Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Já há algum tempo venho reparando a quantidade de gente que frequentemente se deprecia por aí.  São pessoas ótimas e cheias de qualidades. Porém, elas começaram a se criticar, diminuir ou negar tudo aquilo que elas têm de melhor. Passaram a se identificar erroneamente com características e pensamentos negativas, e, quando falam de si mesmas, sempre usam de algum julgamento pejorativo.

Muito provavelmente você conhece alguém que vive repetindo coisas assim: “ah, eu não sou tão boa (bom) o suficiente”, “nossa, eu sou muito burra (o)”, “eu sou muito grossa”, “eu não vou conseguir fazer aquilo, nunca dou conta de fazer nada”, “nada dá certo para mim”, “sou muito desastrada (o)”. E por aí vai uma lista imensa de frases que estão apoiadas em crenças limitantes e em uma visão distorcida que a pessoa faz dela mesma ao se criticar.

Uma crença é um estado mental em que a pessoa acredita sem nenhum questionamento de que algo seja verdade. E o problema é que ela faz um mal enorme para o funcionamento do corpo e do cérebro de quem fala esse tipo de coisa. E também para a sua autoestima e para o modo como essa pessoa vê a vida!

Um dos motivos é que nossos pensamentos, intenções e palavras movimentam energias positivas ou negativas

Quando se julga ou xinga a si mesmo, dizendo coisas depreciativas a seu respeito, você traz negatividade para dentro do seu corpo e as suas células passam a trabalhar de forma inadequada. Até sua imunidade pode ser prejudicada. Essa foi a constatação de uma interessante pesquisa liderada pelo professor, pesquisador e Ph.D. Dr. William Braud, da “Mind-Science Foundation”, em San Antonio, Texas.

Além disso, devido à repetição desse tipo de mensagem, o cérebro começa a acreditar naquilo que está sendo reforçado e deixa de usar as potencialidades da pessoa, passando a operar com poucos recursos. Isso ocorre pois as crenças limitantes e os julgamentos ruins causam uma série de problemas:

– formam bloqueios que impedem que ela vá para frente;
– enchem-na de medo;
– deixam-na para baixo;
– a mantém em sua zona de conforto;
– impede que ela se veja como merecedora de coisas boas e que realize seus objetivos. Muito ruim, não é?

se criticar

Tenho visto situações como essas ocorrerem entre alguns clientes e pessoas próximas

Por isso, quero dar este conselho para quem tem mania de se criticar, ou que se identifica com o que citei acima:

Pare agora de falar mal de você mesmo e reveja todos os adjetivos que você está se aplicando! Comece a pensar em como você adquiriu esses julgamentos e conclusões. Será que você ouviu a opinião de alguém e passou a acreditar erroneamente naquilo? Ou será que você está se tratando com crueldade por apenas ter errado em algum momento da sua vida?

Analise com mais tolerância as suas características, tantos as positivas quanto aquelas que você quer melhorar! Lembre-se de que todos nós temos algum tipo de dificuldade para fazer algo, e isso é totalmente normal. Foque em tentar achar alternativas para melhorar, entenda que você não é tão ruim quanto pode vir a pensar, e dê a atenção devida para suas qualidades.

Tenha a certeza de que assim que começar a ter esse olhar mais consciente e tolerante consigo mesma, você crescerá muito e se sentirá mais leve, pois estará sem o peso de tantos julgamentos equivocados.

Imagem: Pexels


E o que vocês responderiam a essa pergunta aqui abaixo, feita por uma de nossas usuárias do Clube Superela?

@ load more