Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Se você parar para pensar, é capaz de não conseguir citar uma pessoa próxima que nunca tenha tido uma conta poupança ou nunca tenha ouvido falar na caderneta.

A poupança é realmente uma aplicação financeira muito popular no Brasil. Mesmo em momento desafiadores, muitas pessoas não deixam de juntar uma graninha na caderneta pensando no amanhã.

Mas será que deixar dinheiro na poupança vale a pena? Chegou o momento de entender que a poupança não é o único (nem o melhor) caminho para te ajudar a economizar dinheiro para construir um futuro promissor. Que tal ir além do senso comum e começar a fazer seu dinheiro trabalhar por você?

Então, veja só essas dicas para saber qual investimento rende mais:

Qual investimento rende mais? Dicas para ir além da poupança

1. Entenda como funcionam os juros da poupança

Antes de tudo, é importante entender as razões por trás de tudo. De nada adianta eu falar que a poupança não é legal, sem te explicar o porquê disso. Afinal, não tem como te exigir uma mudança de hábito, se eu não apresentar motivos decentes para te convencer a mudar, não é mesmo?

Bem, no caso da caderneta de poupança (como ela também costuma ser chamada), você já deve ter ouvido falar por aí que seu rendimento é bem baixo. E isso é a mais pura verdade. Olha só como isso funciona resumidamente:

O rendimento da poupança está diretamente ligado à taxa Selic, considerada a taxa básica da economia brasileira. Quando a meta anual da Selic, de acordo com as decisões pelo Banco Central, está acima de 8,50%, a remuneração da poupança é calculada por 0,5% + a Taxa Referencial (que desde setembro de 2017 é igual a zero).

Por outro lado, quando a Selic está igual ou menor que 8,50%, o rendimento é de 70% da Selic + a Taxa Referencial. Você agora pode estar pensando: “tá, mas como isso funciona na prática?”.

Bem, atualmente (agosto/2018) a Selic está em 6,50%, isso significa que o cálculo é de 70% da taxa mais a taxa Referencial. Então, o rendimento da poupança hoje é de cerca de 4,55% ao ano, já que a taxa referencial hoje está em zero e 70% de 6,50% dá 4,55%.

Ou seja, imagine que você aplicou R$ 100 na caderneta hoje e só vai resgatar daqui 12 meses. Digamos que nada mude de hoje até o dia do resgate e o rendimento da poupança continue neste valor. Ano que vem você vai sacar apenas R$104,55.

Pode parecer um valor até ok, pensando que você deixou o dinheiro ali quietinho e não precisou fazer mais nada para que ele crescesse. No entanto, quando você olha as possibilidades do que poderia ganhar em outras opções, a poupança realmente não parece uma boa ideia.

Vamos conversar exatamente sobre isso no próximo tópico.

2. Aprenda sobre outras opções do mercado

Sabe o exemplo que acabei de falar? Enquanto a poupança renderia apenas 4,55% ao ano, outros títulos poderiam render bem mais. É o caso, por exemplo, do Tesouro Direto, que oferece títulos prefixados com rendimento de mais de 9% ao ano, isto é, quase o dobro da poupança.

Você pode até pensar: “mas será que compensa, já que o Tesouro paga Imposto de Renda e a poupança não”. Esse raciocínio é válido, mas a resposta certa é que isenção de IR não deve ser único o critério para decidir onde investir. Em muitos casos, mesmo pagando tributação, é possível ganhar mais que a poupança.

É por isso que ter um planejamento financeiro é tão importante. Além de definir seus objetivos e decidir onde quer chegar, fica mais fácil escolher onde investir e por quanto tempo.

Com esses detalhes delimitados, você pode pesquisar no mercado entre todas as opções possíveis e vai conseguir já descartar aquelas oportunidades que não estão de acordo com o seu perfil. Tá vendo como ter uma visão global é tão importante?

Então, nada de se conformar com a primeira opção que aparecer, ok? Se sentir necessidade ou tiver muitas dúvidas, vale pedir ajuda para um profissional da área. Não há nenhum problema em admitir que não sabe muito e perguntar para quem realmente entende do assunto.

3. Compreenda a importância de investir de verdade

Você sabe realmente a diferença entre poupar, economizar e investir? Imagine a perda de tempo em deixar seu dinheiro parado no cofrinho, depois de tanto esforço para juntar uma quantia legal. O melhor seria pegar esse valor e investi-lo para que possa se valorizar, concorda?

Muita gente desanima porque pensa que ter sucesso nos investimentos é coisa apenas de quem tem muito dinheiro. Mas não é bem assim. Investir tem a ver com colocar seu dinheiro para trabalhar por você, independentemente de quanto seja.

Nessas horas é que muita gente desiste, com preguiça ou medo de procurar opções melhores que a poupança, e aí a ideia de ter um futuro super tranquilo financeiramente vai ficando cada vez mais distante.

Não precisa ficar apreensiva. Prometo que existem opções tão seguras quanto a poupança e ainda mais rentáveis. O mais legal é que investir vira um processo, em que você começa com um valor menor e pode ir aprimorando e aumentando essa quantia à medida em que tem bons resultados.

Sem contar que você não precisa ficar presa em um lugar só, como com a caderneta. Você pode (e deve) diversificar suas escolhas. Isso aumenta a segurança dos seus investimentos e ainda pode aumentar as chances de ter ótimos retornos.

E de novo eu aviso: não precisa ser 1 milhão de reais. Você pode começar a investir com o valor que tem guardado, mesmo que ele pareça muito modesto à primeira vista. Por isso é tão importante estar aberta e disponível para aprender sempre. O aprendizado constante é a chave para você entender que a poupança não é a melhor saída para valorizar seu dinheiro de verdade.

Imagem: Pexels

@ load more