Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Você já se perguntou alguma vez como seria a vida de uma astróloga nos tempos atuais? Eu mesma já ouvi comentários de que elas devem viver sozinhas com gatos ou que possuem uma bola de cristal para fazer suas previsões! Para desmistificar a profissão (que precisa ser acompanhada da vocação, é claro), fui convidada pela querida Mariana Rüppel para uma entrevista, onde você poderá entender um pouquinho mais do meu universo vivido diariamente imersa no contato com os astros.

Como é ser uma jovem astróloga nos tempos atuais

Mariana: Como você conheceu e entrou pra esse mundo da astrologia?

Louise: Eu nasci em família evangélica, frequentava a igreja, mas sentia desde pequena atração pelos mistérios da vida e o que havia por trás de tudo. Lia escondida na casa de uma prima, que me apresentou uns livrinhos de astrologia e até um baralhinho de tarot, e fiquei fascinada, isso eu tinha uns 12 anos…

A partir daí sempre lia, estudava, ia à biblioteca pública procurar literatura, mas ainda nesta época era difícil o acesso. Tive 3 formações nas artes visuais (design, moda e o mestrado, na área), trabalhei muitos anos com isso, era minha paixão, porém chegou um momento que me cansei de trabalhar na frente de um computador, eu queria estar na frente das pessoas, ter contato com o universo delas, nesta fase eu já tinha iniciado o curso de formação na escola Urantiam em Ipanema, no Rio com a mestra Anna Maria Costa Ribeiro, que tem duração mínima de 3 anos.

Mariana: Você se formou nessa escola? Fez outros cursos depois?

Louise: Me formei na Urantiam sim, e fiz muitos outros cursos depois, como diz minha mestra, um astrólogo não pode ser somente astrólogo, ele deve ser um conhecedor das ciências ocultas, um conhecedor da vida. Eu fiz muitos cursos depois, eis os principais: Formação em Coach (pela equipe de Portugal, We Create), Formação de Terapeuta Theta Healing, Formação de Terapeuta Florais Iapuna (Amazônia) e Florais das Araucárias com Audrey Farah, Curso de especialização em Sinastria (Relacionamentos) em Urantiam/SP, Cura Cósmica, Reiki – Nível 1, Merkabah e Geometria Sagrada no Vale do Capão/BA, Organização da Natureza Humana e Tônus Muscular – Nível 1, Iniciação em Astrologia e Tarot Herméticos.

Mariana: Nossa, quantos cursos legais! Apesar de ter feito tantos, a astrologia é seu foco, né? O que você acha que a astrologia tem a mais pra oferecer?

Louise: Isso! A Astrologia é a arte maestra, o meu carro-chefe, desde que comecei, já realizei mais de 1.000 atendimentos astrológicos, que sempre são sintonizados com outras formas de conhecimento. Esses outros saberes sempre agregam no momento de fazer uma análise para um cliente, de visualizar cada ser como um todo e poder auxiliá-lo em sua caminhada através dessas ferramentas.

A astrologia é uma ferramenta de autoconhecimento. A partir do momento que conseguimos ter maior clareza dos nossos dons e nossas dificuldades e reconhecê-los, conseguimos direcionar melhor nossas escolhas para utilizar de forma mais ampla nossas potencialidades. Através do Mapa Natal, auxilia no mergulho de si mesmo, é como uma bússola que nos mostra como podemos utilizar melhor nossos recursos próprios, aquilo que já temos dentro de nós por natureza.

Ela propicia também a análise do nosso momento atual através dos Trânsitos Astrológicos, pois podemos verificar quais as tendências atuais, quais as áreas da vida que estão sendo ativadas e como podemos tirar melhor proveito das fases de nossa vida. Já, a Sinastria, estuda a dinâmica das relações, o relacionamento como terceira entidade, que precisa ser olhado e compreendido, pois temos o Eu, o Tu e o Nós.

Mariana: Como você acha que é a melhor forma pra iniciar esse autoconhecimento? Pras pessoas que não sabem nada de astrologia e querem conhecer. Fazendo curso, mapa astral, estudando por conta?

