Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Você já disse isso alguma vez? Olha, eu mesma sempre dizia isso e pensava “trabalho fora e em casa, então eu mereço, vou comprar sim”. Não estou dizendo que nós não somos merecedoras, mas o fato é que devemos fazer uma avaliação mais fria e pensar se realmente isso não pode comprometer o orçamento.

Eu tinha uma sensação de esgotamento, angústia, ansiedade e, então, quando eu entrava na loja, me sentia única – aquela música, o espelho que me deixava bem naquela roupa, enfim, tudo conspirava ao meu favor!

Ao sair da loja continuava com aquela felicidade, me sentia leve e dizia ‘Eu mereço!’, só que tinha um detalhe: quando chegava a fatura, eu ficava desesperada pois não sabia como fazer para pagar.

Quantas vezes eu mentia para o meu esposo dizendo que aquela compra era da minha mãe, pois assim eu sabia que ele não iria perguntar. Veja só até que ponto eu cheguei.

Não sei se você tem essa Síndrome do ‘Eu mereço, pois trabalho tanto’, mas é interessante que você faça uma análise do que você construiu até hoje – e, aqui, eu vou ainda mais longe –, pensando que se você não recebesse seu ganho mensal hoje, como você faria?

É importante que a gente saia do automático e comece a refletir. Se você me acompanha no Instagram e YouTube sabe que estou sempre dando orientações sobre como organizar as finanças, mas só isso não basta. No fundo você sabe que precisa gastar menos do que ganha, não é mesmo?

E por que não consegue fazer isso?

Umas das principais respostas que tenho, pela minha experiência de vida e pelas consultorias que faço com mulheres, são:

  1. Elas não têm um sonho ou objetivo;
  2. Têm preguiça de fazer;
  3. Têm dificuldade em criar novos hábitos;
  4. Por conta de suas crenças sobre o dinheiro.

Não adianta você começar a organizar suas finanças se você tem crenças e se você não consegue criar novos hábitos, e é neste ponto que falo que minha mentoria é diferenciada, pois utilizo técnicas tanto para criar novos hábitos como também para trabalhar essas crenças – que muitas vezes achamos que não temos, quando na verdade temos sim.

Já cansei de falar isso, mas não custa repetir, rs. Não é para ser sovina, deixar de comer para guardar dinheiro, nada disso.

O que sempre digo é que é preciso ter um equilíbrio: guardar para o futuro, mas viver o presente. Não temos como prever imprevistos, então precisamos nos planejar e saber poupar uma parte do que ganhamos.

Muitas pessoas me falam “Amanda, eu ganho pouco”. Eu digo que isso é uma desculpa, pois se com pouco já não é suficiente, imagine se você ganhar muito.

Aproveite que estamos no fim do ano e comece a se planejar. Não caia na armadilha do consumo, pense bem antes de comprar, veja se não está comprando por influência ou por impulso.

Falando em influência, vou te contar uma história e, em seguida, você vai refletir.

Chapeuzinho Vermelho estava andando pela floresta, indo para a casa da vovó, que estava doente, para levar a cesta com pães de mel. Logo ela se viu diante de dois caminhos: uma estrada longa com menos perigos e outra estrada curta, porém mais perigosa.

Enquanto ela decidia, o lobo mau se aproximou para orientá-la sobre o melhor caminho. Ela, sem questionar, acabou sendo influenciada pela escolha do lobo mau. E ainda disse para ele que estava indo para a casa da vovó.

Ele, muito rapidamente, chegou primeiro. Estava faminto, então comeu a vovozinha, colocou a roupa da vovó e quando a Chapeuzinho Vermelho chegou não reparou que não era sua vovó e sim o lobo mau. Por fim, ele a comeu!

Existem várias versões para essa história, mas quero que você pense: será que você não está sendo influenciada como a Chapeuzinho Vermelho?

Tome suas próprias decisões, não se deixe levar por influências que só vão levar o lobo a comer o seu dinheiro!

Te espero no próximo artigo.

Imagem: Freepik

@ load more