Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Se já basta uma reunião familiar para ouvir questionamentos sobre sua vida amorosa, ou se um encontro com as amigas casadas se torna um momento de julgamentos sobre suas decisões de vida, atenção: você pode estar passando por uma situação de single shaming. Estigma social contemporâneo, o single shaming pode ser explicado como uma série de casos onde a mulher, normalmente a partir de 27 anos, é julgada por ser solteira. Esse tipo de crítica é sempre vinculada a um olhar muito negativo em relação ao fato de viver sozinha. De maneira geral, a sociedade ainda crê que estar com alguém significa que a mulher foi desejada e escolhida. Estar solteira resultaria em uma percepção de inabilidade, desvalorização, desaprovação e infelicidade.

Os tempos mudaram, o comportamento feminino se transformou e o girl power ganha força dia após dia (leia mais aqui). Em matéria publicada no ano passado, a revista New York apontou as mulheres solteiras como o segmento de maior representatividade política e econômica na sociedade americana. No Brasil, a situação não é diferente. A “solteirice” é, sim, opção para muitas mulheres.

Vivemos em uma época onde os objetivos e interesses femininos não se restringem a ser dona de casa ou constituir família (como já falamos aqui). Existem aquelas que valorizam e buscam a independência financeira e o sucesso profissional. Essas conquistas as deixam mais felizes que qualquer outra realização pessoal. Então, enquanto elas trabalham para atingir seu objetivo, não sobra espaço – ou até mesmo vontade – para buscar um parceiro.

Single shaming: como lidar com os julgamentos por ser uma mulher solteira 1

As mulheres são as principais vítimas do single shaming a partir do momento em que elas são mais cobradas socialmente nesse sentido. Afinal, o senso comum ainda acredita que o papel do gênero masculino é o de escolher. Ou seja, se o homem está solteiro é porque ele não quer ninguém no momento. Já a mulher que está sozinha, presume-se, erroneamente, que ela não foi escolhida/desejada por ninguém. E, apesar da sensação de independência de muitas, ainda há aquelas que são atingidas pela pressão tanto de si mesmas, como da sociedade.

Em algumas culturas orientais, como a chinesa, por exemplo, as solteiras são vistas como um grave problema em um país em que as mulheres devem priorizar o casamento e a maternidade. No último ano, um anúncio emocionante sobre as chamadas sheng nu (mulheres que sobraram) mostrou a realidade das chinesas que lidam com a pressão de serem obrigadas a casar em respeito ao Estado.

Single shaming: como lidar com os julgamentos por ser uma mulher solteira 2

Seja por um comentário maldoso de algum familiar ou amigo próximo, o single shaming pode afetar uma mulher de diversas formas, podendo diminuir a autoestima ou causar estresse. Para fugir dos julgamentos, o importante é cultivar o amor próprio. A verdadeira busca do amor é o inverso do que muitas pensam. Não procure um namorado, mas encha o seu coração de amor com tudo que você gosta e de você mesma! Divirta-se com os seus amigos, desenvolva novos projetos, saia para dançar, conheça o mundo e se permita conhecer-se melhor também. E não adianta ficar com qualquer pessoa somente para mostrar aos amigos ou a família. Respeite seu tempo certo e, principalmente, seu bem estar emocional. Mulher solteira, sim… Feliz, sempre!

Imagem: Pinterest


Vamos ajudar a leitora abaixo?

@ load more