Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

E hoje eu acordei com uma ligação dele todo carinhoso me dando um bom dia suuuuper afetuoso. Disse que estava com saudades, que não conseguia ficar mais um minuto longe de mim e que precisava muito me ver. Disse-me, também, que tinha uma surpresa para mim e perguntou se poderíamos nos encontrar mais tarde (leia mais aqui). Despediu-se com um caloroso “eu te amo” e desligou o celular.

Eu fiquei bem curiosa e também ansiosa para que chegasse logo à noite. Passei o dia me preparando, arrumei cabelo, unha, sobrancelha. Me depilei, escolhi, depois de horas, uma roupa e um sapato. Ele não me disse onde iríamos e nem o que faríamos, apenas perguntou se eu aceitava o convite e que me pegava as oito.

Conforme ia anoitecendo, eu já passava mal de ansiedade, pois como não sabia onde ia, também não sabia o que vestir, como me maquiar. Então, troquei de roupa e fiz e refiz minha make umas dez vezes. Andava de um lado para o outro, me controlava para não comer a unha que tinha feito com tanto sacrifício às pressas, olhava o celular de 5 em 5 segundos para ver se havia chegado um sms dele e nada. Olhava para o relógio, mas as horas não passavam. Minha irmã disse que se eu não parasse e sentasse um pouco, ia acabar enfartando, então, coloquei uma música, me joguei no Puff e tentei relaxar.

Algum tempo depois, ouço o barulho de uma moto chegando e o som de três buzinadas – conforme ele sempre faz quando vem me ver – e, ao mesmo tempo, toca o meu celular. Rapidamente, vejo e é uma mensagem no whats: Te esperando aqui fora! Corri, dei uma rápida olhada no espelho, respirei fundo e gritei para minha mãe: estou indo, qualquer coisa ligo! Ele estava lá, lindo como sempre. Me olhou com aquele olhar que parece me perfurar e me deu aquele sorriso encantador. Não disse nada, apenas me deu o capacete.

Fomos e seguimos por um caminho que nunca tinha percorrido antes. Depois de um tempinho, chegamos a uma estradinha que não dava a lugar nenhum. Eu não sabia o que falar, não estava entendendo nada. Então perguntei: Amor, onde estamos? O que a gente veio fazer aqui? Ele disse: Calma menina, larga de ser curiosa! Confia em mim… Então, como sempre, confiei.

Depois de ele arrumar a moto e trancá-la com uma corrente em uma cerca de madeira que tinha lá, seguimos um pequeno e estreito caminho de terra e fomos subindo uma espécie de morro. Quando já havíamos andando uns 10 minutos mais ou menos, ele parou tirou uma venda do bolso e pediu para colocar nos meus olhos. Eu hesitei um pouco, mas no fim acabei cedendo. Demos mais alguns passos e ele me perguntou se podia tirar a venda, eu apenas balancei a cabeça que sim.

Quando abri os olhos eu não pude acreditar, estávamos no alto de um morro e dali eu via a vista mais linda do mundo, via toda a minha cidade, via uma festa de luzes. Quando consegui tirar os olhos dessa vista me deparei com uma barraca montada, uma fogueira, uma toalha gigante cheia de coisas gostosas e um vinho (leia mais aqui). Eu não sabia se chorava, se perguntava o que estava acontecendo, ou se o abraçava e o enchia de beijos, eu fiquei anestesiada.

Só sai desse pequeno transe quando ouvi um som, era minha música preferida, era a nossa música. Olhei para traz e me deparei com ele com flores na mão. Foi quando ele me perguntou se eu queria namorar com ele. Claro que eu aceitei na hora!

Comemos as coisinhas gostosas que ele mesmo preparou, tomamos um vinho. Ficamos ali até tarde nos esquentando em frente a fogueira, contemplando aquela vista e pedindo que as estrelas daquele céu limpo e de lua brilhante abençoasse nosso amor. Até que ele me pegou pela mão e me levou a barraca. Lá tinha uma manta macia coberta de pétalas de rosas, o teto estava enfeitado com pequenas luzinhas e nas paredes haviam cordéis com fotos nossas penduradas.

Ele me deitou com todo o cuidado do mundo e me beijou carinhosamente. Tirou minhas roupas delicadamente peça por peça e enquanto o fazia intercalava beijos pelo meu corpo e mordiscava minha orelha. Depois tiramos sua roupa juntos e então nos amamos loucamente até amanhecer.

Acordei com ele me olhando, apenas fiquei com vergonha e sorri. Conversamos um pouco, falamos sobre a vida e planos para o futuro. Eu só queria ficar ali com ele o resto da minha vida, percebi que ele me fez a mulher mais feliz do mundo de uma forma tão simples que acreditei que não precisava de mais nada na vida para ser feliz além dele e do nosso amor, eu o amava muito e ele também me amava, eu tinha encontrado o homem da minha vida. Eu parecia estar sonhando…

E eu realmente estava, o barulho do celular que me acordou de manhã não era uma ligação do homem que eu amo e sim o despertador me avisando que eu tinha que acordar para a realidade e ir trabalhar. O homem que eu amo, nem sabe que eu existo. Nosso amor só acontece fora da realidade, mas quem sabe um dia ele deixe de ser o homem dos meus sonhos para se tornar o homem da minha vida!

Imagem: Pinterest

@ load more