Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Tem dias que eu olho para o lado e a minha única companhia é um sofá todo desgastado, uma televisão que passa mais tempo desligada do que fazendo o que deveria fazer, alguns livros jogados pela sala toda e a minha própria presença – quando não é na sala, é no quarto deitado em uma cama, olhando para as paredes ou para os móveis. É até engraçado dizer, mas quando a gente fica sozinho, sem nenhuma alma por perto, encontra jeito de passar o tempo. Sempre achei uma atitude doida, mas no fundo todo mundo tem um pedacinho, o mínimo que seja, mas tem.

É hilário, mas tão desesperador saber que a única pessoa que você pode ter para jogar uma conversa fora é você mesmo. Mas aí um vira dois, dois vira quatro, quatro vira oito e tudo vai aumentando em um nível tão intenso que tudo parece ser totalmente real. E, por um breve tempo, tudo se torna real mesmo. Os personagens que você criou, aqueles baseados na sua própria vida e aqueles que são cópias perfeitas do que você acredita que são os seus amigos – mas eles não sabem, porque o que você pensa sobre eles não sai dos seus pensamentos – criam vida e saem da mente. É ilusão acreditar que eles estão sentados ao lado ou até mesmo tomando um café, mas quem não acredita nessas ilusões pelo menos uma vez na vida? Quem nunca conversou com pessoas que são criadas dentro de você, mas que trazem o esquecimento de tudo no momento?

É seguindo em frente que é possível encontrar a paz e felicidade 2

E reclama do serviço, e fala do namoro que está indo péssimo, e pede opinião sobre o que deve fazer em relação a alguns amigos, e pergunta se prefere a blusa preta ou rosa choque, e questiona inúmeras bobeiras, ri de tudo feito besta, chega até a oferecer um café e o tempo? Quando se vê já foi todo embora. Aí levanta, passa a mão no rosto, tira sarro dá própria doidice e volta a viver na “vida real”. Mas bem que gostaria de ficar vivendo no mundo que cria nas horas vagas com as pessoas que imagina quando não tem as preocupações todas na cabeça.

Mas depois que cai na real é difícil encontrar a direção dos pensamentos maravilhosos. O sossego some, o celular começa a disparar cheio de mensagens, um grita daqui enquanto o outro grita dali, escuta barulho de carro, moto, é televisão ligada, cachorros latindo, passarinhos cantando, as preocupações todas voltam a perturbar, lembra que precisa resolver um problema ali, mas já tem outro se formando lá e pensa que a loucura baterá à porta, mas ela não bate.

É seguindo em frente que é possível encontrar a paz e felicidade 1

Resolve tudo, passa mais um dia, agradece a algum deus ou não agradece a ninguém, vê que já é hora de descansar, fecha os olhos, dorme, mas fisicamente, porque a mente continua pensando que amanhã já é outro dia, fica com uma enorme ansiedade e medo do que poderá acontecer. Traduzindo: não dorme tão bem. Arrisco dizer que a gente só dorme em paz, como um anjinho, quando é criança.

Quando cresce não consegue dormir tão à vontade, porque a realidade de tudo não tira descanso, sempre perturba, se não é durante o dia, é durante a noite, mas sempre dá um jeito de atrapalhar. De um jeito ou de outro, consegue dormir. O despertador toca logo cedo e caramba, mas já? Não conseguiu nem sonhar direito. E pesadelos, teve? Não lembra. Fica feliz por mais um dia de vida, implora para que seja um dia melhor e segue. É seguindo em frente que é possível encontrar a paz e felicidade, seja lá onde elas estejam. 

Mas a ideia de viver no mundo que cria na própria cabeça não sai de moda nunca, sempre deseja, mas enquanto ele ainda não é real, continua no que está sendo permitido no momento. Mas, acima de tudo, vive. Como vive!

Imagem: Pexels

@ load more