Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

“Amo essa blusa, mas quase não uso. To esperando o melhor momento.”

Não sei você, mas eu tenho aquelas peças que deixo pra usar em ocasiões especiais. Sabe aquele vestido novo que você namorou na vitrine por semanas e agora que comprou precisa de um dia especial para usar? Então! Pensa comigo, quantas peças assim você tem no guarda-roupa?

Deixa eu adivinhar? Muitas!

Esse comportamento é comum à grande parte das mulheres. Fazemos isso porque entendemos que o importante é se vestir de acordo com a ocasião. Um dia alguém falou que não é preciso se arrumar muito só para ir ali no cinema. Nem que um aniversário de família é digno da sua melhor roupa. Dizem por aí também que você não precisa vestir algo legal só para trabalhar. Aliás, quando se trata de trabalhar, você não tem que “gastar as suas roupas de sair”, até porque o foco é ser produtiva e passar uma imagem legal. Resumo da ópera: na maioria das vezes você não usa nada muito especial. Chato, né?

É importante pensar que o processo de se vestir vai além de colocar uma roupa

Esqueça essa ideia de que você precisa se vestir de acordo com a ocasião ou para passar uma boa impressão. A regra da “primeira imagem é o que fica” não está com nada. Ela só serve para criar barreiras mentais – e se tem uma coisa que nós não precisamos é de mais barreiras! Por isso, sugiro uma reflexão rápida sobre o que exatamente significa se vestir.

Há décadas que a gente interpreta a moda como uma “ditadora”, que diz o que a gente deve usar, quando, na verdade, ela é uma peça-chave na construção e compreensão da personalidade. A influência da moda vai além do vestuário e está diretamente ligada às noções de identidade, emoções e diferenciação.

Mais do que se vestir, estamos falando de se pertencer!

Eu tenho que me vestir para mim porque sou eu que vou viver comigo pra sempre. Eu sou eu a prioridade. Eu preciso me sentir bem. Eu tenho que acordar e escolher ir na padaria usando o meu vestido novo – que namorei por meses na vitrine e trabalhei duro para comprar – pelo simples fato de que eu quero.

Claro, o sentimento de pertencimento e a vontade de impressionar o outro é parte do ser humano. Mas isso fica em segundo plano. Quando você muda a forma de pensar e realmente se veste para você, não tem essa de guardar roupa bonita pra dia especial. A medida que aprendemos a sentir mais e cagar menos regra – inclusive na moda – a vida vai ficando mais leve. Experimente! 🙂

Imagem: Pexels

@ load more