Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Às vezes eu dou uma pausa na vida e começo a refletir sobre algumas coisas, sabe? E pensando, pensando, eu comecei a me perguntar onde as pessoas arrumam tanto tempo e disposição para se meter e julgar a vida alheia. Para discutir sobre as coisas nas redes sociais, para vomitar seus preconceitos em cima dos outros… Se você concorda ou gosta de uma coisa, legal! Se não gosta, fica quietinho na sua e respeita. Você não precisa fazer igual, apenas respeitar..

É um tanto do povo não ter empatia e postar foto de gente acidentada, é o povo falando mal de pessoas com doenças graves, falando mal do feminismo sem ao menos saber o que é realmente, enchendo o saco por causa da legalização do aborto, culpando a mulher por ela ter sido estuprada, ela ser a mal vista numa traição, tirando selfies com  o goleiro Bruno, entre várias outras coisas. Independentemente de qual seja a pauta, as pessoas sempre vão sempre arrumar uma maneira de apontar o dedo para o outro e julgar.

Eu me notei sempre escrevendo no meu blog sobre assuntos que catucam essas feridas sociais, focando sempre que possível nas mulheres, pois é umas das partes que mais apanham em meios a todas essas brigas. Eu escrevi textos sobre ditadura contra cabelo natural, sobre preconceito com mulheres tatuadas, sobre o padrão de beleza imposto pela sociedade, e por aí vai. Já escrevi artigos para a faculdade sobre a repressão sexual feminina, vivo compartilhando coisas desse tipo na internet, e mesmo escrevendo e pesquisando tanto esses assuntos, ainda não consigo entender. E essa semana, em que “comemoramos” o Dia Internacional da Mulher, acho justo e importante falar sobre o assunto e questionar…

A vida é minha, o corpo é meu - e sou eu que mando aqui! 1

Agora me dizem, com qual direito as pessoas insistem em querer mandar tanto na vida e no corpo dos outros, mais especificamente das mulheres?! Tudo é tabu, tudo se deve esconder! Tem que esconder o absorvente, as espinhas. Deve-se arrancar os pelos e dar um jeito no cabelo para não parecer “duro”. A roupa tem que estar sempre impecável e ela exibir suas lindas pernas em cima de um salto 15. Se não, é uma mulher feia, mal cuidada e porca. Tem que fechar o sorriso, porque abri-lo é sinal que tem a intenção de abrir também as pernas. Sorrir na rua é um perigo! Não pode sair sozinha, com roupa curta e decotada, maquiagem, então… Nem pensar (leia sobre isso aqui).

– “Sua puta! Delicinha, gostosa, oh lá em casa! E não reclama porque você pediu, não encara, abaixa a cabeça e vai. Não queria chamar a atenção?! É só um elogio, e olha que você estava me dando mole. Agora aguenta!”

– “Nossa que bebê lindo, é uma menininha? Vai ser uma princesa, vamos comprar roupinhas rosas, lacinhos de florzinha para colocar no cabelo, pintar o quarto de rosa e encher de bonecas.”

– “Eita, tá ficando mocinha, vai dar trabalho! Olha mãe, ensina ela que mulher tem que se dar o devido valor e se dar ao respeito hein! Não pode deixar ninguém ver o sangue sujo no absorvente, é nojento!”

– “Tem que fechar essas pernas,e colocar sutiã para não ficar com os mamilos à mostra marcando a camiseta e seduzindo os homens na rua. Depois não quer ser estuprada, com esse peito de fora, essa bunda enorme e esse batom vermelho. Deu sorte para o azar, se tivesse dentro de casa, isso não tinha acontecido!”

– “Você é mulher, tem que saber passar, lavar e cozinhar! Tem que querer ser mãe e cuidar do marido e do lar. Nada de viagens, saídas a noite e faculdade.”

– “Fez filho e agora quer deixar jogado na creche para os outros cuidar sua irresponsável! É mãe solteira?! Que vadia, piranha! O pai foi embora? Não sabe quem é o pai? Ah, mas bem feito, quem mandou dar sem camisinha?!”

– “Esse braço marcado aí, hein? Esse olho roxo? Apanhou do seu macho, né? Mas também, mereceu, aposto que você provocou, aposto que quis cantar de galo dentro de casa, você ainda não aprendeu que a mulher tem que obedecer o homem e que ele que manda dentro de casa?!”

– “Mas também, não tinha como saber, a mãe não lhe ensinou nada, foi outra que não se deu ao respeito, sem marido, mas o marido tinha que ir embora mesmo, não dava para aguentar. Não tinha como a menina seguir um caminho diferente…”

– “Morreu tão nova, até que era bonitinha. Que sociedade é essa? Mas pelo menos assim a mãe aprende, e para de ter um filho atrás do outro. Se suicidou? Coitada! Ou será que foi uso de drogas? Aborto ilegal? Ouvi dizer que tinha Aids, talvez pegou fazendo aquelas tatuagens, viu que ridículo! Tinha o corpo coberto de um monte de rabiscos, isso não é de Deus!”

– “Mas que pena né? Não aproveitou as oportunidades que a vida lhe deu. Poderia ter tido uma vida diferente. Poderia terminar os estudos e fazer uma faculdade, hoje em dia o governo dá tanta regalia para pobre né? Arrumar um emprego. Mas era desleixada, acomodada e fraca. Mas também né, não poderia ser o contrário, era mulher.”

– “Depois ainda reclama que tem menos possibilidades, que são prejudicadas. Reclama de abuso, agressão, pára de vitimismo! Você tem uma lei que te defende, tem uma delegacia feita para atender seus caprichos.”

– “Pára de reclamar, vai para dentro de casa caçar uma roupa para lavar, uma panela para ariar e não enche o saco, que eu vou lá no bar beber, assistir um futebol e coçar o saco! E quando eu chegar, não quero ouvir mais um pio sobre essa bobeirada de direitos, eu quero é minha comida pronta!”

A vida é minha, o corpo é meu - e sou eu que mando aqui! 2

Sentiram a pressão? Sim, é muito assustador, mas é o que acontece todos os dias, é o que a mulher passa e sofre desde que o mundo é mundo só por ser mulher! Mas eu venho aqui para pedir que vocês não deixem mais que isso aconteça, que vocês se empoderem e não aceitem que esses pensamentos continuem existindo e se perpetuando. Chega! A vida é sua, o corpo é seu e é você quem manda!

Ninguém tem o direito de falar nada, nem de se meter, seu corpo é sua casa, você é dona de si e da sua vida! Você faz quantas tatuagens quiser, você dá para quem quiser, você vai onde quiser, bebe o quanto der. Você faz regime se quiser, não é porque é gordinha que vai ser menos mulher. Chega de medo, chega de se esconder, chega de se reprimir. Sua vida, suas normas; seu corpo, suas regras!

 

@ load more