Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

A vida de uma mulher é sempre cheia de desafios, até aí não temos nenhuma novidade. Mas quando pensamos na vida profissional, há um grande conflito que pode tornar tudo ainda mais complicado: a maternidade. Para as mulheres que desejam ter filhos, esse pode ser um momento de muitas decisões difíceis.

Se você é do tipo workaholic, provavelmente já pensou sobre o medo de largar tudo e “parar” sua carreira para ter um filho. Ou sobre como seria adaptar sua rotina com a criação de um serzinho que depende de você.

É aí que está o desafio: como estar presente na vida dos filhos, conciliar trabalho e ainda fazer uma reserva financeira que possa render alguns juros na poupança para o futuro? Impossível? Acho que não.

Se você procurar por algumas inspirações, poderá descobrir uma quantidade incontável de mães que uniram maternidade, empreendedorismo e investimentos de uma forma fantástica, conquistando o sonho de trabalhar com algo que amam e manter os pequenos por perto ao mesmo tempo.

Tem mãe que começou a criar brinquedos educativos para a filha, e acabou abrindo uma empresa e se dedicando a crianças com dificuldade de aprendizado. Tem mãe que começou um blog sobre os desafios da maternidade real e virou referência para mães e para marcas que querem anunciar seus produtos. Tem mãe que reuniu um grupo de mães empreendedoras para trocar experiências, e deu início a uma série de palestras e cursos voltados para esse nicho. E todos saem ganhando: filhos, mamães e as finanças pessoais dessas super mulheres.

E o nicho de mães empreendedoras vêm crescendo cada vez mais. O grande segredo é tirar um tempinho para pensar: que aptidões e hobbies você pode transformar em trabalho?

Veja 5 perguntas e dicas que podem te ajudar nesse processo criativo:

1. Você tem um passatempo criativo?

Muitas vezes temos pequenos passatempos que são muito criativos, mas não nos damos conta. Tarefas que nos relaxam e que fazemos de forma tão natural que não enxergamos a oportunidade de transformá-las em um negócio lucrativo.

Se você gosta de cozinhar, por exemplo, já pensou em produzir marmitas para entregar? Ou se você costuma montar suas próprias bijouterias, que tal vendê-las na internet? O que você sabe fazer que as pessoas não sabem ou querem fazer?

2. Como você pode ensinar o que você sabe para outras pessoas?

Se você é muito boa em alguma coisa, você pode ensinar isso a outra pessoa. Esse é um ponto básico. Mas uma coisa que talvez você não tenha pensado é que você pode ganhar dinheiro com isso.

Pensando rapidamente, você pode oferecer aulas particulares em casa, montar um curso diferente, como “culinária para crianças”, ou dar workshops pra quem está começando na mesma área que você.

Mas você pode fazer mais que isso. Hoje as pessoas buscam conhecimento na internet com muito mais frequência do que aulas presenciais, e isso também possibilita atingir um público muito maior com um esforço relativamente menor.

Oferecer um curso online ainda pode te ajudar a ficar conhecida nesse assunto. E aí é válido criar cursos em vídeo, e-books, alimentar um blog, e o dinheiro pode vir tanto da venda do próprio curso como de anúncios e patrocínios.

Lute contra o poder!

3. Tenha metas financeiras

Esse é um ponto importante para que você não se perca trabalhando com tanta flexibilidade. Lembre-se: o seu objetivo é trabalhar, gerar renda e criar um negócio sustentável.

Por isso, é importante estabelecer metas que você precisará cumprir todos os dias e meses, como produzir uma quantidade diária de produtos, vender X reais por mês, conseguir Y novos clientes, etc.

Por mais que essa seja uma tarefa que você goste de realizar para passar o tempo, você precisa encará-la de maneira profissional para transformá-la em um negócio promissor.

4. Pense em uma forma de escalar o seu trabalho

Para um negócio dar certo, é preciso saber onde se quer chegar. A sua ideia empreendedora pode até começar com algo simples como vender marmitas, mas você precisa sonhar grande e pensar no que fazer, a médio e longo prazo, para tornar seu negócio maior e mais rentável.

Pergunte-se como você pode crescer nesse trabalho: fazendo parceria com empresas? Criando uma assinatura mensal para clientes assíduos? Contratando pessoas para aumentar a produção?

Se você não vê uma possibilidade de crescimento para esse negócio, talvez seja interessante pensar em outras alternativas.

5. Reserve parte dos lucros para crescer e investir

Ganhar dinheiro é importante. Mas guardar e começar a investir parte do que ganha é tão importante quanto. Tenha em mente que você precisará investir dinheiro em seu negócio se quiser fazê-lo prosperar, seja em divulgação, melhorias ou até expansão.

Além disso, você não pode se esquecer de fazer uma reserva financeira para o seu futuro. A Poupança pode até ser um caminho no começo, mas conhecer outras opções de investimento que podem realmente te trazer rendimentos e multiplicar seu dinheiro é essencial.

Opções de investimento de Renda Fixa, como o Tesouro Direto e o CDB, podem ser boas opções se você é mais conservadora. Mas se você tem um perfil mais arrojado, e não se intimida com riscos, a Bolsa de Valores pode ser uma excelente experiência. Com um pouco de pesquisa e ajuda de profissionais, essa parte de investir seu dinheiro fica bem mais fácil.

O importante é você ter um objetivo claro e pensar de maneira empreendedora: trabalhar com o que gosta, perto dos filhos, mas com uma projeção de crescimento do seu negócio e das suas finanças. E aí, o céu é o limite.

Imagem: Reprodução

@ load more