Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Muitas vezes ouvimos alguém comentar que o relacionamento acabou por causa da traição. O que geralmente não é dito é que, em regra, traição não é uma causa, mas sim um sintoma.

Devemos ter em mente que a traição muitas vezes é a consequência de algo, e não o motivo como geralmente pensamos.

Mas consequência de quê, Marina?! 

São vários os motivos que levam a traição, vários arranhões no relacionamento ou mesmo na vida da pessoa.

Sobre traição e suas causas

1. Medo de compromisso

O medo de compromisso é algo muito comum em qualquer idade e pode ser um dos motivos que leva alguém a trair. 

Esse temor em se relacionar emocionalmente pode vir de traumas passados e a pessoa acaba traindo como um meio de encerrar a relação sem ter que admitir o próprio medo.

É muito importante ter paciência e respeitar os limites do outro neste caso, também é muito importante conversar com o parceiro sobre esse medo e incentivá-lo a buscar ajuda profissional e tratar a raiz do problema.

2. Baixa autoestima

Nesse caso a pessoa sente a necessidade de autoafirmação e consegue isso traindo.

Para se sentir desejada a pessoa com baixa autoestima precisa estar constantemente passando por toda a fase da conquista, como forma de provar a si mesma seu “valor”.

Nem preciso dizer o quanto isso é prejudicial, né?!

Como esquecer uma traição em 3 passos

3. Medo da traição

Muitas vezes a pessoa já passou por relacionamentos complicados e foi traída, até mais de uma vez. 

Isso faz com que ela sinta o medo de ser traído, preferindo trair primeiro para não se magoar tanto quanto das últimas vezes.

4. Ciúme excessivo

O ciúme também é uma das maiores causas para a traição, isso senão a maior causa.

Muitas vezes a pessoa nem está traindo, mas se sente tão sufocada pelas crises de ciúme e desconfiança que acaba desistindo da relação e traindo.

Ou pior: a pessoa sequer pensa em trair, mas o outro insiste tanto no assunto que acaba implementando a ideia na cabeça do outro. Ela age de acordo com o que você a propõe.

Claro que a opção de trair ou não é inteiramente da pessoa. O outro não é culpado por isso. Mas é preciso refletir sobre o que gera a crise de ciúmes e se isso não é algo que a pessoa traz de experiências passadas.

5. Relacionamento fraco

Se o seu relacionamento não tem bases sólidas, sustentação, se vocês não são um time, não conversam, não são honestos um com outro ou simplesmente, se criticam demais…

Enfim, se o relacionamento de vocês não é forte, o outro pode ter a impressão de que não vale a pena zelar por ele. Assim, dada a oportunidade, haverá a traição como uma busca de algo “melhor”.

A traição não acontece, ela é construída pouco a pouco!

Geralmente não pensamos dessa forma, mas a traição acontece quando algo não está bem. Assim como qualquer outro problema que possa surgir no relacionamento, ela é construída de maneira sutil, quase velada, e por isso parece surgir de uma hora para outra.

Esse problema é alimentado pela mentira e pelas brigas que acabam afastando o casal deixando o relacionamento frágil. Para evitar que isso aconteça, conversem sempre!

Sejam abertos ao diálogo. 

As temidas “DR’s” podem ser cansativas, mas realmente são de suma importância para garantir a saúde da relação. Lembre-se que discutir, de forma correta, é normal e saudável para a relação.

Aprenda com os erros!

Em qualquer situação é importante aprender com os erros, caso você tenha sido traído (a) não significa que você precise trair, aprenda com o que aconteceu para evitar que se repita no futuro e caso seu relacionamento chegue ao fim, não se prenda a ele, ou ao que aconteceu, para que não te atrapalhe no futuro.

Imagem: Freepik

@ load more