Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Nos contos de fada existe o famoso “e foram felizes para sempre…”. Essa frase, por muito tempo, fez os olhos de mulheres brilharem e desejarem intensamente encontrar um amor estilo príncipe encantado, que vinha salvar seus sonhos, planos, livrá-las dos pesadelos e transformar a vida em uma magia profunda (leia mais aqui).

Mas como seria o “felizes para sempre” de hoje? Ninguém nunca mostrou, nos contos infantis, como fica a vida da Cinderela depois que ela descobre que o príncipe é um ser humano completamente normal, com suas necessidades fisiológicas, seus desacertos psicológicos e sua imaturidade masculina.

Os amores de contos de fada já geraram muitas expectativas, a espera desse príncipe perdurou e até causou alguns estragos. Hoje em dia, ainda encontram-se resquícios fortes de toda uma cultura tradicional que cresceu ouvindo as histórias infantis e tomaram pra si algumas crenças que impedem a felicidade conjugal, afinal, todo príncipe passa a ser real entre quatro paredes, o que também vale para a princesa.

O maior erro da mulher que deseja ter um príncipe encantado é acreditar que o homem da sua vida vai ser perfeito e, consequentemente, a sua vida também. Ela espera alguém que a salve de algo que nem ela mesma sabe o que é. Reconhecemos as mulheres que foram educadas lendo e ouvindo as histórias de Cinderela, Branca de Neve, Rapunzel e outras, quando elas querem um homem que seja do jeitinho que imaginou, sem tirar, nem pôr.

Então, ela encontra o homem que toda mulher sonha em ter ao seu lado, e aí o que acontece? Toda mulher quer, menos ela, porque ela quer consertar o mundo, ela quer “transformar” homens em príncipes, ela quer, até, competir consigo mesma, lidando com questionamentos internos que trazem aquele tipo de cisma psicológica de que: “eu preciso mudar esse homem, eu acredito no amor e por mim ele vai mudar”. O paradigma da felicidade amorosa: estar com alguém que vale a pena versus encontrar um sapo para transformá-lo em príncipe.

idealizar o amor

O amor romântico não é um problema, mas as idealizações que partem dele, sim. Se você projeta no outro as suas expectativas e começa a esperar que ele seja lindo, gentil, carinhoso, romântico, que ele mande cartas, não peça nudes, que envie flores e não te convide de cara para transar, há um grande risco de decepção e frustração. Afinal, cada um de nós têm um brilho, têm o seu próprio jeito de ser, criar uma história e contar que os personagens reais atuem de acordo com o seu roteiro é certamente um encontro marcado com a desilusão.

Agora, não existe uma fórmula mágica que faça você se apaixonar por uma pessoa assim ou assado. O amor, a paixão, eles acontecem muitas vezes onde a gente menos espera. Então, para resolver essa questão sobre – esperar o príncipe encantado e quando ele aparece não é exatamente o que eu quero – o primeiro passo é marcar um encontro com você mesma.

Autoconhecimento é a chave que abre muitas portas na vida da gente e não é diferente nos relacionamentos. Uma mulher bem resolvida é aquela que sabe o que quer, que não se machuca por qualquer bobagem, que traz a sua essência como parte principal do espetáculo da vida. Comece a entender o que você realmente ama fazer, o que ama comer, qual é o estilo de música e filme que você prefere, entenda você como você entende a suas migas.

Se conhecendo melhor você já elimina as companhias que sabe que não vão agregar na sua vida amorosa. Depois, se você sabe o que quer, não vai idealizar a outra pessoa e colocar nas costas dela o seu sonho de homem perfeito. Pelo contrário, você vai conseguir distinguir o que dá pra aguentar e o que realmente não combina com o seu estilo de vida.

idealizar o amor

O amor e o romance são gostosos demais, os primeiros passos da conquista, as trocas de olhares, as primeiras palavras, enfim, é tudo muito gostoso de viver, sentir e não há problema nenhum em querer um amor romântico, mas insisto em 3 pontos:

– Não idealizar o amor, mas sim se autoconhecer para entender o que você realmente quer.

– Não esperar pelo príncipe encantado perfeito, mas dar oportunidade para homens de verdade e avaliar o que vale a pena deixar passar pelo seu controle.

– Por fim, saber que o romantismo pode durar uma vida inteira, mas não em tempo integral.

Quanto mais conhecemos o nosso parceiro e a nós mesmas, mais esse cenário de romantismo vai sumindo, dando lugar a fase do amor aconchegante, um terreno onde você pode pisar sem tanta cautela e sem as inseguranças iniciais, é quando a verdade desse relacionamento aparece. No amor aconchegante é assim: algumas coisas se perdem, mas muitas se ganham.

Então, se você tá com o boy e não sabe se vale a pena porque ele é tudo que toda mulher quer e você sente aquela vontade de mandar ele ir na esquina te procurar, reveja seu relacionamento e pense: será que você está com medo de ser feliz? Será que você está idealizando demais?

Se por outro lado você está solteira esperando um príncipe encantado que venha para te salvar dos dragões que você alimenta na sua vida, pare para se perguntar: será que você está colocando suas expectativas no outro? Você vive fazendo desafios e apostas com você mesma? Relacionamentos são experiências maravilhosas de troca, crescimento, partilha e sempre tem uma história querendo acontecer, descubra qual é a sua!

Imagem: Pinterest

@ load more