Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Hoje eu confesso que o dia não acordou tão ensolarado quanto eu esperava. Que as coisas não saíram do jeito que eu queria e que no momento, a única coisa que pensei foi em escrever para você que está lendo esse texto.

É, você mesma. Precisava te contar uma coisa que às vezes nos esquecemos: Se sentir mal é normal, e reconhecer isso também.

Dias ruins sempre existirão para bater em nossa porta. Já dizia um grande amigo dos meus fones de ouvido:

“Haverá um dia em que você não haverá de ser feliz. Sentirá o ar sem se mexer. Sem desejar como antes sempre quis”.

E isto é uma coisa que não se muda com um riso forçado, ou com a maior de todas as suas tentativas em negar que está mal, e que tem forças pra continuar seguindo.

Atualmente, tendemos a pensar que um dia ruim é um dia a ser “ignorado”, que os nossos sentimentos de tristeza não tem brechas para serem sentidos em nossas vidas, e é aí que está o erro.

PS.: Nosso texto deve ser acompanhado obrigatoriamente com a música Felicidade de Marcelo Jeneci. Dá o play abaixo 🙂

Não se limite a viver sempre em dias felizes, reconheça-se!

Tem coisas em nossas vidas – sejam grandes ou pequenininhas – que nos deixam frustradas, por vezes magoados ou simplesmente tristes. Nosso pior defeito está em simplesmente fechar os olhos, desprezando o problema.

Não se limite à euforia da vida, e aos momentos lindos que temos dela. Dias tristes são tão importantes quanto os nossos mais altos, porque é neles que aprendemos a mudar e a reconhecer o que é importante para nós.

Pegue seu telefone e ligue para aquele seu amigo do peito que está contigo para tudo. Vá no mercado e compre um pote de sorvete. Assista um filme com milhares de lenços do lado. Mas principalmente: chore.

Quebre com esse tabu de que chorar é uma fraqueza. Chorar lava a sua alma e leva com o rastro das lágrimas o que te incomoda aí dentro.

Escreva se sentir vontade, cante ou grite se achar melhor. Tome um banho de cabeça, escute aquela música que embala teu sono ou sente na janela da sala pra ver o céu e sentir o vento no rosto.

Você precisa aprender que nada de bom resulta em um acúmulo interno. Cuide da tua saúde mental, dê atenção a ela e amor ao teu emocional.

Reconheça seu sofrimento. Cuide-se!

Tradução: Me cuidando

Depois de expulsar tudo o que te incomoda, cuide da causa desse problema. Não basta apenas extravasar se lá na frente você sabe que tudo vai voltar a se repetir.

Procure nas raízes 5 formas de soluções possíveis para sair dessa situação e tente concretizar em uma sequência. Faça planos para isso e corra atrás.

Caso não consiga sozinha, isso também não é motivo nenhum de vergonha. Peça ajuda a um amigo ou familiar, e se ainda assim achar necessário, busque o auxílio de um profissional que possa embarcar contigo nessa procura pela paz.

É assim que surge uma mudança em nós. É assim que você reconhece os seus limites e estende-os.

Mas e depois?

Você vai rir, sem perceber, felicidade é só questão de ser.”

Imagens: Pexels

@ load more