Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Responda rápido: quem é você nas redes sociais? Se fosse fazer uma apresentação de 30 segundos, como descreveria a sua marca pessoal?

E se vai responder que é determinada, criativa, inovadora e que adora desafios, desculpe-me pela franqueza, mas você é mais uma no oceano. São qualidades fundamentais, evidentemente.

Contudo, não funcionam para criar o seu diferencial ou te posicionar como referência ou autoridade nas redes sociais.

Aliás, entendo perfeitamente que muitas de nós temos dificuldade em gerenciar a marca pessoal (personal branding) por entender isso como autopromoção.

Infelizmente, autopromoção é visto sob perspectiva negativa, como se fosse algo errado ou arrogante. Somos ensinadas a ser modestas em relação a nossas conquistas e aprendemos, ao longo da vida, a ser muito críticas com os nossos fracassos.

Com entramos no piloto automático e não desafiamos esse padrão de pensamento, ficamos no aguardo de que os outros reconheçam nossas habilidades.

Mas, pense comigo, se todas nós temos habilidades como seremos diferenciadas uma das outras? E é justamente aqui que precisamos alinhar nossos valores, propósito, no que acreditamos e como queremos ser reconhecidas para fortalecer a nossa marca pessoal.

E no mundo cada vez mais digital, uma marca pessoal sólida não é opcional, mas o esperado.

Então, após ler o artigo até aqui, você saberia como responder a primeira pergunta: quem é você nas redes sociais? E acrescento: como você está gerenciando sua marca pessoal nas redes sociais?

marca pessoal - como você cuida da sua

Antes de mostrar algumas dicas interessantes para posicionar e gerenciar sua marca pessoal nas redes sociais, é preciso destacar que a questão de personal branding é importante não apenas para empreendedoras, mas também para quem trabalha ainda no corporativo.

Lembre-se sempre: marca pessoal é sobre dar às pessoas as palavras com as quais devem falar de você.

Se deseja, por exemplo, ser reconhecida como uma nutricionista que trabalha exclusivamente com dietas veganas mostre à sua persona como você faz isso bem. Se quer mostrar que sua missão é propor soluções inovadoras e disruptivas, deixe isso bem claro.

O primeiro passo para posicionar sua marca pessoal nas redes sociais é ressignificar o sentimento que você tem em relação a autopromoção. É preciso deixar esse calvário onde o sucesso não é bem visto.

Reitero essa questão porque tenho percebido que autopromoção ainda é um desafio. Em alguns processos de coaching, vejo meus clientes com receio em celebrar suas conquistas e ávidos para julgarem a si mesmos por conta de alguns fracassos.

Então vamos simplificar? Sucessos merecem ser celebrados. Fracassos podem ser acolhidos e usados como exemplos de aprendizados.

Maximize os pontos fortes e promova os seus diferenciais. Não fica esperando que apenas os outros reconheçam isso, mostre às pessoas como você quer ser conhecida.

Se você tem dificuldade, AINDA, de posicionar e gerenciar sua marca pessoal nas redes sociais, veja a seguir essas dicas maneiras que irão te ajudar nesse processo.

1. Autoconhecimento

Xiii, lá vem ela com esse papo de autoconhecimento de novo!

Antes de deixar esse pensamento consolidar na sua mente, me dê uma chance. Aliás, se dê essa chance.

Afinal, se criar e posicionar a sua marca pessoal é sobre como você quer ser reconhecida, logo, precisa se conhecer primeiro, óbvio.

Comece com duas perguntas: quem é você e o que você faz.

Analise quais são os seus pontos fortes, valores, paixões e em que você acredita. Essa auditoria interna vai te dizer com mais clareza quem é você.

Depois avalie suas experiências, competências, habilidades e atitudes. Essa segunda rodada de autoavaliação vai dar um norte sobre o que você faz ou pelo menos sobre o que quer fazer.

Esse estudo sobre si mesma é importante para facilitar a jornada de autopromoção. É muito mais fácil transmitir algo quando você está confortável com sua autenticidade e propósito.

Assim, quando você posicionar sua marca pessoal nas redes sociais, os seguidores sentirão que sua “vitrine” é autêntica, real e que seu propósito está alinhado com o deles.

Veja como exemplo forte a Nathalia Arcuri, do canal “Me Poupe”. A proposta dela é bem clara em mudar o “Brasil com educação financeira”. O seu tom e linguagem nas redes sociais é focado nesse propósito. Quem a segue e compra seus cursos, livros etc. está alinhado com esse objetivo.

2. Posicionamento

marca pessoal - como cuida nas redes sociais

Foto: Unsplash

Sim, mil vezes SIM! É preciso planejar e definir bem o seu posicionamento nas redes sociais. Fazer postagem de qualquer coisa, sem planejamento e foco é gastar energia à toa.

Dá trabalho? Sim, ué! Mas, ninguém falou que seria simples. No entanto, não é melhor investir um pouco mais de energia e tempo e ter mais resultados?

