Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

É engraçado pensar que, no início de um relacionamento, anulamos algumas de nossas vontades e posições para poder “conquistar” alguém. Cedemos em certos pontos e, quando vemos, estamos fazendo mais concessões do que nunca. Isso acontece e é uma realidade que muitos aceitam porque julgam “difícil” encontrar alguém. E quem somos nós para poder dizer que isto está errado. O que acontece, uma vez que se abre tanto a guarda, é que de repente se percebe o tamanho das porradas que aceitamos levar.

O livro ‘As Vantagens de Ser Invisível‘ tem uma célebre frase que resume isso: nós aceitamos o Amor que pensamos merecer. Nessa lógica, anular-se certas vezes é um mecanismo que muitos recorrem para, sim, manter por perto alguém que impõe, que insiste, que não cede e não vê que o outro tem seus quereres e seus próprios pensamentos. Isso pode acontecer de forma involuntária ou consciente, mas o ideal – lembrando que o ideal pra mim pode não ser exatamente o ideal para você – é que haja um equilíbrio entre as partes.

Sabe quando a gente fala de reciprocidade e empatia? Anular-se caminha completamente na contramão disso.

Não se anule por ninguém

Posicione-se. Ainda que você precise manter alguém por perto, se você tem problemas de autoestima, se você acha que está fazendo o certo: posicione-se. Mostre que, pelo menos, você tem opinião. E, se quiser mudar, não pense que é impossível de mudar. Não pense “poxa, mas se eu mudar pode ser que @ não me queira mais”. Que não queira. Sabe por quê? Porque em primeiro lugar, acredito, sempre precisa vir a nossa saúde mental. E nenhum Amor na Vida vale isso.

São coisas duras que eu estou falando e deixo que vocês discordem, claro. Quem quiser discutir isso pode me procurar e dizer que eu estou abordando de uma forma errada e precipitada, mas é preciso estabelecer algumas coisas aqui então: se você acha que seu namoro está bom, continue. Se algo te incomode, fale e mude. Se você sente que está se anulando e chega ao ponto de se olhar no espelho e dizer “quem sou eu e o que estou fazendo com a minha vida?”, mude. Se você está feliz, continue. Nenhum texto de internet será capaz de determinar o que você deve ou não fazer, mas eles podem te ajudar a refletir, pensar e abrir os olhos.

Assim, deixo o fim desse relato como um conselho – sabendo que um conselho às vezes é muito mal-visto e pouco bem-vindo, mas necessário: vivam um Amor que faz bem. Se algumas atitudes podem ser mudados, qual o problema em questionar? Se tudo está indo bem, pra que mudar? A não ser que seja pra melhor, óbvio. De resto, entendo que algumas pessoas sempre terão personalidades fortes e baterão o pé em suas decisões, mas relacionar-se vai de encontro com o que Osho já diz: é aprender a navegar num rio fluido.

E como todo rio, estaremos sujeitos a sua intempestividade e força.

Imagem: Reprodução / Youtube

@ load more