Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

“Doutor, vou terminar meu namoro!”

Ouvi essa frase de uma paciente assim que descobriu que tem HPV (essa é a sigla que usamos para o papiloma vírus humano). Descobrir que se é portadora de HPV choca todas as pacientes. Isso porque a infecção pelo HPV, apesar de muito comum, infelizmente é pouco discutida pela sociedade. E o primeiro pensamento que vem à cabeça da paciente, quando ela descobre que isso é uma infecção sexualmente transmissível, é traição! Não quero livrar a barra de ninguém e muito menos dizer que seu namorado é 100% fiel, mas preciso contar o que acontece.

Vamos explicar tudo e desde o começo:

De tempos em tempos, seu médico deve ter te pedido para fazer o exame colpocitológico (mais conhecido como papanicolau – ou papa), mas você sabe por que ele te pede esse exame? No papa, coleta-se com uma espátula/escovinha um pouco de conteúdo do colo uterino, que será analisado no microscópio depois. E é através dessa amostra que se avalia as características das células do colo útero, procurando alterações que possam, lá na frente, virar o câncer do colo do útero. Descobrindo essas lesões no estágio inicial, há tempo para tratá-las antes que se tornem algo mais sério.

“Tá, doutor. Mas qual a relação disso com o HPV?”

 

O HPV não é o único fator, porém é fundamental para essas lesões aparecerem. E se pedimos papanicolau para todas as mulheres é porque o contato com o HPV é muito mais comum do que se imagina. A grande maioria das pessoas sexualmente ativa já teve contato (ou é portadora) com HPV responsável por verrugas anogenitais – e lesões precursoras de câncer de colo uterino.

E apesar de bastante gente ter o contato com o vírus, sabe-se que uma mínima parte vai desenvolver verrugas genitais ou lesões no colo do útero, que aparecem apenas em exames como o papa. O restante convive com o vírus – por tempo indeterminado – sem apresentar qualquer manifestação clínica – e tá tudo certo!

“E por que a culpa não é do meu namorado?”

Simples! Porque não dá para saber se o contágio foi recente ou antigo. Você pode ter o vírus guardado (em fase latente) no seu organismo e desenvolver lesões anos depois, quando estiver com seu atual namorado – e a culpa não é dele! Ou então ele pode até ter transmitido o vírus para você mas, pelo mesmo motivo, ele pode ter sido contaminado antes de te conhecer.

Agora que você sabe a importância dos exames preventivos, não esqueça de fazer os seus! Pelos novos protocolos, o papa não precisa ser pedido todo ano para todas as mulheres, mas não postergue se o seu estiver atrasado. Como vimos acima, ele pode te livrar de um câncer!

Se apareceram verrugas no seu corpo ou se você fez algum exame que deu positivo para HPV, não se assuste! (E nem procure na internet – em sites não confiáveis – o que significa, senão seu desespero será pior que o da traição!). Procure um médico para esclarecimentos e acompanhamento.

Há vários tipos de tratamento para as mais diversas lesões que possam aparecer e tê-las não significa que tem ou terá câncer no futuro.

Imagem: Unsplash

@ load more