Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Falar de produtividade, por si só, já faz a gente querer revirar os olhos e soltar um grunhido de frustração. Em busca da rotina de trabalho perfeita, a gente fica em busca de técnicas diferentes, tudo para fazer o dia render mais e dar conta de todas as tarefas do trabalho (mesmo as mais chatas) e ainda conseguir tirar do papel os nossos projetos pessoais. No meio disso tudo, existe uma que, talvez, seja a melhor de todas: a regra do minuto.

Funciona exatamente como diz o nome: a ideia é você dedicar um minuto à uma tarefa do seu dia, sempre no mesmo horário. Vamos supor que você quer começar a ler mais. Para isso, você vai dedicar 60 segundos à leitura nas próximas semanas. Ou seja, todos os dias às 07h30, você para um minuto para ler alguns parágrafos de um livro.

Eu sei o que você está pensando agora: ‘mas um minuto não é nada!’. A pegadinha da produtividade está aí. A gente acredita que para ser produtivo e conseguir fazer qualquer coisa, precisa dedicar longos períodos para essa atividade. Se quero começar a fazer um exercício, preciso ficar uma hora na academia e não um minuto – isso não faz sentido! Mas esse é um formato que exige esforço e sacrifício, e por isso gera muita frustração. Se você não atinge essas expectativas, não se sente motivada o suficiente para continuar e desiste.

Por isso, a regra do minuto funciona tão bem. Você começa a desenvolver um hábito em cima dessa meta ou tarefa sem sacrifício e sem esforço – porque todo mundo consegue tirar um minuto para responder e-mails atrasados do trabalho ou atualizar aquela planilha que você vive esquecendo.

De pouquinho em pouquinho, você vai pegando gosto pela coisa e começa a dedicar mais minutos à isso, conforme a necessidade. Se antes você tinha um verdadeiro ranço de responder os seus e-mails de trabalho, agora você dedica um minuto a eles sem querer jogar o computador pela janela. Portanto, passar a fazer isso por cinco minutos ou dez não se torna um problema. Entende como funciona?

De onde surgiu a regra do minuto?

Também chamada de Método Kaizen (‘kai’: melhora, ‘zen’: sabedoria), essa é uma regra que surgiu no Japão, desenvolvida por Masaaki Imai. O autor – que já escreveu diversos livros sobre o assunto e deu palestras no mundo inteiro ensinando sobre o método – acredita que essa não é apenas uma forma de melhorar a produtividade no trabalho, mas uma filosofia de vida que implica em melhorias diárias.

Todo o trabalho de Masaaki é voltado para o sucesso empresarial, de forma que os seus métodos aumentam a produção, diminuem os custos e o desperdício e ainda melhora a vida dos funcionários da empresa – já que eles se tornam uma parte muito ativa em todo o processo.

Dentro de tudo isso, conseguir dedicar um minuto a um livro, a fazer abdominais ou responder e-mails não parece tão complicado assim, certo? A ideia é, justamente, que você comece pequeno, para não sentir que essa nova tarefa na sua rotina está se tornando um problema. Dedicar 60 segundos parece mais animador do que 30 minutos ou 1 hora – quando as chances de você separar esse tempo integralmente para uma mesma tarefa pode gerar frustração. Esses pequenos bolsões de tempo motivam e você se sente mais animada cada vez que consegue cumprir o seu um minuto do dia.

Talvez, essa seja a melhor maneira de você, finalmente, tirar as suas metas de Ano Novo do papel, não é mesmo?

Foto de capa: Pexels


Você conhece a regra do minuto? Usa de alguma técnica para melhorar a produtividade no trabalho (e na vida)?Conte para a gente respondendo a pergunta abaixo ou clicando aqui.

@ load more