Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Menina, tem uma porção de gente que te conhece bem, te fala a verdade, diz que você é bonita ou interessante ou os dois. Faz um montão de outros elogios valorosos e nem assim consegue te convencer.

Cada vez que você corre lá na frente do espelho, não vê nem essa belezura toda, nem os elogios personificados.

Não sei se você é gorda ou magra, lindamente sardenta, muito alta ou baixinha, lisa ou encaracolada, solteira ou casada, uni, bi ou múltipla, rica ou não, feminista ou ainda sem posse e desfrute do seu poder. Mas de uma coisa tenho certeza ab-so-lu-ta, não é nada disso. Todas essas coisas são características e ou escolhas, particularidades, minúcias e justificativas.

A beleza só existe quando você consegue enxergar beleza nela.

Para se ter lindeza não precisa ser bonita.

Eu sou linda!

Te garanto! O que te deixa assim tristinha e às vezes querendo ser outra, não tem nadinha, nadinha a ver com o que você é, e sim com a forma como se sente, e muito menos ainda a ver com seu espelho, mas sim com o que está escondido atrás dele e você não enxerga ou prefere ignorar.

Como o reconhecimento da própria beleza é subjetivo, é percepção, o que te impede de deixar sua graça e seus atrativos maravilhosos transbordarem, quaisquer que sejam, são suas fragilidades, seus incômodos, tudo que você tem pendente, mal resolvido na vida. Suas desistências, além das fantasias e expectativas que coloca em cima das coisas e das pessoas.

Tipo: um passado “sombra”, “encosto”, já completamente acabado, mas ainda forte influenciando seu presente, raiva, mágoa, necessidade de aprovação, cuuuulpa, falta de intenções novas. Que se resolvido, isso sim pode rearrumar suas pendências. E como estou aqui para “falar a verdade, somente a verdade, nada mais que a verdade” sabe o que também te empata e atrapalha? Ficar reclamando e não ter valentia para desatar e desagarrar desse nó. Transferir seu valor e seu poder para o(a) outro(a), e mais uma coisa importantíssima minha querida, se sentir e se fazer de vítima sem tomar providências.

Isso é fatal para a autoestima.

Me responda:

Todas as pessoas que você admira, por quem tem muito carinho, ama ou se apaixonou são formosura pura, perfeição de valores e também padrão de beleza maravilhosos como Brad Pitt, Angelina Jolie, tudo isso junto em uma pessoa só?

Claro que não né? Aposto 1000 x 1.

A maioria provavelmente faz parte dos “mortais normais” e são “maravilhosos(as)” aos seus olhos. Por que?

Porque na verdade a beleza por si sozinha não é essa coisa toda que se idealiza, se não, toda pessoa famosa e “linda” de beleza física unânime (universal) seria incansavelmente segura, feliz e estaria por aí pulando de alegria sem qualquer problema. Concorda?

E sabemos que esse discurso está muuuito longe de ser verdade na vida prática.

A segurança, a boniteza e o encanto, valem sim, pela capacidade que têm de causar em si próprio e nos outros, algum ou vários sentimentos como: desejo, admiração, poder, amor, alegria, atração, prazer…

Cadê o encanto e sua capacidade de causar algum ou todos esses sentimentos?

“Tá” tudo aí, incubado em você!

Só falta uma coisinha: sacudir, cutucar o seu talento para “rearrumar” suas pendências.

O problema é que às vezes, fantasiamos, fazemos comparações e idealizamos muito o que estamos vendo “de longe”.

“Peraí’, mesmo que você não se interesse por arte, não pula esse pedaço, não. Vou dar rapidinho um exemplo de valor e beleza que estão por “dentro”.

A obra de arte mais cara do mundo “Salvator Mundi” de Leonardo da Vinci foi vendida em 2017 por US$ 450,3 milhões na Christie’s de Nova York, na época aproximadamente R$ 1, 5 bilhões (preço de hoje, R$ 1, 7 Bilhões).

