Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Se você é fã e acompanha moda, com certeza conhece a Anna Wintour, editora chefe da Vogue americana, ou seja, a pessoa que dita a moda que o mundo inteiro usará. Em 2003 foi lançado o livro e em 2006 o filme “O Diabo Veste Prada”, onde contava a história da experiência de Andy Sachs trabalhando na revista Runway, sob as humilhações de Miranda Priestley, e as meninas sempre toleravam, pois colocaram na cabeça que “Um milhão de meninas matariam por esse emprego”

Síndrome de Anna Wintour – Não, isso não é legal! 1

O papel de Miranda foi brilhantemente interpretado por Meryl Streep (estamos sem novidades aqui) e na ocasião do lançamento do filme e do livro, todos souberam que foi inspirado em fatos reais, que Miranda Priestley era a Anna Wintour.

O que deveria ter sido um choque para as pessoas, motivo de repulsa, ou enfrentamento, virou inspiração. Especialmente no mundo da moda, presenciei casos de pessoas extremante arrogantes, grossas e preconceituosas porque acham que a Anna Wintour ocupa a posição que ocupa por que ela intimida seus subordinados. Vou contar um segredinho: Anna Wintour ocupa a posição que ocupa porque ela é talentosa e sabe o que faz. Ser estúpida é um defeito terrível, e não é daí que vem seu sucesso. Não queira ser como ela nesse aspecto, pois você só encontrará bajuladores incompetentes! Trabalhe para ser alguém que dite moda, não para ser um escroto.

Síndrome de Anna Wintour – Não, isso não é legal! 2

Não tenha síndrome de Anna Wintour, isso não é legal!

Trabalho há algum tempo no meio da moda, como designer gráfico e modelo Plus Size, e já trabalhei com grande e gente pequena, mercadologicamente falando. Com alguma experiência no mundo dos reles mortais, tenho algumas histórias pra contar. Acredite, as pessoas bem sucedidas de verdade são incríveis como humanos também, salvo triste exceções, mas essas, muitas vezes, têm vidas pessoais infelizes, o que talvez psicologicamente explique tal comportamento.

Vou contar duas histórias que aconteceram comigo, sem citar nomes para evitar transtornos, publicidade e porque o intuito é ilustrar o comportamento das pessoas e evitar que outras sofram na mão de pessoas destrutivas e não fazer fofoca.

Certa vez trabalhei para um estilista X, um “Zé Ninguém”, conhecido em lugar nenhum, mas ele não sabe disso, ele acha que é super famoso. O dia que ele descobrir ele vai ficar mais perdido ainda, coitado. Pediram para as modelos ajudarem a levar os vestidos para o camarim. Solícita, fui. Abri um sorriso e cumprimentei desejando bom dia. Ele nem respondeu e jogou o vestido no meu colo. No camarim, foram 5 horas com um homem gritando grosserias a troco de nada (não que haja algum motivo pra gritar), xingando a tudo e a todos. Ele chamava as modelos de javali, mamute, retardada, burra, favelada e mais tantos adjetivos que fiz o possível para abstrair. Gritava dando ordens para as modelos e atribuições que não eram pertinentes a função, mas que com certeza ajudaria, se fosse uma pessoa com o mínimo de educação (veja mais aqui).

Síndrome de Anna Wintour – Não, isso não é legal! 3

As modelos com mais tempo de mercado que conheciam o monstrinho se recusavam a trabalhar pra ele. As que estavam naquele projeto pela primeira vez foram jogadas para trabalhar naquela tarde atordoante, ou pessoas que já o conheciam, mas por algum motivo aceitavam trabalhar nessas condições. Antes dele chegar nos foi avisado como era o comportamento dele sobre a premissa que era o “jeito dele”ou ele é “meio doido”.  Não gente, ninguém deve tem o direito de maltratar ou humilhar alguém.

As pessoas têm que ter claramente na cabeça que, independentemente da posição que o outro ocupa, elas só estão lá se todas as com que pessoas que trabalham fazem o serviço corretamente e trabalham com e por elas. E, por favor, porque se submeter tanto à pessoas que sugam tanto suas energias e desvalorizam seu trabalho?

Você acha que a Anna Wintour colocaria edições tão lindas nas bancas sem suas Emillys (como ela chamava suas assistentes)? Ou como esse estilista mostraria seu trabalho sem suas modelos? Colocaria no cabide e desfilaria ele? Ninguém realiza trabalho NENHUM sozinho. Então não deixe ninguém pisar em você. Valorize-se!

Síndrome de Anna Wintour – Não, isso não é legal! 4

Em tempo, eu concluí este trabalho em respeito as pessoas que me indicaram a ele, que são pessoas sérias, mas minha vontade era ir embora. Atitude que outras pessoas já tiveram em outras ocasiões e com razão.

A segunda história aconteceu em um trabalho que realizei com uma empresa grande. Dessas que com certeza você conhece. Ao chegar, todos em tom educado solicitaram que aguardasse, encaminharam as modelos ao camarim e nos serviram um banquete. Até começar gravar a cena, aguardei por longas horas e sequer senti o tempo passar, por tão querido que foi o pessoal do staff que estava trabalhando. Clima leve, sabe? Precisaram cortar minhas unhas para mudar o formato – eu estava com unhas estiletto e eles queriam unhas quadradas – ninguém me deu ordem, vieram me pedir autorização.

Na hora da gravação da cena, com uma equipe balada, o diretor perguntava se poderíamos fazer a cena mais uma vez para ver se em outra forma ficaria melhor. Equipe grande, preparada e todos extremamente solícitos e educados. Tiveram preocupação em saber como voltaria pra casa.

Esse tipo de comportamento deveria ser o padrão. As pessoas têm de ser legais uma com as outras, pelo simples motivo que é muito melhor viver assim!

Síndrome de Anna Wintour – Não, isso não é legal! 6

Sei que tem muita gente ruim ocupando cargos importantes, mas confesso que a experiência positiva com gente que vejo brilhar me deu esperança. Os medíocres, esses se destroem sozinhos! Não se esqueçam de ser legais uns com os outros! =)

 

@ load more