Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Encontrar a profissão perfeita não é nada fácil. Sua mãe, seu tio e seus vizinhos têm uma característica em comum nisso: todos te perguntam o que você vai fazer da sua vida, né?

Todo mundo dá pitaco, indica caminhos, traça milhares de possibilidades e você fica nesse emaranhado de informações, perdida, zureta, achando que isso é o fim do mundo.

Calma! Já estive nessa situação, amiga. E vou te falar: não adianta surtar para escolher um curso, porque você vai mudar muito ainda.

O que nós precisamos, acima de qualquer vontade da família ou da sociedade, é genuinamente gostar do que fazemos, mesmo que isso mude ao longo dos anos.

Você pode fazer um curso de Psicologia, trabalhar na área e, depois de alguns anos, se encontrar como passeadora de cães. Ou, então, se formar em Direito, começar a trabalhar com vendas e parar no RH de alguma empresa.

É isso: nós estamos em constante mudança! Mas, para te ajudar a começar este processo de autoconhecimento (que você ainda vai repetir várias vezes ao longo da vida), vou dar algumas dicas.

1. Peça feedback aos seus amigos e familiares

Sei que às vezes a família e os amigos não ajudam muito na hora de escolher a sua carreira, mas você já experimentou perguntar a eles como eles te veem?

Quais são seus pontos positivos, negativos, o que você faz de melhor ou o que você faz que encanta outras pessoas? Pergunte como eles te percebem!

Essa experiência é super interessante e você vai descobrir aspectos que nem imaginava ter (vai por mim). Uma conversa sincera pode te ajudar a mapear traços de personalidade que vão te auxiliar muito no momento de encontrar aquela vaga de emprego que tem a sua cara.

2. Acompanhe um profissional durante uma semana

Você gosta de Arquitetura, mas não sabe como seria trabalhar lidando com clientes? Idealiza a vida de um médico a partir de seriados, mas não tem certeza sobre como é ser médico de verdade? Peça para acompanhar algum profissional durante alguns dias.

Seja cara de pau, perca a vergonha e acompanhe aquela conhecida da sua tia ou o amigo da sua mãe. Sempre tem alguém perto de você que trabalha com aquilo que você imagina fazer.

Conhecer a rotina te inserirá profundamente na realidade daquele profissional – e eu arriscaria dizer que este é um dos pontos principais, não se esqueça de fazer.

3. Gosto, mas não sei fazer. Acho legal, mas não faria.

Há uma maneira simples e efetiva de inserir suas habilidades em quatro vertentes. Pegue um papel e escreva:

  • aquilo que você gosta, mas não se vê fazendo;
  • aquilo que você não gosta e não se vê fazendo;
  • aquilo que você não gosta, mas toparia fazer;
  • aquela carreira que você gosta e se vê fazendo.

É um pouco confuso, mas vou dar um exemplo:

  • a Maria admira a área de Marketing Digital, lê blogs sobre o assunto, mas não conseguiria trabalhar com métricas de jeito nenhum;
  • ela não curte contabilidade e passa longe de qualquer planilha, não gosta de fazer seu IR;
  • ela não simpatiza muito com a área de Recursos Humanos, mas conseguiria atuar nisso;
  • ela gosta de escrever e se vê trabalhando com isso.

Depois de traçar estes pontos, reflita sobre as carreiras que você conseguiria fazer em paz (sem queimar neurônios desnecessariamente) e que te dão prazer.

4. Busque grupos de faculdade e de vagas de emprego

Procure os grupos de faculdade nas redes sociais. Conversar com alunos pode te dar mais opiniões sobre o curso, o campus, as turmas, disciplinas e professores. Se possível, converse com estudantes que estão no início da faculdade e com alguns formandos também.

Outra maneira de chegar até os profissionais é participar de grupos de vagas de emprego e estágio. Esse pessoal é recém-formado ou já está no mercado há um tempo. Pergunte como eles fizeram para conseguir o primeiro estágio, quando começaram a fazer outros cursos, entre outros fatores.

5. Faça testes vocacionais

O bom e velho teste vocacional pode te ajudar muito também. É uma importante ferramenta, capaz de estruturar a personalidade de uma pessoa. Ele junta suas respostas às características de cada profissão e te dá opções que combinam com você.

Há testes para diversos cursos, como, por exemplo: Administração, Ciências Contábeis, Direito, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Civil, Fisioterapia, Pedagogia, Psicologia e Serviço Social. Bora fazer, hein?

Existe também um programa de empoderamento feminino que auxilia mulheres a encontrarem sua verdadeira vocação profissional através de métodos de coaching e terapia transpessoal, Demais, né? Dá uma olhadinha clicando aqui!

Mas, lembre-se: o resultado apresentado no teste vocacional não é definitivo e não deve ser a única base para escolher sua carreira.

6. Se necessário, procure um psicólogo

Um profissional capacitado para te avaliar e te ajudar a se encontrar é super válido também. Se você já fez todos os passos anteriores, mas ainda está apreensiva em relação à sua escolha, procure um psicólogo especializado em orientação vocacional.

Ele trabalhará situações e metáforas que te abrirão espaço para pensar sobre sua vida, suas habilidades e expectativas.

7. Procure profissionais no LinkedIn para bater um papo

Você não imagina a quantidade de pessoas que estão dispostas a ceder um pouco do seu tempo para dar conselhos profissionais a iniciantes. Mais uma vez, jogue a timidez pra lá e mande mensagens para alguns importantes profissionais da área em que você quer trabalhar.

Apresente-se, explique sua situação e pergunte sobre a carreira, sobre as dificuldades, peça conselhos, tudo que puder. Assim que os profissionais começarem a te dar algumas respostas, anote-as e compare com os outros passos.

Bom, depois disso tudo, o mais importante a se dizer é: quem viverá a realidade da sua profissão é você. Não é sua mãe, seu pai, seu cachorro ou seu papagaio. Quem acordará todos os dias para viver sua vida é só você. Quanto melhor você se conhecer, mais chances terá de ser feliz na sua carreira profissional. 😉

Imagem: Reprodução / Eu Não Faço a Menor Ideia do que Eu Tô Fazendo Com a Minha Vida 

@ load more