Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Lembra daquele código de vestimenta criados pelas empresas? Pois é, eles agora estão fora de moda. Terno e tailleur devem sair menos do armário e dar espaço para looks mais diversos dentro das corporações.

A flexibilização de regras de roupas é realidade em diversos setores empresariais, principalmente no de tecnologia. O exemplo clássico é o do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, que aparece sempre com sua camiseta básica cinza. E essa tendência está agradando muitos outros tipos de empresas.

Mas por que a mudança no dress code corporativo tem acontecido?

dress code corporativo

A necessidade de um propósito

Quem lembra dos pais se vestindo para o trabalho uns anos atrás? Não importava o cargo ou empresa, nossos pais buscavam, na medida do possível, um traje mais “arrumado”. Isso porque a conduta ética e a formalidade eram os valores mais relacionados com o mercado de trabalho na época.

Optar por roupas formais mostrava respeito ao trabalho e ao código de conduta pré-estabelecido. Não existe nada de errado nisso. Mas as novas gerações vieram transformar esses comportamentos dentro das empresas.

As gerações mais jovens tiraram a formalidade das passarelas e trouxeram holofotes para outro valor: o propósito. E entenda propósito como busca por valores com significado, que atinjam o modo de viver das pessoas e tragam melhorias para a sociedade.

Isso é tão forte, que consumidores escolhem produtos pelo papel que suas marcas desempenham no país e não pela propaganda. Profissionais buscam empregos em empresas nas quais possuem valores compartilhados com os seus. E, caso isso seja frustrado, pedem demissão e procuram outra oportunidade. Veja mais sobre o quão importante é se identificar com sua empresa nessa entrevista que fiz com uma coach.

Tudo isso se reflete nas roupas. Além de procurar emprego em locais que usem roupas próximas às suas, os colaboradores sentem a necessidade de expor seus valores e identidades através do seu look. Na prática, um perfil extrovertido e informal não vê significado em usar um terno, que abafa sua personalidade, por exemplo.

E, por outro lado, um profissional mais sério pode continuar optando pelo seu traje formal. Não entenda isso como o fim da saia lápis, mas como uma democratização que permite a entrada de mais estilos.

Mas isso não significa que estamos em uma micareta

Todos abraçam essa nova tendência de democratização de estilos no mercado de trabalho. Mas isso não quer dizer que você pode trabalhar com aquele seu vestido usado no carnaval da Bahia.

O bom senso continua sendo a regra de ouro no trabalho. Lembre-se que a linguagem não-verbal tem muito impacto e que a escolha de suas roupas ainda revela muito sobre quem é você.

Foque na mensagem que você quer passar. Se quer mostrar seu lado criativo, opte por combinações estilosas, misture cores, mas procure fazer isso de forma não agressiva. Então, nada de roupas curtas, barriga de fora, decotes e pondere no brilho, por exemplo.

Saber qual roupa usar em uma entrevista de emprego também merece a sua atenção. Eu escrevi no PraCarreiras um texto com quatro dicas básicas para você não errar no look e escolher o traje mais adequado para uma entrevista.

Importante lembrar que, apesar de estar havendo essa mudança das regras, ainda estamos na fase de adaptação em muitas delas. E como descobrir, qual estilo de roupa usar na entrevista se isso não é divulgado pelo recrutador? Uma boa saída é visitar suas páginas do Facebook e Linkedin, lá certamente terá fotos dos funcionários e você pode ter uma ideia do estilo deles.

Domine sua roupa e seus gestos e consiga o que você quer

Além de trazer a discussão sobre o dress code corporativo, gostaríamos de lembrar que a roupa faz parte de sua comunicação não verbal que, quando usada de forma inteligente, consegue transmitir a mensagem certa.

Algumas pesquisas indicam que 70% da nossa comunicação é representada pela linguagem não-verbal, que podem ser entendidas como roupas e gestos. Então, por que sair com a primeira roupa que você viu no guarda-roupa? Uma dica é escolher roupas com poucos detalhes, para que o recrutador não perca a atenção no que você está falando para entender o que é a estampa da sua blusa.

Outro ponto é em relação a roupas apertadas. Elas podem deixar você desconfortável e acabar passando uma imagem de segurança durante a entrevista.

Tudo isso se aplica aos gestos. Sabe aquelas mãos que parecem que vão criar voo enquanto você fala? Isso pode mostrar nervosismo. E sabia que pesquisas mostram que mexer com os dedos no cabelo passa a mensagem de que você se sente digno de ser notado? Se você quiser saber mais sobre linguagem não-verbal para uma entrevista de emprego é só clicar aqui.

@ load more