O lado bom de criar o posicionamento é evitar a parte chata da autopromoção, que é se “vender” o tempo todo. Quando você cria o seu diferencial, o “se vender” fica mais espontâneo.

Vamos voltar ao exemplo da Nathalia Arcuri, observe o Instagram dela. Tem autopromoção? Tem! Mas, tem conteúdo de valor? Muito! Ela equilibra tudo na medida. O posicionamento é claro: educação financeira. O diferencial é a maneira didática, simples e até bem-humorada como ela aborda os assuntos.

E como você pode criar esse posicionamento? Bem, personal branding é um tema amplo, não dá para falar tudo em apenas um artigo.

Mas, vamos tentar aqui fazer um “miojo” rápido. Pense em como você descreveria sua marca em dois minutos, numa conversa de elevador.

Se você sabe quem é e o que faz (veja o tópico anterior), acrescente o COMO você pode ajudar outras pessoas com suas competências e habilidades.

DICA DO ESPECIALISTA: “Posicionamento é mostrar para o seu público-alvo qual é a diferença entre você e os seus competidores” – Philip Kotler

Além de descobrir como você se diferencia dos seus concorrentes, o ideal é compreender também como seu público-alvo percebe a sua marca.

A escolha do seu posicionamento pode depender de alguns fatores como:

  • Necessidades dos seus clientes;
  • Lacunas no mercado;
  • Oferta de valor de seus concorrentes;
  • A sua capacidade de entrega.

3. Apresentação assertiva

marca pessoal

Foto: Pixabay

Lembra aquela história que falei no início de que temos a tendência de esperar que apenas os outros reconheçam os nossos feitos? Pois é, não dá para ficar esperando que os seguidores adivinhem o que você pode fazer por eles, certo.

Deixa essa vergonha de lado e faça uma apresentação assertiva. Diga sem rodeios o que você faz e como pode ajudar as pessoas.

Se você é uma personal organizer, diga quem é você e como pode ajudar outras pessoas a organizar a vida, seja com organização residencial, corporativa, mudanças ou auxiliando mamães a se prepararem para a chegada do bebê.

Atualize sempre os seus seguidores sobre as etapas da sua jornada. Agregou mais formações e isso vai ajudar mais pessoas? Não guarde a informação, espalhe ela por aí!

4. Conecte-se com a sua rede

marca pessoal

Foto: Unsplash

Rede social não é apenas uma vitrine. É um espaço para conexões. Dessa forma, conecte-se com suas redes sociais, interaja com os seguidores.

Se você ficar preocupada apenas em exibir seu conteúdo ou conquistas, não vai olhar para quem faz parte de suas redes.

Pensa naquela pessoa que só fala de si mesma e não liga para o que os outros falam. Esse tipo de pessoa não costuma ser vista como chata, egocêntrica ou deslumbrada?

Pois é, leve essa lógica para suas redes sociais. Para tornar sua marca pessoal inesquecível, seja uma pessoa positiva, autêntica e verdadeiramente interessada na opinião ou conteúdo daqueles que te seguem.

Nunca esqueça que você está buscando impactar pessoas e ajudá-las de alguma forma.

5. Crie diferentes conteúdos

marca pessoal

Foto: Unsplash

Para criar e posicionar uma marca pessoal memorável, é fundamental manter uma alta frequência nas redes sociais. Em outras palavras, você deve EXISTIR mesmo nas plataformas digitais.

Nessa perspectiva, não caia na tentação de investir em apenas um tipo de conteúdo. “Ah, vou colocar memes divertidos de cachorros, porque sempre me dá likes e comentários”.

Ok, likes e comentários são métricas importantes, especialmente para nossa vaidade. Uma vez ou outra descontrair com postagens engraçadinhas não faz mal.

Agora, pensando a comunicação estrategicamente, planeje o seu calendário editorial. Diversifique os conteúdos. Aposte em artigos (principalmente para quem usa LinkedIn), imagens, vídeos e até naquelas perguntas do Instagram stories.

Esse cuidado evita que você se torne repetitiva e sem novidade para sua audiência. Mesmo que seu conteúdo seja maravilhoso, o seu público vai gostar quando trouxer outros tipos de informações; quanto mais atualizada for, mais os seguidores irão agradecer por compartilhar conteúdo relevante.

#FICAADICA

A sua marca pessoal não é imutável. Saiba que a medida que sua carreira evolui, a sua marca também deve evoluir. A essência continuará, mas você sentirá quando for a hora certa para alguns ajustes.

A dica é que não deve hesitar quando o momento exigir mudanças de você. A vantagem em criar e posicionar uma marca pessoal forte é que ela deve sempre te fazer brilhar.

E aí, o conteúdo foi útil para você? Aproveita e me acompanha no Instagram, Linkedin e Facebook! Vamos compartilhar conhecimentos?

Um forte abraço e até breve!

@ load more