Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Nos vemos envolvidas em várias argumentações, polêmicas, e nos desconstruímos diariamente, e àqueles ao nosso redor. Tudo isso é parte do feminismo, tudo isso é parte da militância na qual mergulhamos sem pensar.

O feminismo é uma colcha de retalhos, cada pedaço dessa colcha é costurado por uma luta diferente. Em sua essência, o feminismo é um só. Ele é a luta pela igualdade social, política e econômica entre os sexos. Só há duas razões pelas quais o feminismo pode ser rejeitado, ou você não o entende ou você é a parte da sociedade que perderá privilégios com ele. E isso precisa ser entendido. Você não precisa ser reativa à ele. Não há motivo. Percebe?

“Mas eu acho exageradas certas problematizações.”

Claro que você acha, meu anjo. E qualquer pessoa que tenha nascido nessa mesma sociedade corre o risco de achar também. Principalmente se você for homem, mas também se for uma mulher. Afinal quem retém o privilégio é por ele posto em uma posição de superioridade. E quem é vítima dele, foi ensinada a achá-lo normal.

Então sim, você pode achar exagero. Mas pode aprender a enxergar uma outra perspectiva, não é? Fomos criadas para achar que está tudo bem. E não está! Esse momento é de luta. De tentarmos nos desvencilhar de uma sociedade tão endurecida por padrões e refém de construções sociais.

feminismo - 2

Precisamos cultivar nosso raciocínio autônomo. Claro que em algum momento, você pode e provavelmente vai questionar o que é dito à você. Mas questionar é bom. Questiona mais que “tá” pouco. Isso é parte fundamental do processo de amadurecimento. Esse é o nosso momento. É agora!

Faremos o quê? Ficaremos olhando e reclamando que o mundo está muito chato? Ou lutaremos, as nossas lutas e as das outras também? Eu espero estar fazendo parte desse momento. Eu espero encontrar um mundo melhor, em breve.

“A dor de ninguém é menor do que a minha, são apenas DIFERENTES.”

Somos parte de um mesmo barco, e já passou da hora de entendermos isso. Somos mulheres tentando derrubar um gigante: O patriarcado e suas garras cruéis. E dentro dessa luta, temos outras batalhas que nos ajudarão a vencer a guerra. Mulheres negras, brancas, TRANS, lésbicas, mães, indígenas, nordestinas…

Todas essas mulheres travam batalhas diárias e específicas. Precisamos conversar sobre essas diferenças. É necessário que nos entendamos, nos coloquemos nos lugares das outras. Ao invés de nos acusarmos ou nos menosprezarmos por não conhecermos, uma a realidade da outra. Por exemplo, eu sendo uma mulher branca, não saberei o que é ser uma mulher negra nessa sociedade. Entende?

É normal que você não entenda, e primordial que você respeite o lugar de fala. Eu não preciso me sentir ofendida por não saber algo que eu não experiencio. Eu apenas abro meu coração e ouvidos, para ESCUTAR, entender. Não falaremos de realidades que não conhecemos mas ajudaremos aquelas que as vivem, a falar, se impor e gritar. Seguiremos nos ajudando e sendo um apoio, umas paras as outras.

View this post on Instagram

Vamos esclarecer as coisas 🧐

A post shared by Superela (@superelaoficial) on

Repete comigo: Há diferentes tipos de dor.

Repete comigo, de novo: Nenhuma dor é menor do que a minha, são apenas DIFERENTES.

Não ache que tudo é “estardalhaço”, problematização desnecessária e “exagero”. Talvez seja desnecessário pra você, mas você já parou pra pensar em quantas realidades diferentes da sua existem? Pra outras mulheres é algo vivido diariamente. Mesmo que haja “exageros”, segundo a sua percepção, entenda que eles estão aqui para nos libertarem. É tudo exagero porque nós sempre fomos EXAGERADAMENTE OPRIMIDAS.

Tá na hora disso tudo ter fim!

Não tema o feminismo. O entenda. Uma vez eu li, que todos os males precisam ser expostos, trazidos à superfície para poderem ser curados e é exatamente o que estamos vivendo agora. O que não era falado, agora é. Pode parecer que é exagero, mas acredite em mim, não é.

E algo que precisamos aprender enquanto militantes: Não ataque outras pessoas por não saberem da sua dor, OU NÃO VIVEREM A MESMA DOR DO QUE VOCÊ. Tente trazê-las à reflexão. Se exponha para elas, as faça compreender. Não é fácil, claro que não é.

Ninguém disse que seria…

Imagem: Fotos Públicas

@ load more