Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

O principal problema que as pessoas têm com o feminismo é que elas acreditam que a prática significa odiar os homens (ou então que é mimimi). Não é bem assim que funciona. Feminismo significa que homens e mulheres são vistos e tratados como iguais em todas as áreas da sociedade (do trabalho até a vida em casa) e que elas têm direito sob o próprio corpo tanto quanto eles.

Parece que o feminismo é uma ideia muito distante, de ‘gente que não entende muito bem das coisas’ (a gente ouviu esse argumento), mas é muito mais próximo do que qualquer uma de nós imagina. Ele é importante quando alguém critica a roupa de uma mulher por ser ‘curta demais’, quando você se sente mal porque ninguém dá atenção para o que você fala em uma reunião de trabalho e até quando você precisa lidar com comentários como ‘mulher não sabe dirigir’ na festa da família.

O objetivo, portanto, não é odiar os homens – como tantos dizem por aí -, mas sim dar às mulheres a representatividade e o respeito que elas merecerem simplesmente por serem seres humanos tanto quanto o sexo oposto. É que muita gente ainda não entende essa cultura de desigualdade e não repara o quanto ela é presente na nossa rotina.

Então, como ser mais feminista no dia a dia, sem cair nessa falácia de que a meta é odiar os homens?

É simples, dá para começar assim, ó:

1.Use o que você tem vontade

É comum você adaptar a roupa que você veste para a ocasião: ir na casa dos pais, no trabalho, almoçar com os sogros, na escola…Até para sair na rua. E por mais que seja super ok você escolher um look segundo ocasiões específicas – não dá para usar jeans num casamento, né? – é um fato que a gente mede muito o que vai vestir segundo a opinião dos outros, principalmente dos homens (a tal da divisão entre mulher para transar e para casar). O que queremos dizer com isso é: use o que quiser. Não crie desculpas para um comportamento nocivo dos outros. Use as roupas que você gosta, da forma que quiser, quando quiser. O corpo é seu e nada justificada a falta de respeito alheia. É aquela coisa, seu corpo suas regras.

E só pra reforçar: saia curta não é justificativa para assédio ou estupro.

2.Seja assertiva no ambiente de trabalho (e defenda a sua opinião)

Enquanto os homens assertivos são altamente elogiados e normalmente recebem mais respeito no local de trabalho, as mulheres que agem da mesma forma são vistas de forma negativa: elas são ‘mandonas’, ‘briguentas’ ou ‘muito sensíveis’ e ’emotivas’.

É fácil ver essa diferença de tratamento ao pedir por um aumento um salário, por exemplo. Os homens normalmente ganham mais do que as mulheres, porém, aquelas que tentam pedir por um aumento de salário são vistas como ‘menos amigáveis’. Os homens, claro, não passam por isso.

Portanto, seja firme nas suas opiniões e nos seus posicionamentos. Não deixe de usar a sua própria voz por conta de uma cultura machista que vê a mulher historicamente como inferior ao sexo masculino. Só assim incentivamos uma mudança. Essa assertividade, claro, precisa ser profissional e contextualizada, e lembre-se de não faltar com o respeito no ambiente de trabalho (ou em qualquer  lugar, na verdade). Só porque os outros agem dessa maneira não significa que você deve fazer o mesmo.

3.Pare de pedir desculpas

Existem estudos que comprovaram que as mulheres pedem mais desculpas do que os homens. Isso porque toda essa cultura machista que a gente vive nos faz acreditar que as mulheres estão erradas com mais frequência do que eles e, por isso, a gente precisa se desculpar mais vezes também.

Se você, de fato, estiver errada ou então se magoou alguém, é obvio que você deve se desculpas, independentemente do gênero. Porém, você não precisa fazer isso quando diz não à alguma coisa (afinal, você não deve nada a ninguém) ou quando você chora em público ou se sente emotiva por algum motivo.

4.Seja gentil com você mesma (assim como com todo mundo)

Você não fala mal das pessoas do nada, certo? (ou, pelo menos, não deveria) Nós aprendemos a ser gentis e carinhosas com as outras pessoas, mas na hora de fazer a mesma coisa com nós mesmas…São outros 500. Por isso é tão difícil aprendemos a amar o nosso corpo. O que você pode fazer para mudar isso, então? Começar a ser igualmente gentil com você mesma. Você pode usar essas frases de amor próprio para começar, e aí é só uma questão de seguir com carinho esse caminho de autoconhecimento para descobrir o que você tem de melhor e passar a se tratar bem.

5.Apoie as suas amigas

Troque o julgamento pelo apoio. Ao invés de criticar as escolhas das suas amigas (seja de roupa, de dieta ou até de carreira), mostre o seu apoio e faça com que elas entendam que você sempre vai estar do lado delas para o que precisarem. Essa é a base da sororidade: mulheres que se apoiam mutuamente e que não se veem como rivais.

6.Assita filmes com mulheres poderosas

Precisa se exemplos de mulheres incríveis? O cinema está cheio de filmes com protagonistas fortes e que podem ser fontes de inspiração incríveis para você. A gente até fez uma lista com filmes clássicos que ninguém imaginava que eram feministas, mas são totalmente girl power!

Como a gente muda uma cultura que vê as mulheres como diferentes? No tapa? No grito? Claro que não! Observando e adaptando o nosso próprio comportamento e forma de pensar para mostrar que existe um outro jeito. Não aceitando mais que nos diminuam e educando, principalmente, as pessoas sobre o quanto nós também merecemos respeito. É de pouquinho em pouquinho, entende? Começa no que você diz para si mesma quando se olha no espelho e vai até onde a gente alcançar (ou seja, qualquer lugar!).

Imagem: Reprodução

@ load more