Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Conheça esses gatilhos mentais e fique atenta para não ser enganada por si mesma!

Já aconteceu com você de você ir ao shopping fazer compras quando está triste, horas depois sair de lá carregada de sacolas e quando chega em casa se arrepende? Ou você comprar produtos pagando no cartão de crédito e quando chega a fatura você toma um susto e não sabe como pagar?

Se você se identificou com algumas dessas perguntas você pode ter um perfil consumista.

Eu mesma já passei por isso – quem me segue no Instagram ou no YouTube sabe um pouco desta história, mas caso você não saiba resumo aqui para você.

Antes de me formar em contabilidade e educação financeira eu adorava o usar cartão de crédito!

Todos os finais de semana eu ia ao shopping com a desculpa que era para passear, mas quando chegava e via aquelas lojas com etiquetas de promoção, aquele som alto para chamar a atenção, entrava uma espécie de transe e quando caía em mim eu já estava com muitas sacolas na mão.

Acontece que quando eu estava triste ou quando discutia com meu esposo por algum motivo eu ia lá e comprava alguma coisa. Naquele momento da compra eu me sentia muito bem e feliz, mas ao chegar em casa eu me perguntava: por que comprei isso se não estava precisando? Mas não adiantava me arrepender – já tinha passado o cartão e tinha que pagar a fatura!

Depois de um tempo descobri porque eu agia assim: Eu tive dois abortos e por conta disso eu tinha raiva do meu corpo, raiva por não poder gerar um bebê. Eu só chorava e para essa tristeza passar meu refúgio era ir ao shopping gastar.

Então é muito importante que você veja o que te leva a comprar mesmo sem precisar: pode ser a autoestima, uma perda ou um trauma. E mesmo que você não esteja passando por isso, os gatilhos mentais podem influenciar você a comprar – mesmo sem querer!

Nosso cérebro é dividido basicamente em duas partes principais, uma responsável pelos sentimentos e outra responsável pela razão. Acontece que a grande maioria das decisões que tomamos no dia a dia parte da área sentimental do cérebro, e depois as decisões são afirmadas com a área racional dele.

Confira abaixo cinco gatilhos de consumo – o quinto é o pior!

Gatilhos mentais que fazem você comprar:

1. Gatilho da Escassez

As pessoas costumam dar mais valor àquilo que é raro ou escasso. Pense, por exemplo, em uma situação de escassez que envolva na compra restrições à quantidade que cada cliente pode levar, ou quando você clica em comprar uma calça em uma loja online fica aparecendo que é a última peça. Muitas vezes isso não é verdade, e sim uma estratégia para que você compre aquele item. Como eu caí nessa!

Lembro-me que uma vez fui comprar um vestido, ele estava muito caro e eu estava naquela indecisão pensando se compraria ou não, quando a vendedora disse que era a última peça e que desse vestido a loja não faria mais pedidos. Aí não pensei duas vezes e fui lá correndo passar o cartão de crédito!

2. Gatilho da Novidade

Quem não gosta de novidades? A ciência explica esse fato em termos neurológicos: quando somos expostos a uma novidade, há um aumento na liberação de dopamina no cérebro. E é esse neurotransmissor que traz para o nosso corpo a sensação de recompensa.

Conclusão: é exatamente essa sensação única de prazer que a recompensa desperta em cada um de nós que nos motiva, de maneira voluntária (e até mesmo involuntária), a procurá-la sempre e sempre mais.

3. Gatilho da Prova Social

Seja sincera, você já se fez a seguinte pergunta: “Por que todo mundo está fazendo isso?” O gatilho da prova social está ligado diretamente ao que a maioria das pessoas está fazendo. Por exemplo, ao ler as frases “O produto A já vendeu mais de 1000 mil unidades em apenas uma hora!” e “Mais de 1000 pessoas estão satisfeitas com o produto B!”, elas no mínimo despertaram a sua curiosidade para experimentar os produtos A e B, e saber de uma vez por todas porque todas essas pessoas compraram e ficaram satisfeitas com eles.

4. Gatilho da Exclusividade (“Não é para qualquer um”)

Sabemos que as pessoas gostam de se sentir especiais e exclusivas. Posso comparar isso com o iPhone – quando a Apple o criou, teve como propósito da marca fazer com que os usuários se sentissem parte de algo diferenciado, ou seja, algo único e exclusivo.

Quando as empresas utilizam este gatilho, muitas vezes a pessoa impactada pela propaganda, mesmo sabendo que não tem condições de pagar por aquele produto ou serviço, ainda sim realiza a compra e paga por aquele sentimento de se sentir única – isso eleva o ego, mas quando a conta chega, como pagá-la?

Eu tive essa experiência: me lembro que uma vez fui a um salão de cabeleireiro muito conhecido, eu acreditava que ele era para um grupo seleto de pessoas – não era para qualquer um – e em apenas uma hora eu gastei todo o meu salário! Mas naquele momento eu me senti única.

5. Gatilho da Reciprocidade

Acredito que você já tenha ouvido falar que gentileza gera gentileza correto? O segredo desse gatilho é saber que existe uma naturalidade em querer sempre retribuir o ato generoso de alguém. Quem nunca passou pela seguinte situação: seu amigo chamou você para jantar na casa dele, e logo você sentiu que precisa retribuir, não é mesmo?

Cada vez mais os especialistas em marketing estão estudando o nosso cérebro, pois eles sabem que muitas vezes agimos de forma emocional. Quero deixar claro para você que não sou contra o marketing, pois como eu disse já comprei muito por causa desses gatilhos mentais, e depois de começar a estudar muito sobre o tema sei muito bem quando estão utilizando.

Mas antes de você sair comprando você deve se perguntar se realmente está precisando daquele produto, e na dúvida não compre na hora – deixe para o dia seguinte e se não for algo importante você nem vai se lembrar. Não se deixe agir pela emoção e mantenha sempre seu autocontrole, pois só assim você conseguirá ter uma melhor organização das suas finanças.

Espero você no próximo artigo!

@ load more