A tela não é de ouro e sim madeira, nem a tinta de diamante e sim tinta a óleo. O tamanho do quadro não é uma parede inteira do teto ao chão, as dimensões do quadro são de 45,4 x 65,6 cm).

Salvator Mundi

O famoso quadro

Por que vale tanto? É rara, traz uma imagem ambígua que gera polêmica, estimula a imaginação e… principalmente: é única.

E aí você diz: “Eu hein, eu não sou um quadro”. Sei disso!

Mas é única, mesmo que seja irmã de trigêmeos.

Insistindo no assunto, só uma coisa nos faz capazes de despertar a curiosidade, o agrado e a emoção: a segurança e a própria percepção desses valores.

Ser “reclamona”, cultivar a baixa autoestima e o mau humor, descontentam, a si e a quem está por perto, empaca a vida. Enquanto apurar e alavancar a autoestima, flui, circula e conecta.

Você atrai exatamente o que espalha.

Reclamar sem tomar decisão, não resolve, vicia, polui, congela sua capacidade e embaça de tal forma seu viço que nem você é capaz de enxergar mais seu brilho.

Em compensação bom humor e iniciativa, contagiam e fazem a energia avivar e circular por dentro e por fora.

Por acaso você:

  1. Adora ficar ao lado de quem te faz rir a ponto de você se esquecer que tem um monte de boletos de contas para pagar.
  2. Pensa “queria ser como ela”, quando vê aquela pessoa que monopoliza, e você nem sabe dizer se é por causa do tom da voz, dos gestos, das histórias exageradas que ela conta, verdadeiras ou não, e o que confunde ainda mais suas convicções é que nem bonita nem gostosona padrão ela é, mas tem um ”atrativo” que faz qualquer um brindar sem champagne à luz do dia.
  3. Fica abismada quando sua amiga “ídolo”, que recém terminou um “relacionamento dito infinito”, conta que vai vender o “parzinho” de bicicletas que está ocupando espaço na varanda, o anel de noivado e a grossa aliança com declaração de amor eterno gravada do lado de dentro, para pagar a viagem à Bahamas onde vai fazer mergulho, porque já chorou treze dias e agora tem muito mais o que fazer.
  4. Quer perguntar pra vizinha, como é que ela consegue trabalhar de 8 às 20 horas, cuidar dos filhos gêmeos sem ter marido, malhar, passear com o cachorro cantarolando na pracinha, assistir ao Festival de filme Francês, receber os amigos às quintas-feiras à noite para fazer risoto e ainda namorar com aquele “gato” no final de semana.

Agora sou eu quem vai responder:

Tudo isso acontece porque, quem tem propósitos e enche a vida de muito o que fazer, ri e faz rir, tem um charme que não tem nada a ver com beleza e acredita nele. Tropeça nas traições e escolhas erradas, cambaleia se descabela, “chora pitangas”, mas levanta porque YOLO (You Only Live Once = Você só vive uma vez).

E agora quase terminando pra ver se a gente resolve o assunto, “perguntas que não podem te calar”

  • Quando vai parar de ser tirana na sua autoavaliação?
  • O que se esconde por detrás do “seu espelho” que você vai encarar?
  • O que vai “jogar fora” para ter espaço na sua vida?
  • O que tem tirado sua energia?
  • Quais são seus propósitos novos?

No dicionário de sinônimos, “PASSADO” quer dizer: antigo, anterior, remoto, acabado, clica aí e confere! Tem muitos outros sinônimos.

Então minha flor, o fato de não ter dado certo, o namoro, o trabalho ou algum plano, não dita uma sentença de padecimento eterno pois é PASSADO.

E a não ser que você prefira não ter planos novos no presente e no futuro, acredite que mudanças são difíceis, mas possíveis. Mas tem que querer e tomar providências.

Afinal, você quer ou não quer acabar com sua incapacidade de dizer não, raiva, culpa, passado emperrado, necessidade de aprovação… Enfim, tudo que tem calado e escondido sua beleza?

Quer? Vamos começar por onde?

Se quiser começar fazendo um Coaching de Autoestima, clique aqui e vamos conversar! 

Imagem: Stocksnap

@ load more