Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Saindo do Biedronka, uma das redes de mercado mais conhecida da Polônia, e indo em direção a minha casa temporária. Mais uma vez, havia esquecido a sacola retornável na gaveta de casa. Bufei.

Era a terceira vez na semana que esquecia as sacolas em casa e precisava levar todos os itens na mão. Leite, pão, chocolate e algumas cervejas… Mas no final das contas, a errada era eu.

Morar em outro país faz com que você tenha contato com aprendizados locais únicos. É extremamente diferente de quando você está simplesmente passando pela cidade a passeio. Em vários países da Europa as sacolas plásticas são pagas e o costume de todos é ter sua própria sacola.

Na primeira vez na Europa, lembro quando fui ao mercado e achei incrível não ter sacola. Mas de fato, nada mudou na minha vida. No final das compras, colocava todos os itens dentro da minha mochila de viagem.

Mas, ao ir morar, as compras do mercado, obviamente, aumentaram, e nem sempre estava com uma mochila nas costas. Às vezes eu saia dar uma volta no parque, e opa… vou passar no mercado e pegar uns dois itens, e lá estava eu sem sacola.

Quem não ama uma sacola?

As queridinhas sacolas, tão úteis, simples, práticas e gratuitas faziam uma falta danada no meu dia no começo. Mas hoje, não fazem mais. Apesar de serem práticas, têm um alto custo ambiental por serem feitas de recursos naturais não-renováveis.

Há cada hora, cerca de 1,5 milhão de sacolinhas são distribuídas no Brasil. No mundo, em um ano, quase 1 trilhão de sacolas plásticas são consumidas. Número absurdo, não é mesmo?

Mas ao me mudar para lá, pouco fazia diferença este número na minha vida. No começo, me importava em pagar 0,50 zlóty (em torno de 0,65 centavos) em uma sacola.

Depois de um tempo, frequentando o mesmo mercado e os mesmos atendentes, comecei a sentir vergonha com os olhares de “Poxa, você tá vindo há uma semana e não tem uma sacola? Você comprou uma ontem!”.

Até que veio a parte mais importante para mim. A minha sacolinha de 0,50 zlóty influenciava negativamente a natureza. Como eu era responsável ecologicamente pelo mundo.

Cada sacola que eu comprava, de alguma forma, afetava o meio ambiente. Mas quando entendi isso, ficou mais fácil lembrar da sacola. Não posso negar que inúmeras vezes esqueci a sacola em casa.

Mas, por saber da importância de não comprar uma sacola, levava todos os itens enfiados nos bolsos e mãos. Ao criar o olhar sobre as sacolas plásticas foi um grande passo para inserir na minha rotina esta prática.

Você faz a diferença em um todo!

A atitude de cada um faz diferença na soma final. Este consumo consciente começa com uma consciência individual de como o produto polui. Polui em todas as etapas (desde matéria-prima, produção e pós utilizado).

Depois, você percebe o impacto coletivo, já que o número se torna expressivo, você percebe que você pode fazer aquele número diminuir. 

Me acostumei a sair de casa sempre com uma sacola mesmo que não fosse passar em um mercado. Este hábito se tornou presente na minha volta ao Brasil.

Hoje acho estranho ver as pessoas usando de forma descontrolada as sacolas no mercado. Engraçado, pode ser, mas a sacola mudou minha forma de pensar e ser.

Imagem: Unsplash

@ load more