Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

As discussões sobre o feminismo são muitas e sobre as feministas, então, nem se fala. A internet é prova de que as pessoas ainda não entenderam muito bem o que é ser feminista e porque isso está tão presente nesse momento da história. A gente entende: tudo o que é diferente causa um certo estranhamento no começo, e é preciso um tempo de pesquisa e estudo para entender a verdade dos fatos.

Mas, entender o feminismo e as feministas demanda algumas coisas. A primeira é interesse: enquanto a gente não se interessar pelo próximo ao ponto de querer entender como essa pessoa pensa e porque ela pensa como pensa, nada muda. A segunda é que a falta de informação é a maior inimiga de qualquer causa, seja política ou social. Ela gera confusão, desentendimento, brigas e pré-conceitos que bloqueiam essa via de interesse. E, no fim das contas, ninguém se entende.

Para ajudar, juntamos 9 mentiras sobre as feministas que você precisa parar de acreditar.

1.Elas odeiam os homens

Não, gente. Uma mulher feminista não odeia os homens. Tudo o que ela quer é que homens e mulheres sejam vistos e tratados como iguais pela sociedade. Para as mulheres terem sucesso nessa causa, não significa que os homens precisam ‘falhar’ ou ‘perder o jogo’. Pelo contrário. A gente só vai alcançar essa meta se os dois trabalharem juntos.

2.Elas são briguentas e agressivas

Esse é um dos estereótipos mais conhecidos sobre as feministas. Não à toa algumas pessoas se referem à essas mulheres como ‘feminazis’. A verdade é que as mulheres que assumem o seu feminismo são opinativas, afinal, elas vão rebater opiniões e comentários que vão contra o que elas acreditam. É óbvio que as pessoas são diferentes e que algumas podem parecer mais assertivas do que outras, mas isso não significa que toda feminista é briguenta e mega agressiva e vai brigar com você toda vez que você abrir a boca.

3.Elas odeiam gentilezas (entenda: cavalheirismo)

A questão é a seguinte, o cavalheirismo como o conhecemos não passa de um reforço de comportamentos machistas. O homem precisa abrir a porta para a mulher, pagar a conta do jantar, etc., porque é a função dele, porque ele é um cavalheiro e a mulher ‘não pode’ fazer essas coisas, ela é ‘mais fraca’. Porém, a definição de ‘cavalheirismo’ é “qualidade de quem demonstra gentileza, cortesia ou civilidade”. Ou seja, qualquer ato verdadeiramente gentil é um ato de cavalheirismo. Feministas não odeiam cavalheirismo. E elas vão aceitar que um homem segure a porta para elas, se elas puderem fazer o mesmo por eles sem serem julgadas ou vistas como ‘erradas’. É só pensar no seguinte: se o ato que você vai fazer (como segurar a porta) é algo que você faria por qualquer outra pessoa, então está liberado. O que não vale é fazer qualquer coisa só porque a outra pessoa é uma mulher e você espera algo dela (especialmente sexo).

4.Elas odeiam tudo que é feminino

Mentira, gente. Ser feminista não significa que as mulheres vão sair por aí destruindo lojas de maquiagem e queimando saias e vestidos em praça pública. Existem mulheres feministas de todos os tipos, das que gostam de um visual totalmente masculinizado, às que são super mulherzinhas, amam um batom e um salto alto. Não tem nada a ver com feminilidade, mas sim com a visão das mulheres perante a sociedade.

5.Elas não se depilam

De onde isso surgiu, a gente nunca vai saber. A questão da depilação pode ser confusa para quem não quer entender, mas é simples: as mulheres querem se sentir livres para escolher se querem ou não se depilar, e não porque um padrão de beleza definiu que mulheres depiladas são ‘mais bonitas’. Dito isso, existem feministas que se depilam, que não se depilam e aquelas que não depilam a perna no inverno por preguiça. Mulher nenhuma é obrigada a não se depilar só porque se descobriu feminista.

6.Feministas são contra o sexo e querem ficar solteiras

Oi? É claro que não! O feminismo não tem nada relacionado com o status civil de uma pessoa. Se uma mulher é feminista e quer casar, ela é livre para fazer isso! Ela também é livre para ficar solteira, para transar com quantos homens quiser, para ter um namoro longo… Enfim, para fazer o que ela bem entender! Ser feminista não é igual a assinar um termo de celibato pela causa.

7.Toda feminista é lésbica

De novo: oi? Feminismo é a luta por igualdade de direitos e tratamento perante o sexo oposto e não assumir a homossexualidade. Mulheres feministas podem ser bissexuais, heterossexuais, homossexuais ou transexuais.

8.Elas são contra ter filhos

Correção: elas são a favor de escolher entre ter filhos ou não. Existem feministas que são mães e feministas que não são mães – e nem querem ser. O feminismo não impede mulher nenhuma de ter filhos e construir uma família.

9.Elas acham que só mulheres podem ser feministas

E os homens são proibidos no movimento. Não, não. O movimento feminista só vai ser bem-sucedido quando TODOS, homens e mulheres, assumirem o compromisso de se verem e tratarem como iguais, e darem a mesma importância para ambos gêneros. Enquanto um se achar melhor do que o outro, a coisa continua igual. E nós só vamos conseguir alcançar esse ponto se os homens também entrarem na jogada. O objetivo é a igualdade de gêneros e não as mulheres passarem a ser melhores que os homens.

Imagem: Pexels


Participe da discussão respondendo a pergunta abaixo:

@ load more