Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Está com dificuldades de arranjar um novo emprego? Então esse texto é pra você!

Eu acredito que alcançar a realização profissional é essencial nas nossas vidas. Afinal, passamos pelo menos 8 das 24 horas do dia trabalhando. Isso significa 1/3 da nossa vida e 1/2 do nosso tempo acordado.

Então seria muito melhor se todo mundo trabalhasse com algo que goste, que tenha sentido e propósito e em um ambiente bacana.

E provavelmente você deve conhecer alguém que quer mudar ou arranjar um novo emprego, mas está com grandes dificuldades para conseguir isso. Ou é você mesma que está nessa situação de não achar vagas interessantes, mandar currículo para todos os lados, receber retorno de poucas empresas e não ir bem nas entrevistas.

Então, para mudar essa realidade, confira as dicas que a recrutadora Luana Mendonça e eu, como Coach de Paixão e Propósito, listamos para você através de uma reflexão com os 9 erros que te impedem de conquistar um novo emprego.

Para que esse artigo te ajude verdadeiramente, eu sugiro que você anote suas reflexões enquanto vai lendo o texto. Assim você vai internalizar melhor o aprendizado e, o mais importante, irá colocar tudo em prática para finalmente conquistar o trabalho que você tanto quer.

Erros que te impedem de conquistar um novo emprego

Erro #1: Não saber os seus reais porquês

Deixa eu te perguntar… Por que você quer um novo emprego?

Pense aí.

Se você demorou para responder, então você realmente precisa refletir e ter os seus “porquês”, que são as razões pelas quais você está, ou deveria estar, colocando o seu foco e energia para conquistar um trabalho. Ter os seus reais “porquês” faz você se motivar verdadeiramente, se mover em direção ao resultado desejado e chegar a grandes resultados.

Mas não pode ser qualquer “porquê”, ele precisa ser interno, ou seja, vir do seu coração. Exemplos de “porquês” internos: ajudar pessoas, ver resultados concretos, exercer sua autonomia, se desenvolver como pessoa e profissional, viver a sua missão, aprimorar a liderança, etc. Assim você se sentirá bem mais motivada para buscar um novo emprego e fazer acontecer. Você transmitirá o brilho nos olhos.

Dinheiro não é um real “porquê”. Ele é consequência de estar trabalhando com algo que desperte seus “porquês” internos. Se você focar apenas no dinheiro e como obrigação, será mais difícil para agir, se motivar e também transmitir um real interesse na vaga durante a entrevista.

Além disso, seus porquês precisam ser positivos. Ou seja, não podem ser negativos como “quero sair logo do meu trabalho atual”, “odeio meu chefe”, “quero sair do desemprego”. Pensar assim gera emoções ruins. O que você precisa é ter razões que te energizem para o futuro e não razões para te desanimar no presente.

Por isso, se você ainda não tem os seus reais “porquês”, reflita e tenha eles em mente com clareza.

Erro #2: Ter currículo e perfil no LinkedIn genéricos

Os recrutadores recebem centenas, milhares de currículos para uma oportunidade de emprego. Ao mandar um currículo genérico, você pode mostrar que não leu a descrição da vaga. Então é essencial que você faça essa leitura e entenda o que a empresa quer e quais são os pré-requisitos e as atividades, para moldar o seu currículo de acordo com isso, dando ênfase às suas experiências que estão mais alinhadas com as descritas pela vaga.

O LinkedIn pode ser um pouco mais genérico, mas é importante mantê-lo sempre atualizado com os cursos mais relevantes para a área que você quer trabalhar. Então se você quer, por exemplo, um emprego na área de Finanças, não é necessário informar que você fez um curso de Fotografia. Além disso, é importante utilizar palavras-chaves no seu perfil do LinkedIn, ou seja, palavras que são utilizadas no seu meio de trabalho. Ainda usando o exemplo de Finanças, se você tem uma experiência nessa área com Orçamento, Planejamento e Contas a Pagar, insira essas palavras dentro da sua experiência. Isso ajuda o recrutador a te encontrar dentro da rede social, ao buscar profissionais com essas palavras-chaves.

Então reserve um tempo, revise seu LinkedIn e inclua os cursos e as experiências mais relevantes de forma sucinta, deixando seu perfil mais atraente para as empresas.

Erro #3: Investir somente em competências técnicas e intelectuais

Apenas 13% dos profissionais fracassam por conta de competências intelectuais, técnicas e cognitivas. E os outros 87% fracassam por falta de liderança, relacionamento, empatia, segurança, autocontrole, superação, ousadia, otimismo, etc. Ou seja, fracassam por falta de inteligência emocional.

Nossa educação ocidental ultra valoriza o conhecimento racional. Desde pequenos aprendemos matemática, português, história. Temos que decorar, desenvolver a lógica e o planejamento. Aprendemos sobre o mundo inteiro, mas aprendemos pouco ou nem mesmo nada sobre nós mesmos. Aprendemos como fazer uma pesquisa, calcular a velocidade de um carro ou a história da Grécia Antiga, mas não aprendemos a gerenciar nossas emoções e nossos comportamentos.

