Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Eu quero muito te contar sobre tudo aquilo que um dia eu já desejei e que, hoje, hoje não mais. Sabe aquele vestido maravilhoso que fica perfeito na manequim? Pois é, eu já desejei não ele, mas que ele ficasse em mim como estava nela. E olha que eu fazia exatamente como esses gurus mandavam, sabe? Olhar para o espelho e repetir que eu era linda e maravilhosa. Mas a verdade é que não funcionava. Eu nem estou falando que não vai funcionar, mas antes de se olhar no espelho, certifique-se de que tenha coragem para ver de corpo e alma quem está ali.

Aqueles livros que eu tanto tinha vontade de ler e que me convenciam que em futuro muito próximo eu estaria em uma bela casa lendo e aprendendo um pouco mais sobre tudo. Era um tudo que eu queria. Um tudo de coisas que no fundo não faziam sentido. Um tudo que era a comprovação de uma vida perfeita para os outros e não para mim.

Talvez o mais difícil seja se olhar e perceber as suas imperfeições. Perceber que o corpo não é como o que você sonhava e que a sempre algo que você vai querer melhorar. Que a roupa não tem um caimento tão bonito como você imaginava. É bem possível que se olhar no espelho sem se fazer juras de amor signifique ver realmente quem se é de verdade.

E ser real é algo muito doloroso. É muito difícil se ver completamente sem maquiagem e sem os elogios alheios. Apenas se ver é difícil.

coragem

Por desejar sempre estar o mais perto da perfeição é que a gente vai se perdendo completamente. É como se a vida fosse uma corrida desesperada para se chegar ao final e, quando chega o final, pouco importa a perfeição alcançada, mas sim o quanto do percurso foi aproveitado, ou não.

Eu gosto de acreditar que estou aproveitando o percurso, mas não tenho certeza. Já perdi algum tempo tentando ter e ser coisas que não me importavam. É cruel fazer isso consigo, mas a gente faz.

A gente faz quando decide não comer nada do que gostamos para entrar naquele vestido, ou então escolhemos aquela faculdade que não gostamos só para mostrar que teremos um diploma. Ficar em um trabalho que não se gosta só porque, para tentar fazer o que te faz feliz, falta coragem.

É cruel o que desejamos às vezes. Cruel porque podemos mais, mas nos conformamos com o que os outros iram achar bom.

Eu confesso para você que já desejei inúmeras coisas pelo simples fato de ser o que a maioria aceitaria. Mas depois de perceber que o sofrimento de não ser o que eu gostaria era todo meu, comecei a me questionar o que estava fazendo.

E o que será que estamos fazendo?

Só espero que de tempo de voltar. De voltar para quem somos, para os desejos genuínos. Voltar para aquilo que nos farar feliz independente da opinião dos outros.

E o que eu posso te desejar é que você não perca toda uma vida desejando viver o outro e esqueça de viver você.

Imagem: via Shutterstock


O que você responderia a essa pergunta logo abaixo, feita por uma de nossas usuárias do Clube Superela?

@ load more