Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Quando penso em quais motivos para tantas pessoas terem autoestima baixa, penso no motivo mais óbvio: nas cobranças que recebemos diariamente e comparações com padrões que vemos nas mídias: ser magra, alta, loira, boa mãe, boa esposa, boa filha, funcionária bem vestida, entre outras características.

Tenho que admitir que já estamos experimentando mudanças, apesar do cenário muitas vezes desfavorável na política, por exemplo.

A mulher negra já encontra representatividade nos jornais, novelas e comerciais. Veja só que avanço! Uma das mulheres mais elegantes do mundo é Michelle Obama. Temos Maju Coutinho e Heraldo Pereira como apresentadores em telejornais da emissora com maior ibope do país.

Também nunca se falou tanto em homofobia, racismo, feminicídio, gordofobia, xenofobia… Tem que ser falado, tem que ser discutido. Não pode ser um assunto proibido.

Através de discussões, evoluímos enquanto indivíduos e enquanto sociedade. Dessa forma, acredito que a cada dia os preconceitos vão se tornando cada vez mais sem sentido, mesmo que este seja um processo lento e mesmo que, infelizmente, alguns nunca vão evoluir nesse sentido.

Esse é um processo inevitável da sociedade. Chegamos até aqui e não há como regredir. Aceitar e respeitar o outro em suas diferenças, tornou-se algo básico em nossa convivência.

Porém a aceitação de si próprio, com seu corpo do jeito que está ou é, sua sexualidade em toda sua complexidade, sua personalidade, é um processo interno.

A importância do autoconhecimento na autoestima

Um processo de autoconhecimento, que envolve pensar e refletir sobre você, sem se comparar ou julgar, é extremamente importante. Assim você poderá conhecer e potencializar suas qualidades: o que te torna única, o que você tem de mais poderoso, quais suas verdades, seus valores?

Também faz parte desse processo pensar sobre seus pontos a melhorar. O que você precisa buscar: um curso, uma habilidade… O que te falta? O que pode ser melhorado para te fazer bem? Quais áreas de sua vida merecem atenção?

E se quer mudar, quais motivos? É algo que você quer por você ou é algo que te está sendo imposto? Por exemplo, você quer emagrecer por causa da sua saúde, sua autoestima ou por padrões?

A decisão será sempre sua, mas entender os reais motivos é importante.

A partir do momento que você se conhece você se fortalece.

Autoestima

Esse é o ponto de partida para desenvolver uma autoestima
forte e empoderar-se.

A cilada da comparação 

Outro ponto é o julgamento e a comparação.

Quando comparamos nossa vida ou nos comparamos com outra pessoa, julgamos que a vida do outro seja só aquilo que está sendo mostrado. Cada um tem sua história de vida e seus problemas.

Ninguém sabe o que aquela pessoa com sua vida “perfeita” passou para chegar onde está. Talvez se soubéssemos não iriamos mais idealizar aquela vida e valorizaríamos mais o que temos. Talvez a vida daquela pessoa não seja tão “perfeita” assim afinal.

Além disso, em tempos de Instagram, onde as fotos muitas vezes não refletem a realidade, fica difícil saber o que é fake. É impossível competir com fotos com filtro.

Então, penso que a chave é reconhecer seus pontos fortes, buscar desenvolver os pontos que precisa melhorar e valorizar sua história sem se comparar. 

Estamos vivendo tempos de mudança. Que bom século para se viver! Quebras de padrões e paradigmas, lutas e conquistas. Eu acredito na nossa geração.

Então faz sentido também lutar por você, por sua valorização e autoestima. Lute por você acima de tudo. Empodere-se!

Imagem: Unsplash

@ load more