Então investimos em uma boa faculdade, uma excelente pós-graduação, cursos profissionalizantes e especializações. E tudo isso é muito importante, mas chega na hora da entrevista ou do trabalho, vemos que a realidade não é somente aplicar o que aprendemos em sala de aula. Existem outros desafios como, por exemplo, lidar com diferentes perfis de pessoas, saber persuadir e influenciar, liderar, gerenciar o stress, trabalhar sob pressão, negociar prazos e valores, etc. Ou seja,  faculdade não garante autoconfiança na entrevista e nos desafios dentro do trabalho. Provavelmente você deve conhecer alguém que nunca foi um gênio na escola, mas que hoje está super bem na carreira. E alguém que era o mais nerd da sala, mas que não cresceu tanto assim.

Você pode aprender e desenvolver sua inteligência emocional sozinho vivenciando todos esses desafios no dia a dia, mas esse processo é muito mais doloroso e demorado. Pode ser bem mais fácil se você investir não somente em competências técnicas, mas também em competências emocionais. O coaching ajuda muito nisso, pois você desenvolve a sua mentalidade, seu controle emocional e suas atitudes.

Até por isso incentivo meus clientes a colocarem que fazem coaching no currículo. Isso pode mostrar ao recrutador que você está correndo atrás do que quer, é independente e busca se desenvolver no aspecto comportamental e emocional, além do aspecto intelectual.

Erro #4: Não ter um resumo de experiências no currículo e LinkedIn

O resumo é uma introdução com as suas experiências e habilidades. No LinkedIn, existe um campo para preenchimento e muitas pessoas o deixam em branco.

É importante que você complete isso no seu perfil e tenha esse conteúdo no seu currículo, pois dessa forma você chama a atenção do recrutador. Ele vai olhar e ver que você tem o que ele está buscando, para então ele ler o restante.

Ter esse resumo também revela que você é uma pessoa organizada e se autoconhece, sabendo quais são seus pontos fortes. Por isso, analise a sua trajetória profissional e faça um breve resumo de um ou dois parágrafos, incluindo suas competências, tempo de experiências, funções, soft skills, etc.

Erro #5: Focar somente na sua comunicação verbal

De 100% da mensagem recebida pelo ouvinte, no caso o entrevistador, 7% é a sua comunicação verbal, que são as palavras, frases e o discurso que você articula. Os outros 93% estão relacionados à sua comunicação não verbal.

Com certeza é importante saber o que você vai falar, falar com clareza e falar coisas que despertem o interessem do recrutador, mas você também precisa levar em conta o restante da sua comunicação não verbal como:

  • Roupa: o que você veste também comunica. Por exemplo: se você for com roupa amassada e suja, pode passar a mensagem de “eu não sei me cuidar e me preparar”. E se você não sabe se cuidar e se preparar, como vai conseguir cumprir suas responsabilidades em uma empresa?
  • Expressão e olhar: na entrevista você faz cara de coitada, com olhar inseguro? Esboça desânimo ou um falso sorriso? Fica olhando para baixo ou desviando o olhar? Relaxe, respire fundo, seja natural e olhe olhos nos olhos, conectando-se com a pessoa com que fala.
  • Postura: dependendo da nossa posição corporal, nós estimulamos determinados sentimentos. Se estamos encurvadas e fechadas, podemos gerar insegurança e sentimento de inferioridade. Ao contrário, se ficamos com uma postura ereta e peitos abertos, criamos uma química de autoconfiança , ajudando a transmitir uma boa imagem na entrevista.
  • Tom de voz:  é importante o que falamos, mas imagina falar com a voz trêmula? Isso comunica algo sobre você. Falar de forma mecânica como um robô, também comunica. Falar alto, baixo, rápido, devagar… tudo isso comunica.
  • Bolsa no colo: a sugestão aqui é tirar a bolsa do seu colo, pois assim você estará comunicando mais abertura para a pessoa com quem vai conversar. Se mantê-la em cima de você, isso pode inconscientemente mostrar que você está querendo se proteger e se bloquear de interagir verdadeiramente com o outro.

Erro #6: Não compartilhar projetos e ações durante a entrevista

É interessante você falar sobre projetos e ações que você participou no passado, explicando como foi o planejamento, a sua postura durante a execução, os aprendizados e os resultados obtidos. Isso é bom para mostrar ao recrutador sobre suas capacidades de você trabalhar em grupo, sua auto-responsabilidade, liderança, etc.

Não precisa ficar restrita somente a situações profissionais, também compartilhe seus projetos pessoais e de responsabilidade social, onde você se desenvolveu como eventos em ONGs, na família e entre os amigos.

