Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

A construção de um mundo mais tolerante e diverso começa na infância e dentro da nossa casa. Crianças são folhas em branco e cabe a nós, adultos, passarmos valores, princípios e o respeito ao próximo e as suas diferenças.

A leitura na infância colabora na formação de cidadãos mais conscientes e críticos e a influência de pais e educadores nessa fase da vida é imprescindível. Como mãe e leitora voraz, estou sempre à procura de livros que possam contribuir para o debate acerca da diversidade e o combate de estereótipos.

Segue algumas sugestões de livros infanto-juvenis que possibilitam diálogo sobre novas formas de enxergar o mundo!

Livros infanto-juvenis que debatem a diversidade e o respeito:

livros infanto-juvenis

1. Menina bonita do laço de fita – Ana Maria Machado

Um coelho branquinho fica encantado com sua vizinha, uma linda menina negra que usa lindos laços de fita nos cabelos escuros. O coelho tenta de tudo para ficar igual a menina: se pinta com tinta preta, toma um monte de café, come jabuticabas e nada resolve. Sua saga termina quando ele se apaixona por uma coelha pretinha e com ela tem muitos filhotes de várias cores.

2. Até as princesas soltam pum – Ian Brenman

Laura é uma garotinha muito curiosa. Uma das questões que mais a intriga é saber se as princesas soltam ou não pum. Ela recorre ao pai para solucionar essa dúvida, que, por sua vez recorre ao antigo Livro Secreto das Princesas e encontra a confirmação: Sim! Rapunzel, Branca de Neve, Cinderela e até a Pequena Sereia soltam pum.

3. Flicts – Ziraldo

Editado em 1969, o livro conta a história de uma cor “diferente”, que não consegue se encaixar no arco-íris, nas bandeiras e em lugar nenhum, e que ninguém, a princípio, reconhece seu merecido valor. Flicts vai se conformando que “não tinha a força do Vermelho, não tinha a imensidão do Amarelo, nem a paz que tem o Azul”.

Ziraldo presenteia o leitor com uma fantástica mensagem de caráter e respeito, dando a entender que todas as pessoas, por mais diferentes que sejam, possuem seu lugar no mundo. E Flicts também encontra seu lugar: na Lua.

4. Tudo bem ser diferente – Todd Parr

Sucesso nos Estados Unidos e recentemente no Brasil, esse livro aborda de maneira lúdica e descomplicada questões importantes como preconceito racial, adoção, separação dos pais e deficiências físicas.

5. Frida – Jonah Winter

Uma iniciação ao mundo colorido da famosa pintora Frida Kahlo, ícone feminista e uma das pintoras mais importantes do século XX. A biografia conta a trajetória de luta, superação e arte da artista: como ela aprendeu a pintar e como a pintura salvou sua vida, após um trágico acidente que deixou sequelas para sempre.

6. O Menino de Vestido – David Williams

A vida de Dennis não é nenhum mar de rosas: ele foi abandonado pela mãe, não se entende com o irmão, o pai está deprimido e, para piorar, há uma regra em casa que proíbe abraços. Só duas coisas o fazem feliz: jogar futebol e olhar vestidos bonitos. Ele é o atacante do time do colégio e adora a revista Vogue.

Durante uma detenção, Dennis conhece Lisa, a menina mais bonita da escola e que também se interessa por moda. Os dois se tornam amigos e passam a se encontrar na casa dela. Até que um dia ela o convence a pôr um vestido e ir à aula fingindo ser uma aluna de intercâmbio. É nesse momento que a vida chata e comum de Dennis se transforma em algo extraordinário.

7. Ceci tem pipi? – Thierry Lenain

No começo, era tudo muito simples para Max: havia o pessoal Com-pipi e o pessoal Sem-pipi. Era assim desde que o mundo era mundo. Os primeiros eram mais fortes, claro, pois tinham pipi. E Max, que tinha pipi, estava muito contente por ser um cara Com-pipi. Azar das meninas, não era culpa dele que elas não tinham “uma certa coisa”.

Um belo dia na escola, porém, uma garotinha chamada Ceci vai para a turma de Max. Como ela é uma Sem-pipi, Max não dá muita bola para Ceci. Ela que vá brincar de boneca ou desenhar florzinhas, ele pensa. Mas aos poucos a menina vai deixando Max intrigado: Ceci desenha um mamute, joga bola e tem uma bicicleta de garoto. Será que Ceci é diferente porque tem pipi? Max decide investigar.

E tem livros para pré-adolescentes também!

8. A Princesa e a Costureira – Janaína Leslão

É o primeiro conto de fadas sobre o amor entre duas mulheres do mercado editorial brasileiro. Conta a história da princesa Cíntia que iria se casar com o príncipe do reino vizinho. Nos preparativos da cerimônia a princesa sentiu que aquilo não era para ela e se apaixonou por uma costureira, Isthar.

Com ajuda da irmã, do príncipe e da Fada Madrinha, a princesa lutou contra a tradição dos reinos para conquistar o direito ao amor. E viveram felizes para sempre. Em 2016, o livro foi adaptado para o teatro pela Cia. Teatro da Conspiração.

9. Mulheres Extraordinárias – Aryane Cararo e Duda Porto de Souza

Resultado de uma extensa pesquisa das jornalistas Aryane Cararo e Duda Porto de Souza, o livro traz a história de 40 mulheres de diferentes etnias, regiões e épocas. Ícones femininas que fazem parte de história do país. Cada história acompanha uma ilustração original assinada por uma artista diferente.

A proposta é apresentar, a partir de uma linguagem simples, heroínas nem sempre conhecidas ou valorizadas, como a história de Maria da Penha, que inspirou a criação da primeira lei de combate à violência contra a mulher. São heroínas cujas narrativas nem sempre são lembradas, mas que impactaram de forma pioneira os rumos de diversas áreas, como direitos humanos, saúde, educação, ciência, cultura, entre outras.

Imagem: Shutterstock

@ load more