Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Eu sou gorda. Mas também me chamo Carina, tenho 21 anos, carioca convicta e como não podia deixar de ser, torço para o Flamengo. Estou quase me formando em Comunicação Social, sou colunista do Superela, feminista até o último fio de cabelo e falar de política é um dos meus assuntos preferidos, mas também me estressa muito. Faço parte de um imenso grupo de mulheres reais que preferem ser citadas por outras características que não o seu tipo físico.

Estudei a vida toda em colégios particulares na Zona Sul e apesar de sempre buscar diversidade no meu grupo de amigas, inevitavelmente a maioria delas era magra. Assim como as mocinhas das novelas e as cantoras dos clipes de pop. Foram anos tentando me adequar a uma realidade que infelizmente não funcionava para mim e aquilo era um baque na minha autoestima.

O uniforme do colégio não vestia igual ao das outras meninas. Calça jeans? Uma por ano. Primeiro porque era impossível encontrar um modelo que vestisse bem, segundo que elas não duravam mais que isso porque sempre rasgavam no tecido entre as coxas. Fora os olhares tortos para o meu prato, ofensas na família- em um Natal, algumas tias chegaram a chorar de felicidade quando minha prima emagreceu-, recreio da escola, baladas, etc.

A grande questão é que com o tempo as mulheres gordas vão ficando resistentes. São muitos anos de prática e trabalho árduo. Tem dias que a gente fraqueja, chora, mas a gente passa a entender que aquele comentário babaca tem muito mas a ver com a pessoa que disse do que com o nosso próprio corpo. A gordofobia disfarçada de cuidado está enraizada na sociedade e infelizmente é difícil mudar a cabeça de todo mundo que vive ao nosso redor (leia-se parentes conservadores e amizades tóxicas).

Na vida real, a solução é se aproximar de pessoas que gostem de você como você é. Seja gorda, alta, baixa, loira, morena, elimine da sua vida pessoas que insistem em te colocar para baixo. Faz um bem danado pra saúde mental, viu? Agora, se não dá para cortar totalmente aquele tio chato que conta até as rabanadas que você come no Natal, a mudança pode passar para o mundo virtual.

No Instagram a gente faz uma curadoria de pessoas interessantes para seguir, mas muitas vezes a gente aperta o botão de follow só porque a pessoa tem uma vida “perfeita”, que, de novo, não tem nada a ver com a nossa realidade.

A nossa sociedade foi treinada pela televisão e capas de revista a acreditar que o corpo magro é mais bonito, saudável e por isso, melhor. Praticar um novo olhar, seja online ou offline, é o exercício perfeito para aceitar mais o seu corpo e absorver um pouquinho do discurso de mulheres reais e empoderadas que vão te blindar contra os comentários babacas. Na lista abaixo, eu coloquei uma surra de perfis para você deixar seu feed menos tóxico e mais girl power!

Mulheres reais e fodas para você seguir no Insta

01. @luizajunqueira

Luiza Junqueira é a youtuber à frente do canal Tá Querida, que inspira pessoas a se amarem do jeito que são. Ela tem os cabelos coloridos mais legais do Instagram e tá sempre com um visual novo pra gente admirar.

02. @fluvialacerda

Em janeiro do ano passado, Fluvia Lacerda foi a primeira modelo plus size a ser capa e recheio da revista Playboy e ainda proibiu qualquer tipo de retoque na publicação. Em novembro, a carioca lançou seu primeiro livro “Gorda não é palavrão”, com o objetivo de empoderar mulheres na luta contra a gordofobia.

03. @mbottan

 

Mirian Bottan é uma jornalista que superou a bulimia, e usa esse empoderamento para se comunicar com outras mulheres reais através das redes sociais. No Facebook, ela criou um grupo de apoio secreto e no Instagram, ela compartilha relatos sinceros sobre a sua relação com o corpo: “Sou grata ao meu corpo aos 16 por ter aguentado tudo que fiz com ele, os vômitos, os laxantes, os diuréticos, os 38 quilos, a anemia, a desnutrição. (…) O corpo de hoje é o mesmo que sobreviveu, renasceu e me trouxe até aqui. Por isso ele é amado, porque estamos juntos nessa há muito tempo e é o mínimo que ele merece, depois de tantos anos de ódio.”

04. @larobertita

Laís Roberta é o nome verdadeiro da modelo conhecida como La Robertita. Como se não bastasse ser super requisitada entre as marcas, ela também é fotógrafa e luta pelo feminismo tanto no online quanto no offline. Além dos textões incríveis no Instagram, La Robertita dá palestras em escolas públicas para conscientizar meninas que sofrem bullying.

05. @ritacarreira

Rita Carreira é uma modelo e ativista negra conhecida por suas passadas longas na passarela do Fashion Week Plus Size. Com o destaque nos desfiles, ela foi conquistando cada vez mais espaço em campanhas e editorias de revista, e atualmente é considerada um dos nomes mais importantes do país.

Imagem de capa: Reprodução/ La Robertita/ Rita Carreira


Agora que você já seguiu essas mulheres reais incríveis, que tal ajudar uma amiga no Clube Superela? Você pode responder a pergunta abaixo ou clicar aqui.


@ load more
Os melhores conteúdos do Superela.
Um único email por semana.
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤
Vamos ser amigas? :)
Queremos te enviar OS MELHORES
conteúdos do Superela.
Você vai adorar! ❤