Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Como fiel leonina e amante da espiritualidade que sou, vivo sempre em conflito comigo mesma. Em alguns momentos da minha vida algo me impulsiona a ser totalmente desapegada da matéria, enquanto que em outros eu estou sempre na frente do espelho, ou com a câmera do celular voltada para mim buscando algo que eu possa melhorar ou admirando algo que eu goste em mim.

Vez ou outra eu tenho uns insights, e me dou conta do quanto é ruim para a minha saúde mental viver tão apegada a redes sociais, fotos, produção, maquiagem, consumismo e etc. E aí eu tenho aqueles surtos básicos de ódio ao sistema, acho que estou me deixando levar junto com a grande massa, acho que estou pensando dentro da caixinha, que estou dormindo na Matrix, que estou alienada, longe da iluminação, ou qualquer coisa do tipo e minha vontade é correr para o meio do mato, largar tudo isso aqui, viver da minha arte ou de caças e pescas, mas aí eu caio na real e lembro que eu não fazer nenhuma arte, há não ser, aquelas que a nossa mãe diz: “Vai se machucar fazendo arte, menina”… E me dou conta também que se tem uma coisa que eu não saberia fazer, é caçar e pescar, uma vez que eu estou tentando virar vegetariana e eu tenho muito apego aos animais.

Mais uma vez eu caio na real e percebo que a coisa certa a se fazer é buscar um meio termo em meio a tudo isso, um equilíbrio.

E percebo que não há nada de errado em ter vaidade, e que isso não me afasta da espiritualidade.

Muitas pessoas me questionam como eu posso falar tanto sobre espiritualidade, e ao mesmo tempo ser uma pessoa tão vaidosa. Me perguntam se não é contraditório, e eu já me perguntei e me culpei sobre isso tantas vezes, que como sempre o universo deu um jeito de trazer a resposta até mim.

E a resposta é NÃO, não é contraditório e uma coisa não suprime a outra. A questão nisso tudo, é que a palavra vaidade sempre foi atribuída a coisas negativas, inclusive está entre os sete pecados capitais. Mas a vaidade não precisa necessariamente ser algo ruim. Pra mim, a falta da vaidade pode ser algo ruim quanto o excesso, uma vez que ela está ligada ao amor próprio, e é impossível alcançar a iluminação sem aprender a amar a si mesmo, uma vez que você sou eu e nós formamos o todo. Compreendem?

Quando vamos buscar o significado de vaidade no dicionário, primeiro vem o significado negativo, e depois outras opções de ações que também podem ser atribuídas à palavra.

1. qualidade do que é vão, vazio, firmado sobre aparência ilusória.

2.valorização que se atribui à própria aparência, ou quaisquer outras qualidades físicas ou intelectuais, fundamentada no desejo de que tais qualidades sejam reconhecidas ou admiradas pelos outros.

Agora imaginem o quanto o conflito e a cobrança crescem quando, além de espiritualista eu sou feminista. É complicado demais, porque a sociedade sempre vai impor regras para nós, “se você for isso não pode fazer aquilo, se você se dizer X não pode fazer Y”, e isso só dá margem para cobranças, preconceito, julgamentos e etc. O que eu prego é que cada um tem que fazer o que quiser, e o que te faz bem, contanto que não ultrapasse e nem desrespeite o espaço do outro.

Obviamente quando começamos o nosso despertar espiritual, começamos a entender que as coisas mais valiosas não são materiais, começamos a entender que devemos dedicar mais tempo ao nosso interior, e entendemos que não julgar o outro por ele fazer escolhas diferentes da nossa não é o caminho.

Quando nos tornamos feministas entendemos o quanto as mulheres são escravas da indústria de beleza, o quanto são forçadas a seguir padrões, o quanto são julgadas se decidirem agir diferente das regras que criaram para elas, o quanto lucram as nossas custas, e o quanto exploram o nosso corpo. Portanto parar de servir a indústria de beleza, parar de seguir rótulos e parar de fazer procedimentos que segundo a sociedade toda mulher tem que fazer, é um grito de liberdade e autonomia. É uma forma de dizer que não vamos mais servir a ninguém, que ninguém mais vai lucrar como o nosso corpo.

Porém aí se cria outra ditadura…

“Se você é feminista é obrigada a parar a depilação já, senão vai contribuir com a opressão das mulheres. tem que parar de usar maquiagem. Se você é espiritualista, tem que parar de comer carne agora! Não pode ficar em hotel de luxo, tem que acampar…”

E por aí vai.

