Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Um dia desses estava conversando com uns amigos e eles me falaram sobre Ikigai, fiquei curiosa, já que nunca havia ouvido falar, aí eles me falaram que Ikigai é uma palavra japonesa que se traduz como razão do ser, aquilo que motiva a vida.

Aí fiquei pensando: onde estava o meu Ikigai?

Qual era a razão do meu ser? Aí eu entendi que isso pode ser muito maior do que parece. Muitas vezes a gente vai vivendo dia a dia sem pensar muito, sem se questionar de onde estamos ou para onde vamos. E lamentavelmente muitas vezes nos posicionamos muito longe do nosso Ikigai.

Segundo Confúcio, se a gente escolher trabalhar com algo que a gente goste, não trabalharemos um único dia.

Eu particularmente não acredito nisso, para mim ao trabalharmos no que gostamos o trabalho fica mais fácil, e logicamente se trabalhamos com a nossa vocação as coisas ficam mais leves, mas trabalho faz parte do nosso crescimento. E se acharmos o nosso Ikigai, e ele tem a ver com nosso profissional, atingirmos uma realização de dever cumprido todos os dias. Crescemos sim como pessoa, mas continuamos sendo profissionais em relação àquela tarefa, e aquilo continuará sendo um trabalho, que tende a ser bom, mas é um trabalho.

Como vivemos num mundo capitalista, o sustento e o dinheiro são essenciais, e muitas vezes acabamos esquecendo o que realmente nos faz felizes. Ou simplesmente pela busca por dinheiro e sustento, simplesmente desconhecemos ou ignoramos nossos talentos, aquilo que fazemos bem, nossa vocação, nosso dom, ou mesmo nosso hobby.

No mundo em que vivemos sempre as mais prejudicadas em achar o próprio Ikigai, somos nós mulheres.

Temos tantas obrigações e fazemos tantas coisas, que muitas vezes mal temos tempo para olharmos para nós mesmas. Sem contar que muitas de nós vivem situações de opressões, declaradas, ou mascaradas, nas quais torna-se praticamente impossível achar alguma razão que não seja movida pela necessidade.

Mas apesar das situações vividas, existe um estudo que diz que muitas mulheres se libertam com trabalhos manuais, que ao usar as mãos colocamos nossa arte de criar para fora. Porém muitas de nós não tem a menor noção disso, nunca se quer parou para pensar ou se avaliar quais são as atividades que costuma, ou gostaria de praticar com as mãos em seus momentos de tristeza e solidão. Esteja certa que ao reparar uma das respostas do seu Ikigai está nessa observação.

Achar o próprio Ikigai não é fácil, mas como tudo que faz bem, dá um trabalho procurar, encontrar.

“A razão de ser”; ‘A razão de levantar de manhã,’ e desfrutar o sentido da vida – paixão, propósito, algo pelo qual viver.

É preciso algum autoconhecimento para entendê-lo e praticá-lo.

Mas ao achá-lo ele tem um dom libertador, tanto para quem acha quanto para todos que convivem com os sortudos que acharam.

Ao nos observarmos com cuidado e com carinho notaremos que a vida passa a ter muito mais graça quando achamos nossa razão de ser. Observando as pessoas, notei que essa razão não necessariamente tem a ver com trabalho ou vida profissional, muitas de nós acha a razão de ser sendo mães, outras quando realizando algum trabalho voluntário, ou ainda quando praticam um esporte, ou quando colocam a parte artística para fora. Algumas vezes é essa descoberta que liberta, que tira da opressão, que fortalece, é o Ikigai que muitas vezes empodera.

Ao falarmos de empoderamento, não há algo que nos dê mais segurança do que a certeza de que estamos fazendo aquilo que sabemos, que dominamos, de que estamos pisando no nosso terreno fértil. Se ao fazermos ainda gostamos muito daquela atividade, aí a energia de viver se apodera da gente e descobrimos uma função para estarmos aqui. Algo que é só nosso, que só a gente consegue fazer daquele jeito. Essa certeza está diretamente ligada à força vital, a certeza de que aquilo, daquela maneira nós somos insubstituíveis.

Se você nunca procurou, que tal começar a buscar seu Ikigai? Que tal achar a razão do seu ser, o motivo de estar aqui, e a força para encarar dias felizes e outros nem tanto?

Eu estou achando o meu, e posso garantir é libertador!

Imagem: YouTube

@ load more