Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Eu já perdi inúmeras chances de ser feliz com alguém por conta do que eu ainda carregava do meu passado (leia mais aqui). Ok, inúmeras talvez seja um pouco de exagero, mas consigo recordar algumas situações em que estava meio que “encostado na parede” e resolvi seguir sozinho. Por medo. Por covardia. E é até bom que eu faça essa reflexão aqui. Não para que eu mude a minha atitude (coisa que demanda uma coragem que eu ainda busco), mas para que você não repita os mesmos erros que eu.

Não deixe seu passado pesar no seu presente.

Nessa confusão toda, então, plantei alguns sentimentos lindos, mas depois tive que cortá-los em decepções. E é uma grande merda quando você alguém se esforçando e tentando entregar todo o seu carinho para outro que simplesmente recusa aquilo tudo. Gente que se doa e se dá por inteiro sem conseguir enxergar o fundo, se jogando de cabeça, mas batendo rapidamente no raso que é oferecido. E no chão vem escrito “medo”, que nunca pode ser quebrado por pura pressão.

Julgar aqueles que se fecham e colocar esse medo na berlinda, às vezes, é cruel. O castigo já vem à galope, com o arrependimento manejando as rédeas e o destino tratando de mostrar que a covardia tem um preço: a solidão (leia mais aqui). E você pode sempre escolher entre continuar sozinho ou ter a oportunidade de se entregar de verdade de novo. Existe o receio? Sempre. Só que todas as decisões na vida envolvem riscos. Até mesmo quando você se fecha, corre o risco de nunca mais conseguir se abrir.

E ir apodrecendo por dentro.

não deixe seu passado pesar

Continuar enclausurado em si por conta do que passou é como cultivar aquela farpa que entrou no dedo e a pele cobriu. Quando algo bate, dói. Quando alguém oferece um carinho no lugar, recua-se já pensando na dor sentida. Não se deixe viver o toque do novo nem se recuperar da ferida. Os transtornos causados continuam acontecendo no presente. E não há cura para aquele que não quer ser curado. É preciso, antes de tudo, desejar mudar a situação vivente. Ou permanecer doente.

A escolha pode não ser tão simplória assim, mas as dificuldades são criadas por nós mesmos.

Peço, por fim, que você faça o exercício e se imagine daqui há algum tempo. Ainda sozinho? Ainda sofrendo? Quantos bons sentimentos ainda serão desperdiçados até que você chegue à conclusão de que está pronto? Posso dar uma dica aqui: não existe essa coisa de “pronto”. Nós fazemos o momento e estabelecemos qual o caráter dele. O resto é desculpa esfarrapada, ou covardia disfarçada.

Sei que não tenho direito algum em chegar falando um monte de coisas. Pode me xingar se quiser. Só trago todas essas palavras porque eu sei do que estou falando. Eu já me fechei e desperdicei. Eu já me arrependi e não vou poder voltar atrás de maneira alguma. Eu já joguei fora momentos verdadeiros porque não me julgava digno ou apto a viver aquilo. E tudo isso por conta de um medo bobo e um passado usado como muleta.

Seja livre, bem resolvido, e não tenha medo de seguir em frente.

Imagem: Pinterest

@ load more