Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Minha mãe sempre foi ligada em astrologia. Talvez não sempre, mas desde que eu tenho consciência sobre ela me recordo de ouvir a pergunta que ela fazia a qualquer pessoa que vinha a conhecer: qual o seu signo? Ou, então, quando queria parecer mais delicad,a a pergunta se revertida para: em que dia você faz aniversário? Ou: em que dia você nasceu? E suas variações.

Chegávamos a fazer jogos de adivinhações. Fulano acho que é de câncer porque está sempre com a mãe por perto ou então Sicrano deve ser de áries porque é muito “esquentadinho”. E assim nós íamos. Aquela sua amiga Letícia é exibida daquele jeito porque é de leão! E quando eu falava pela milésima vez que a coitada da Letícia era do signo de virgem, então, chegávamos a conclusão de que ela deveria ter um ascendente ou uma lua ou sei lá mais o que na casa de Leão. Sem dúvidas.

Por causa dessa nossa “mania”, se é que posso chamar assim, na ânsia de descobrir de qual signo o dito cujo era filho, acabamos brincando de analisar as pessoas. E tirando toda a parte mal falada da coisa, analisar as pessoas pode ser uma tarefa bem bonita de se fazer.

Qual é o problema em ter interesse na vida dos outros? 1

Não é de hoje que a vida do outro nos causa interesse. Não fosse assim, não existiriam facebook, instagram, reality show e até o nosso antigo Questionário – que, provavelmente, o pessoal mais jovenzinho não deve saber sobre o que se trata, mas aviso aos navegantes: ele era feito de papel! Não é uma loucura? Mas a verdade é que a gente gosta de observar o outro, de confabular, e porque não?, de fofocar sobre as pessoas.

Não sei em que momento da humanidade observar a vida alheia se tornou coisa feia, coisa de gente pequena, de gente que não tem o que fazer. Ter interesse no outro é mais do que natural, é óbvio, do contrário seria estranho, afinal de contas, nós, humanoides, somos uns bichinhos fantásticos, né não? E por isso o interesse só pode ser natural.

Acredito que enquanto nosso interesse estiver voltado para as pessoas, estamos no caminho certo, porque além de ter interesse na vida do vizinho, analisar o outro é, também, analisar a mim mesma. No momento em que eu “observo” alguém – entre aspas pra não dizer bisbilhoto – o centro, o parâmetro, a medida da análise sou eu. Cláudia é muito calma, né?! Muito calma em relação a quem? Em relação a essa bisbilhoteira aqui, obviamente.

Qual é o problema em ter interesse na vida dos outros? 2

Desejo que a gente não perca essa mania feia. Essa palhaçada de perguntar sobre a vida alheia. Essa pequenez de cuidar do outro. Essa cabeça desocupada com espaço de sobra pra vida da amiga, pra vida da irmã, pra vida da tia e até daquele desconhecido que passa na rua.

Por falar nisso, você viu o que aconteceu com o Ricardo? Terminou relacionamento, coitado. Deve estar bem chateado porque ele é super sensível. E você viu a Laura? Arrumou um emprego lá em Nova York… Mas, pensando bem, vamos mudar de assunto. O que foi aquela confusão no BBB?

Imagem: Pexels

@ load more