Ainda há pouquíssimo anos atrás, as ferramentas de autoconhecimento eram ainda ciências ocultas herméticas, ou seja, eram informações somente passadas de mestre para discípulo, ou de professor para aluno que estaria sendo iniciado naquela disciplina. Nos dias atuais, na era da informação (e na era quântica) este conhecimento têm sido aberto para a humanidade para que pudéssemos continuar nossa evolução que chamamos de expansão de consciência.

Astrologia não é sobre signos ou combinações amorosas, é um estudo milenar e que deve ser utilizado com bastante respeito e deve ser estudado e aprofundado, desta forma você terá em mãos uma bússola que irá te guiar sempre que precisar compreender melhor a si e ao mundo ao seu redor. Temos vários meios de auxiliar o ser humano a compreender como ele funciona e respeitar suas características naturais, ajustando algumas delas para melhor aproveitamento, claro!

A melhor forma para iniciar é ler livros de Astrologia (e não sites de astrologia pop, pois falam sempre o mesmo, de forma muito superficial, e o perigo é que muitos confundem horóscopo de revistinha com astrologia). Fazer seu Mapa Astral com um bom astrólogo também é um dos primeiros passos, pois ele auxiliará a desmistificar a astrologia e desta forma você já tem a base do que precisa saber para buscar mais informações por conta própria e ir estudando em cima destes primeiros dados.

O terceiro passo, é, conforme vai aumentando seu grau de interesse e paixão pelo assunto, fazer aulas particulares para aprofundar o estudo no seu próprio mapa (é um estudo infinito) e começar a ver mapas de pessoas próximas, para daí então mergulhar num curso de formação, seja para autoconhecimento e expansão de consciência e até ingressar posteriormente na a profissão de astrólogo. Ah, e o principal não é somente o conhecimento técnico ou teórico, é a sensibilidade no momento do atendimento, e a experiência de já ter atendido um bom número de pessoas com qualidade é que faz toda a diferença e garante competência do astrólogo.

Mariana: Você pode indicar conteúdos confiáveis? Nomes de livros, sites, vídeos? Ah, outra coisa que eu esqueci de perguntar, a astrologia tem várias vertentes, né? Você segue alguma?

Louise: Sim! Anna Maria Costa Ribeiro (Urantiam), os livros delas são uma referência garantida. Outro astrólogo que estimo e tenho muito carinho é o Hector Othon, vale a pena mesmo seguí-lo nas redes sociais e acompanhá-lo de perto. Eu também costumo publicar aqui no Superela na minha fanpage e no meu canal no Youtube. Existem sim alguns tipos de astrologia, as principais são a Ocidental e a Védica. São sistemas diferentes, utilizam sistemas de casas astrológicas diferentemente, mas como muitas ciências, elas conversam e se complementam, entre si, por serem ciências milenares são baseadas em estudos, observações e análise de dados. Temos as vertentes: Astrologia Natal, Horária, Mundial… Inclusive astrologia Chinesa, Asteca, Medieval, Hermética, etc.

Mariana: Entendi! Nossa, são muitas mesmo. Você acha que as pessoas ainda tem preconceito com a astrologia? Ou acha que há uma aceitação?

Louise: As pessoas infelizmente ainda têm bastante preconceito, mas o campo para esta compreensão está se abrindo. Vejo que existe muita ignorância a respeito do tema, as pessoas não se dão o trabalho de ler, pesquisar e já vão julgando uma coisa que nem sabem o que é. Quando alguém me diz: não acredito em signos, já vejo logo que nunca leu Astrologia de verdade, nem se deu este trabalho.

Mariana: Só mais uma perguntinha: além do autoconhecimento, qual mais benefícios você vê na astrologia?

Louise: Como disse Sócrates “Conhece-te a Ti mesmo e conhecerás todo o universo e os deuses”, este autoconhecimento nos propicia tomar melhores decisões em nossas vidas, mais alinhadas com nossa verdade interior, com nossa essência, com aquilo que realmente somos. Faz uma integração da mente com o espírito, quando apresenta nossos dons e potenciais, até a área da saúde podemos analisar no mapa, como diziam também: mente sã, corpo são, através disso podemos ter mais equilíbrio emocional e espiritual também. A astrologia através da sinastria nos mostra as dinâmicas das relações, como podemos nos relacionar melhor, ser um ser social mais desenvolvido e ter melhor inteligência emocional.

Caso queira conhecer meu trabalho marque uma conversa comigo aqui!

Imagem: Shutterstock

@ load more