Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Saiba como infidelidade financeira pode destruir o seu casamento!

Acredite, os principais motivos dos divórcios não são brigas, traição ou fim do amor e sim, os problemas relacionados ao dinheiro.

Veja se você se identifica com esse exemplo: você vai até o shopping, compra aquele sapato que está namorando há meses, mas quando chega em casa, a fim de evitar brigas, esconde a sacola ou diz que foi a sua mãe quem deu de presente!

Por mais que a ideia seja evitar brigas quando a infidelidade financeira se torna um hábito, a sua relação pode sofrer ameaças.

É não é só isso, há casos também que o parceiro não sabe o quanto o outro ganha, mas a pergunta que fica é: por que você está escondendo?

Você esconde por que é sovina ou por que o seu parceiro gasta tudo?

Quando a gente fala em traição, ela atinge o nosso emocional, agora quando estamos falando em traição financeira, além do emocional, ela também é uma traição dos sonhos.

Minha experiência com a infidelidade financeira

Eu vou contar a minha própria experiência antes da minha formação em contabilidade.

Quando me casei, o sonho do meu esposo era comprar uma casa. Ele trabalhava dia e noite e tínhamos combinado que eu iria ajudá-lo, porém isso só ocorreu nos primeiros meses. Depois de um tempo eu tive um descontrole financeiro tão grande que perdermos a tão sonhada casa. De certa forma eu trai ele, pois lesei nosso projeto de vida, lesei também o quanto ele reservou de energia trabalhando para esse sonho. Não vou estender muito minha história pois o texto ficaria enorme.

Eu menti muito para ele, comprava no cartão e dizia que minha mãe tinha comprado, entre tantas outras loucuras que fiz!

Após me ver nesta situação e quase perder a pessoa que eu amava, decidi aprender sobre educação financeira. Comecei a fazer a faculdade de contabilidade e aí consegui enxergar o que de fato estava acontecendo dentro de mim ao comprar por impulso e ter a vida financeira desorganizada. A partir do momento que fiz esta busca interna, eu observei que tinham várias questões envolvidas como: autoestima, crenças sobre o dinheiro, pensamentos do tipo “para que guardar dinheiro se posso morrer amanhã?”.

Esta última ouvia muito quando criança. E por aí vai…

Após este processo de autoconhecimento, me tornei investidora e ajudo outras mulheres através mentorias a organizar suas finanças e também a se tornarem investidoras.

Só para você ter uma ideia, o assunto sobre infidelidade financeira é tão comum que já foi tema de uma pesquisadora da Universidade de Michigan nos Estados Unidos.

A pesquisadora acompanhou 373 casais desde o primeiro ano de casamento que tinham entre 25 e 37 anos, coletando informações ao longo de 24 anos. Durante esse tempo, 49% dos entrevistados então divorciados disseram que brigaram muito com seus parceiros por causa de perfis econômicos diferentes e diferentes mentiras sobre gastos.

Então, diante de tudo que foi falado, não deixe o dinheiro acabar com o seu relacionamento. Mantenha sempre o diálogo com o(a) parceiro(a), ou seja, seja transparente se as coisas estão indo bem, conte e celebre com o seu parceiro e também com a família. Agora, se as coisas estão indo mal, seja franco e conte também! Coloque isso na mesa para juntos tomarem uma atitude para ajustarem esta realidade.

Quando contei para você a minha história, em que “cometi” a infidelidade financeira, meu esposo trabalhou uma ferramenta emocional muito importante que foi o perdão. Houve um erro e a partir daquele momento eu estava disposta a mudar.

Apesar dele não ter esquecido, ele praticou o exercício psicológico de lembrar, mas decidiu não se importar mais com isso. E hoje o meu propósito de vida é ajudar empreendedores a ter mais lucros através da contabilidade, fazer mentorias e palestras sobre educação financeira. Compartilhei um pouco da minha história para que ela sirva de inspiração, para todas vocês. É possível sim, ter uma vida financeira organizada e próspera e se tornar uma mulher investidora!

Imagem: Reprodução / Gazeta do Povo

@ load more