Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

‘Dizer não’ é um trem complicado demais. E sim, para quem esteja se perguntando, sou mineira de corpo e alma. Enfim, desde que nos conhecemos por gente, temos uma concepção ruim sobre o “não”. E não é de se espantar, né? A conotação negativa que esse troço tem é gigante.

E aí, com o passar do tempo, nos tornamos cada vez mais propícios ao ‘sim’. E é claro que ‘dizer não‘ atrapalha a gente em muita coisa. Faz com que tenhamos medo, inseguranças e por aí vai. Só que aí atravessamos uma linha tênue de limites de espaço e caímos numa baita duma armadilha.

dizer não

Começamos a abrir mão de coisas que são essenciais a nós mesmas por medo de magoar outras pessoas. Ou melhor: criamos um vício de dizer ‘sim’ por medo de chatear ou afastar a outra pessoa. E aí, quando nos assustamos, o trem vira uma bola de neve, e tem um tanto de gente pendurada em nossas costas.

E acreditem: não saber ‘dizer não‘ é um puta ímã pra pessoas abusivas. Sério: elas sabem que você evita conflito, que não mostra todo o potencial de sua personalidade, e caem em cima, FUZILANDO GERAL. Uma coisa é óbvia, pessoal: fantasminhas abusivos sabem para quem aparecem.

E aí, com o tempo, temos nossas energias sugadas e perdemos o tesão EM NÓS MESMOS. Foda, né? Mas vai me dizer se isso não é verdade?

Então assim, quando será que é o momento certo de ‘dizer não’?

1. Quando o ‘sim’ te prejudicar de alguma forma

Isso rola MAIS do que a gente pensa. Sente só: sabe aquela amiga, ou amigo, beeem abusivo, que fica te colocando numas enrascadas porque você não simplesmente não consegue ‘dizer não‘ a ele? Ou aquele vizinho que já aprontou com você umas três vezes, mas sempre continua te pedindo favores, e você sempre faz? E aí SEMPRE dá merda? Pois é.

Eu queria que você fizesse um exercício: coloque a bunda no sofá, largue o celular de lado, e reflita sobre o pedido. Chega dessa coisa de ‘dizer sim’ de cara. A partir de agora, é preciso aprender a pedir à pessoa um tempo para pensar. E aí adivinha? VOCÊ VAI PENSAR se o que ela está te pedindo fere qualquer tipo de princípio seu. Se o radar da “merda no ventilador” bater, já é um aviso pro ‘dizer não‘ tomar conta do pedaço.

Uma coisa é ser uma boa pessoa, outra coisa é deixar com que outras pessoas te façam de trouxa.

2. Em alguns casos, ‘não querer’ fazer coisa é FUNDAMENTAL para ‘dizer não’

Vou explicar melhor: tem horas que assumimos uma postura mega egoísta e deixamos de fazer algo por alguém por preguiça, ou má vontade. Nesse caso, ‘dizer não‘ é prejudicial tanto a você, quanto à pessoa que te procura. Mas existem alguns casos em que ‘não querer’ fazer tal coisa JÁ DEVE BASTAR para que a pessoa entenda os limites que você deu a ela.

Por exemplo: o gatinho que te força psicologicamente a transar com ele porque sabe que você não é virgem? Babaca. Diga não se você não quiser transar com ele. Um colega te pediu para assinar a lista de chamadas e você não quer fazer parte de uma mini-fraude? Diga não. E assim por diante.

O importante é…

dizer não

As pessoas que se importam com você DE VERDADE não vão criar caso quando você decidir dizer não a elas. Então nessas horas é preciso pensar MUITO em si própria. Fazer um favor e receber, em retorno, uma consciência pesada ou uma dor de cabeça, ou invés de receber gratidão, é TERRÍVEL.

E a pessoa que te faz se sentir assim deve ser afastada imediatamente de sua vida. ‘Dizer não‘ faz parte do nosso dia-a-dia, e é exatamente por isso que ele não tem que ser visto, em sua essência, como algo apenas negativo.

Limites, pessoal. Estabeleçam limites.


E o que vocês responderiam a essa pergunta aqui abaixo, feita por uma de nossas usuárias do Clube Superela?

@ load more