Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Como é difícil se colocar vulnerável diante dos outros. Desde pequenos aprendemos que a fraqueza é um desvio das qualidades e não um estado de espírito momentâneo.

Como é difícil apresentar essa outra face a alguém, não entendemos nem a nós mesmos quiçá o outro. Os julgamentos virão e são poucos os que estão preparados para a nossa má fase.

Muitas gerações já passaram por este plano e ainda se ouve afirmações de outrora… Você tem que ser forte.

o que voce deseja

Na nossa sociedade o choro é sinônimo de fraqueza, chego a pensar que também seja um menosprezo dilacerante da dor alheia, como se o meu sentimento fosse menor porque “existem pessoas com mais problemas e mesmo assim seguem firmes”.

Aquela velha disputa platônica pra ver quem é o mais moribundo da história.

Por que alguém ligaria para as suas angústias?

Você tem comida na mesa, saúde e todos os sentidos funcionando da melhor forma possível. Está reclamando do quê?

Eu tenho me descoberto nas angústias – naquelas dores que abafamos do mundo – porque a nossa verdade assusta os reles mortais e nos tornamos vulneráveis ao despreparo alheio.

Tratar a minha fraqueza como algo compreensível me trouxe a humanidade e o alívio para lidar com as angústias de outrora.

Percebi que as grandes decisões da minha vida aconteceram quando as inquietudes se transformaram em dores irritantes que só cessaram quando eu dei a devida atenção, fechando os ciclos que se findaram sem que eu percebesse.

Confesso a dificuldade de lidar comigo mesma nessas fases.

Me isolo para que ninguém precise acompanhar o barulho estridente das correntes da minha tristeza, realmente, não é legal acompanhar tal momento.

Escrevo para lá na frente eu compreender o que se passou na minha jornada. Estou partindo para novos rumos. Me descobri uma desbravadora inquieta da mesmice que a vida pode se tornar se eu não sinto os sinais que vêm de vários lugares, por menores que sejam.

Atualmente a minha maior certeza é não ter certezas absolutas, essas mesmas que a minha avó sempre teve em toda a sua vida porque seguiu à risca as receitas do livrinho que escreveram para ela.

Certa ou errada? Não sei, não cabe a mim qualificar uma vida que não é a minha. Outros tempos, outros olhares, outras vivências, pouca informação à mão.

O meu objetivo maior continua firme, mas a minha caminhada tem sido dolorosa nos últimos tempos, isso me fez baixar a bola com todas as certezas que eu tinha antes de me colocar à prova.

Buscar sentido para essa bagunça e tentar tirar algo de bom nas novas experiências é o maior exercício que a vida têm me proporcionado. Todas as minhas descobertas até aqui valeram à pena, agora estou em busca das próximas.

Agradeço àquelas pessoinhas lindas que me permitiram ser vulnerável e foram importantes para o meu crescimento, praticando o exercício da escutatória com louvor.

Obrigada por me entenderem e escutarem as minhas lamúrias, dúvidas e medos, me encherem de coragem e relembrarem que eu não pertenço a um único lugar, que enquanto houver mudança de estação eu estarei sempre pronta para enfrentar “as dores e as delícias de ser quem eu sou”.

Imagem: Unsplash

@ load more