Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

“Sinto um alívio ao ir às compras!” Quem não sente, não é mesmo?

Bom, não tem como eu não falar sobre mim! Eu me sentia tão bem comprando… peraí, ainda sinto, rs.

Hoje com certeza é menos, até porque eu realmente descobri o que estava por trás daquelas compras. Quase todos os finais de semana eu estava no shopping passeando e dali não saía sem uma sacola, além de comprar muito pela internet também.

Até então eu achava que o meu caso era normal, pois somente me achava consumista. Só que tinha um detalhe: quando eu estava feliz eu comprava, quando estava triste comprava e quando estava com raiva, nem preciso falar!

Outra coisa: na hora da compra eu sentia uma sensação muito boa, pois ir às compras dá prazer, não é mesmo? Só que minutos depois eu ficava chateada por olhar aquilo que comprei e saber que não estava precisando, e logo vinha a culpa. Então para me livrar desse sentimento eu acabava doando as coisas que comprava.

O que eu mais comprava eram itens de maquiagem. Ia muito ao salão de cabeleireiro e, é claro, comprava muitas roupas.

Além disso, eu tinha um problema de autoestima, crenças sobre o dinheiro e um trauma que sofri, que foram dois abortos antes de conseguir engravidar das minhas filhas.

Só que, até então, eu não tinha percebido nada disso. Só fui entender depois que comecei a me organizar financeiramente. Já contei para você o que perdi, né? Se você não sabe, me siga no Instagram e YouTube, pois já falei sobre isso lá.

Eu não tinha depressão e nem ansiedade, porém tinha problemas emocionais que me levavam a ir às compras.

Não precisei de ajuda de um profissional da área, mas cada caso é um caso, então vou falar aqui alguns sinais aos quais você precisa ficar atenta e, dependendo, você realmente precisa buscar ajuda.

Todos nós somos consumistas, então devido a essa era de consumismo em que estamos vivendo é normal a gente fazer uma compra por impulso. Mas, veja, neste caso do consumismo você compra, mas usa em algum momento.

Agora, se estivermos falando da oniomania, que é uma doença que se caracteriza pelo desejo anormal, compulsivo, intenso e permanente de fazer compras, aí já estamos falando de uma patologia.

A oniomania é caracterizada por:

  • Aumento progressivo do volume de compras;
  • Tentativa frustrada de reduzir ou controlar as finanças;
  • Comprar para lidar com as emoções;
  • Mentir para encobrir o descontrole das compras;
  • Problemas financeiros causados pelas compras.

Existe tratamento para a oniomania através da ajuda de um psiquiatra e da psicoterapia cognitiva comportamental.

Às vezes o diagnóstico da oniomania não é percebido com facilidade, visto que a princípio é confundida com o consumismo “normal”. Então, quando há problemas financeiros causados pelo consumo, aliado às outras informações que citei acima, é que realmente se pode falar que a pessoa está com onimania. Mas vale lembrar que é só um médico que poderá dizer se realmente a pessoa tem oniomania.

Não é só com as mulheres que a oniomania acontece, apesar de elas serem a grande maioria isso também acontece com os homens, mas, no caso deles, o consumo é voltado para tecnologia, carros e também acessórios automotivos.

Além do tratamento que mencionei anteriormente, também existem grupos aqui em São Paulo, como o PRÓ-AMITI (Programa Ambulatorial Integrado dos Transtornos do Impulso), além dos grupos de Devedores Anônimos, que existem em diversos estados. Então, não hesite em procurar ajuda!

Te espero no próximo artigo. Um abraço!

@ load more