Sendo assim, utilize o momento da entrevista para mostrar ao recrutador que é uma pessoa responsável, que busca por soluções e com habilidades interpessoais.

Erro #7: Reclamar da crise e do emprego atual

Para vocês entenderem melhor, deixe-me explicar o Ciclo da Realidade.

  1. Tudo começa com um PENSAMENTO. Imagine que você pense: “está difícil encontrar um novo emprego nessa crise”.
  2. Esse pensamento gera um SENTIMENTO. Provavelmente um sentimento ruim como desânimo ou medo. Que impacta 2 coisas: SEU COMPORTAMENTO e SUA VIBRAÇÃO.
  3. Vamos falar do COMPORTAMENTO primeiro. Se você pensa que é difícil encontrar um novo emprego nessa crise, ficando desanimada, é bem provável que você nem se empenhe para buscar uma nova oportunidade de emprego. Afinal… está muito difícil encontrar um nessa crise. Então você age de forma conformista, sem se preparar de verdade e dar o seu melhor para encontrar e conquistar uma nova oportunidade. E dessa forma, realmente você comprovará o que você acredita e terá dificuldades para encontrar um trabalho.
  4. Falando sobre a VIBRAÇÃO com base na física quântica. Dependendo do seu nível emocional, você emite sua frequência vibratória em um determinado grau (baixo ou elevado). Quanto mais você se sente melhor, mais poderosa é a sua vibração e o seu poder de influência no mundo externo para atrair facilidades, facilitadores e soluções para você atingir o que você quer.  Mas quando você se sente desanimada, triste, com medo, culpada, com raiva… as ondas de energia que você emite são fracas e as respostas positivas podem demorar a vir ou nem mesmo vir. E suas ondas entrarão em sintonia com o seu pensamento de que está muito difícil de encontrar emprego nessa crise, criando então essa REALIDADE.
  5. Ao viver essa REALIDADE resultante do seu comportamento e da sua vibração, o pensamento inicial de que “está difícil encontrar trabalho nessa crise” se reforçará mais ainda. E assim o CICLO se repetirá: PENSAMENTO –> SENTIMENTO –> COMPORTAMENTO/VIBRAÇÃO –> REALIDADE –> PENSAMENTO –> e por aí vai… Até que você decida pensar, sentir e agir de uma maneira diferente! Então reflita…
    O que você quer vivenciar? Crise ou oportunidades?

Erro #8: Não fazer perguntas no momento da entrevista

A entrevista não é somente para a empresa te conhecer, mas também para você conhecer a empresa, os valores dela, a função.

Aproveite o momento em que o entrevistador te dá para fazer perguntas e questione sobre a cultura, a forma de trabalho, a área, os desafios, os líderes, oportunidades, as expectativas.  Isso é importante, pois é uma relação em que a empresa tem que gostar de você, mas você também tem que gostar do que é proposto. Dessa maneira você vai trabalhar com vontade e motivação, agregando valor para a empresa.

Foque no seu desenvolvimento de carreira e em uma empresa que está alinhada ao que é realmente importante para você, aos seus reais “porquês”. Não pense somente em “será que eles gostaram de mim?”, mas se pergunte “será que eu gostei dessa proposta?”.

Erro #9: Não se autoconhecer

O que você tem de ótimo? / Eu sou legal!

Se você não sabe quem é você, como você saberá se apresentar verdadeiramente para o entrevistador?

Para você conseguir um trabalho que realmente faça sentido, você precisa se autoconhecer para então focar em um emprego que dê “match” com os seus valores, pontos fortes, visão de mundo e paixões. De nada adianta conseguir um novo emprego em uma função repetitiva e operacional, se você é uma pessoa criativa e dinâmica. Isso só vai gerar frustração.

Além disso, quando você se apropria verdadeiramente da sua trajetória com aprendizados, você conseguirá transmitir tudo que citamos acima com facilidade e naturalidade.

Colocando em prática…

Essas foram as 9 dicas que, se você seguir, já vão te ajudar muito a conseguir um novo emprego. E por que estou compartilhando tudo isso? Como disse no início do texto, acredito que todas pessoas merecem viver uma vida extraordinária e ter realização profissional! Afinal passamos a maior parte do nosso tempo, trabalhando. Sinceramente eu acho que o mundo seria melhor se mais pessoas soubessem essas sacadas de currículo, LinkedIn, entrevista, mentalidade e inteligência emocional.

Aqui dei uma introdução de como isso pode te ajudar.  Mas se você quiser realmente conquistar o trabalho dos sonhos de uma forma rápida e eficaz, eu e a recrutadora Luana temos um convite muito especial para te fazer! Nós criamos um Workshop super completo que ensina passo a passo como você se preparar e finalmente conquistar um novo emprego. Chega de dificuldade! Para saber mais, acesse aqui.

Imagem: Pexels


Agora que você já sabe como conquistar um novo emprego, que tal ajudar uma pessoa no Clube?

@ load more