O que as pessoas não entendem é que só vamos evoluir quando entendermos que ainda não vivemos em um mundo que nos propicia viver de uma forma tão simples, aliás, ele meio que obriga alguns a viverem de forma simples, enquanto outros vivem no luxo, mas ainda não é possível vivermos de forma confortável sem poder aquisitivo, uma vez que qualquer coisa básica para a nossa sobrevivência hoje em dia custa uma moeda de troca. E também não é possível abandonarmos completamente os costumes antigos, uma vez que somos produtos do meio e dependemos da aprovação de algumas pessoas para conquistar alguns objetivos, como por exemplo, o mercado de trabalho.

Nós podemos encontrar um equilíbrio em meio a tudo isso, ser vaidoso, mas respeitar as diferenças alheias e desapegar de padrões, ser conectado a redes sociais, mas não se esquecer de sentar à mesa com a família para fazer uma refeição e bater aquele papo gostoso, ser feminista mas não se sentir obrigada a deixar de fazer qualquer coisa que te faça bem para não “trair o movimento”, ser espiritualista e gastar muito dinheiro e conquistar vários bens, mas sem esquecer de trabalhar o seu interior e dividir o que tem com os que carecem, seja amor, tempo, atenção, dinheiro, bens. O segredo é unir bem estar, consciência e empatia.

E o passo principal para tudo isso é não julgar o outro, e sim focar no seu trabalho aqui, na sua missão, naquilo que você acredita, porque nós nunca vamos saber o que se passa na cabeça e no coração do outro principalmente através das redes sociais, uma vez que você julga o outro e se considera superior a ele, você está se afastando a sua evolução espiritual. E julgar uma mulher pelo que ela faz ou deixa de fazer, te aproxima do machismo mesmo você sendo uma mulher também (afinal o que mais tem por aí é mulher que reproduz machismo).

Então pouco te importa se fulana é feminista, mas se depila dos pés à cabeça, pouco te importa se cicrana é espiritualista mas, anda de iPhone, isso não diz nada sobre ninguém. O espiritualismo nos ensina que uma vez que você para de julgar o outro e foca em fazer o bem, se conecta ao amor divino, e faz a sua parte, a sua energia começa a se expandir, a sua áurea começa a aumentar e a vibrar em frequência elevadas, criando uma egrégora com aqueles que estão sintonizados a mesma energia que você e atingindo os que estiverem ao redor trazendo eles para a mesma frequência. Ou seja, a melhor forma de melhorar o mundo, é melhorando a você e parando de julgar o próximo.

O mundo precisa de muita conscientização, o mundo está cheio de gente fútil e egoísta, precisamos entender sempre o porquê de nossas ações, e se estamos atingindo alguém de alguma forma fazendo aquilo, precisamos de senso crítico para entender os impactos que aquilo pode causar indiretamente em outras pessoas, mas nunca devemos deixar de fazer aquilo que nós faz bem, porque nos sentimos obrigados, pressionados de alguma forma.

Não vamos sair de um padrão, de uma ditadura, e criar novos.

Não adianta parar de se depilar para se sentir livre, e achar que essa é a sua nova obrigação e também que outras mulheres devem seguir o mesmo passo, assim se cria uma nova escravidão, não adianta começar a desenvolver o seu lado espiritual e esquecer que você ainda vive na terra, uma dimensão densa, constituída de quem ainda é um ser humano, com defeitos, hábitos e que está aqui para se tornar melhor.

A regra é não ter regra, e nem obrigar ninguém a seguir nenhuma regra, contanto que respeitemos e não firamos a nós nem ao próximo, podemos seguir com o coração em paz.

Seja feminista, espiritualista, acredite em Deus, em estátua, seja recatada, seja gorda, seja magra, faça dieta, deixe seus pelos crescerem, vire vegana, se depile, faça procedimentos para tirar estrias e celulites, coma sem medo de ser feliz, se preocupando somente é claro com a sua saúde vital, e mandando um foda-se para a estética.

Pare de comer animais e derivados, se a sua condição assim permitir, pare de usar produtos testados em animais. Raspe a cabeça, deixe o cabelo crescer até a bunda, pinte de rosa, de azul, vá malhar todo dia na academia, nunca pise numa academia se não te faz bem.

Procure outros métodos para cuidar do seu corpo, faça limpeza de pele, use maquiagem, não use maquiagem, deixe suas marcas de expressões aí, não mecha nelas. Alise seu cabelo, deixe seu cabelo crescer natural, seja o que você quiser ser, só deixe que os outros também sejam o que eles quiserem.

Não encha o saco de ninguém e deixe o outro viver em paz!

Imagem: Pexels

@ load more