Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Segui os 10 passos do livro Me Poupe da Nathalia Arcuri para nunca mais faltar dinheiro no meu bolso. E será que nunca mais faltou? Confira!

Nos últimos anos, ocorreu uma mudança significativa na forma como as mídias apresentam seus conteúdos. Isso foi impactado por uma série de questões, que vão desde a ascensão do meio digital até as novas necessidades dos consumidores.

Entre inúmeras consequências desse cenário, uma delas se sobressaltou: a quantidade de material interativo indo contra o materialismo/consumismo desenfreado.

Já reparou como o monopólio de propaganda incentivando a compra desenfreada cedeu (um pouco) de espaço para o consumo consciente?

Nessa onda, surgiram verdadeiros anjos, como a Nathalia Arcuri, com conteúdo educativo sobre vida financeira. E olha, parece que as dicas dela mudaram a vida de muita gente, viu? Tanto que o livro Me Poupe está na lista dos mais vendidos desde o seu lançamento em 2018.

E como boa fã de conteúdo de qualidade, comprei o livro, acompanhei seus vídeos no Youtube e me empenhei em seguir algumas das dicas.

E hoje estou aqui para contar para vocês quais desses passos de fato surtiram (ou não) efeito em minha vida financeira. Vamos lá?

Dicas do livro Me Poupe que realmente deram certo: 

Parar de ter medo do dinheiro

Logo no inicio do livro Me Poupe, a Nathalia fala sobre a dinheirofobia, caracterizada pelo medo que as pessoas têm de falar de dinheiro e/ou achar que ele é sempre o vilão da vida delas.

O que aprendi é que esse é um assunto saudável – e até divertido – e que faz parte da vida de todo mundo! E com isso eu pude me abrir mais a entender do universo financeiro, comecei a trocar informações com conhecidos e encontrei parceiros de jornada (amigos, familiares, namorado) que se uniram ao mesmo objetivo de ter uma vida financeira mais saudável.

Aprender a dizer não (e ficar feliz com isso)

Antigamente, se eu dissesse não a uma viagem com as amigas ou àquela bolsa simplesmente porque não tinha dinheiro, me sentia como se tivesse sido derrotada pelo Darth Vader. Mas depois que entendi que, para dizer sim ao que realmente almejo, eu preciso aprender a dizer não para aquilo que me fizeram acreditar que eu queria, o NÃO passou a ser uma palavra que – na maioria das vezes – me dá prazer! É libertador perder o medo dessa palavrinha. Já tentou?

Acreditar na sua competência e se aprimorar

Como nação, estamos com a autoestima lá embaixo, por conta de crise econômica, cenário politico, entre outros. E esse pessimismo pode nos engolir sem que a gente perceba, fazendo com que deixemos de acreditar na nossa competência para trabalhar e, consequentemente, ganhar dinheiro.

Quando eu entendi que, ao me aprimorar e investir em mais cursos, eu poderia aumentar minha renda, as coisas passaram a fluir. Por conta de 2 cursos que fiz no ano passado – sendo que um deles foi grátis – consegui uma nova fonte de renda que tem contribuído para aquela reserva financeira que eu nunca tinha conseguido fazer porque achava que não ganhava o suficiente para poupar (que bobagem! Afinal, não há renda mínima para poupar!).

Virar investidora!

Sabe qual é a sensação de ter uma conta de investimentos e poder dormir tranquila sabendo que você está fazendo algo pelo seu futuro? Não dá para explicar, mas é um sentimento maravilhoso que você precisa provar!

Se você é como eu, já passou muitas e muitas noites preocupada com a dívida do cartão, com o limite do cheque especial, etc.

Agora, imagina o contrário? Dormir orgulhosa sabendo que você é dona de si e sabe cuidar do seu dinheiro?  É uma paz que deixa a pele mais bonita do que muito creme caro por aí…

E dicas que não deram tão certo assim para mim: 

Focar em um objetivo

Traçar objetivos de curto, médio e longo é relativamente fácil, desde que você se conheça minimamente. A grande questão é que não basta apenas mentalizar o objetivo e continuar levando a mesma vida consumista de antes.

Enquanto eu me senti feliz e realizada só por definir as metas, eu não consegui atingi-las. Esse passo precisa andar grudado com o ato de dizer não, pois é só com muita ação que os objetivos sairão do papel!

Controlar os mínimos detalhes

Existem muitas ferramentas, apps e o próprio livro Me Poupe, que dão dicas de como monitorar os gastos. Mas a verdade é que eu tive algumas recaídas e saí gastando dinheiro sem consultar minha situação financeira, simplesmente porque estava cansada e não queria cansar mais ainda minha cabeça com isso. No fim, foi uma preguiça burra, porque um gasto impensado pode gerar mais dor de cabeça ainda no futuro.

Pedir descontos

Posso dizer que não tenho problemas de timidez e não me importo em pedir algo para as pessoas quando acho que estou com a razão. Porém, tentei usar a técnica de levar dinheiro vivo e chorar por um desconto antes de comprar algum produto… Mas só deu certo em 3 das 10 vezes que tentei fazer isso. 🙁

O que percebi é que essa dica tem duas ressalvas. A primeira é que as lojas maiores tendem a ter uma politica mais rígida para descontos, então fica mais difícil de conseguir. A segunda é que essa prática exige tempo, pois a negociação às vezes envolve muita conversa, então eu só a aplicarei quando for comprar produtos de valores altos e separarei um tempo para o “choro” antes de efetuar a compra.

E aí gostaram? Que tal aplicar se dedicar ao livro Me Poupe e descobrir quais dessas dicas funciona para você?

Por fim, uma informação bacana é que a participação das mulheres em novos investidores do tesouro direto foi de 68% em 2018. Lindo que até emociona, não é mesmo?

E esse é um dos motivos que eu resolvi contar minha experiência sobre vida financeira, pois meu desejo é que, cada vez mais, tenhamos um mundo menos desigual.

E espero que mais mulheres incríveis – como a Nathalia e como você – sejam empoderadas e recompensadas pelos seus esforços! <3

Imagem: Pexels

@ load more