da Mulher

Achei estranho, preferi não fazer parte daquele diálogo. Recebo uma ligação assim que saio da sala. Ainda bem. “Oi! Escuta, vamos fazer um almoço de Dia Internacional da Mulher aqui no escritório! Você anima contribuir com algum doce?” Claro. Fui até a doceria e descobri que as tortas estavam em promoção. Eu queria a de Maracujá. O dono me explicou que, por ser um dia especial, tortas com desconto eram as de chocolate. Diz ele que era bom pra TPM, por isso fazia tanto sucesso com as mulheres. Ok. Peguei uma, entrei em um táxi e fui para a empresa.

O almoço foi ótimo. Todas as mulheres do meu setor conseguiram trazer coisas deliciosas para comer. Acho que meu chefe estava de bom humor, porque ele até repetiu da minha famigerada torta de chocolate. A festa acabou, hora de voltar ao trabalho. Todos os homens se dirigiram até a mesa do cafézinho. E todas nós começamos a arrumar a bagunça. Vi que um deles estava voltando para onde fizemos a confraternização do Dia Internacional da Mulher. Que jóia, mais uma ajuda. Só que não. “Ei, meninas, quando acabarem aí nos avisem que é para começarmos nossa reunião”. Ai, esqueci dessa reunião. Tudo bem, vai dar tudo certo.

Fui interrompida algumas vezes pelo meu chefe. Comecei a ficar um pouco irritada porque ele não me deixava terminar uma sentença. Mas depois passou. Ele até me deu parabéns de novo pelo meu dia, e pelo meu trabalho também. Estava levando um bouquet de rosas para sua esposa. Achei fofo.

E aquele dia “especial” chegava ao fim

Dia Internacional da Mulher

Cheguei em casa, cansada, e vi que minha mãe estava na cozinha. Como era o nosso dia, meu pai disse que quem manda no jantar hoje somos nós. Decidimos sair para comer. O garçom entregou a conta pro meu pai. Peguei a comanda e dividi para nós três. Passamos os cartões. “Obrigado, senhor. Volte sempre”. No caminho de casa escutamos uma música estranha que falava algo sobre um cara que podia ter todas as ‘vagabundas‘ que quisesse porque tinha grana. Achei a batida interessante. É dessas que grudam na memória, sabe?

Já em minha cama, pronta para dormir, me pego cantando um trechinho dessa música. Pegando quase no sono, recebo uma mensagem de minha avó. “Minha netinha querida! Espero que seu dia tenha sido tão maravilhoso como o meu. Depois de arrumar a casa e aprontar a comida do ‘véio’, vi que tinha uma rosa em meu travesseiro. Era dele! Feliz Dia Internacional da Mulher, minha pequena!

É! Feliz Dia da mulher, vovó!

Atenção: o conteúdo desta crônica é irônico!

Imagem: Stocksnap


E, aproveitando o gancho, que responder a uma de nossas leitoras no Clube Superela?

@ load more