Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Ter um bebê é estressante. Não importa o quanto você tenha esperado por isso, ou o quanto de alegria que ele traz para a sua vida. O negócio é que muitas pessoas se esquecem de considerar a privação de sono, as novas responsabilidades que vêm com essa mini-pessoinha e a falta de tempo que a mãe tem por causa disso tudo. Então, não é uma surpresa quando nos deparamos com muitas mulheres que, durante o puerpério (primeiro mês após o parto) se sintam em uma montanha-russa emocional.

Nos últimos anos, a depressão pós-parto ganhou mais atenção da mídia e do público. Você pode até estar se perguntando se você, ou alguém que você conhece, está sofrendo desse transtorno. Em primeiro lugar, é importante entender que esse é um termo amplo que pode englobar uma série de emoções que uma mulher pode sentir depois de ter o bebê.

Só para se ter ideia, a categoria desses transtornos de humor no pós-parto são divididas em três subcategorias: o “baby blues”, a Depressão Pós-Parto (PPD) e a Psicose Pós-Parto (PPP).

Afinal: o que você tem é realmente depressão pós-parto?

depressão pós-parto

via Karen KleimanTradução:Se eu admitir que não quero ser mãe e que isso é um saco na maior parte do tempo, significa que não amo meu bebê?”

Mulher, você acabou de ter um bebê. Você esperava estar se deliciando com essa nova fase. Esperava estar comemorando a chegada dessa mini-pessoinha com seus amigos e familiares. Mas, em vez de celebrar, você sente vontade de chorar. De sumir da terra. De dormir e acordar só quando seu filho tiver 5 anos.

Você, e outras milhares de recém-mamães, estavam preparadas para a alegria e excitação da maternidade, e não para a exaustão, preocupação, ansiedade e choro. Você pode achar que isso não é normal, mas acredite: ter depressão moderada, ou mudanças repentinas de humor, são comuns em mães novas – tão comuns, na verdade, que tem até nome:  baby blues.

A maioria das mulheres experimenta pelo menos alguns sintomas do baby blues após o parto. É um sentimento precipitado e TERRÍVEL causado pela súbita mudança nos hormônios (porque né, você acabou de parir), estresse, isolamento, privação de sono e fadiga. Você pode se sentir mais chorosa, oprimida e emocionalmente frágil. Geralmente, esse perrengue começa nos primeiros dois dias após o parto, atinge o pico em torno de uma semana e diminui até o final da segunda semana pós-parto.

Ao contrário do baby blues, a depressão pós-parto é um problema mais sério

No entanto, mesmo assim nem sempre é fácil fazer a distinção entre os dois.

No começo, a depressão pós-parto pode se parecer bastante com o baby blues. De fato, ambos compartilham de muitos sintomas, incluindo alterações de humor, choro, tristeza, insônia e irritabilidade. A diferença é que, na depressão pós-parto, os sintomas são mais graves (como pensamentos suicidas, ou sentimento de incapacidade de cuidar do recém-nascido) e, infelizmente,  mais duradouros.

Além disso, você pode:

  • sentir-se afastada do seu parceiro;
  • não conseguir se relacionar bem com o bebê;
  • achar que sua ansiedade está ficando fora de controle;
  • ter sentimentos de culpa ou inutilidade esmagadora;
  • começar a desenvolver pensamentos preocupantes com relação à morte

Quando o bicho pega: Psicose pós-parto (PPP)

A Psicose pós-parto (PPP) é a forma mais grave de depressão pós-parto, porém, felizmente, também é a mais rara. Ocorre em 2 a cada 1.000 gestações, aproximadamente. Além disso, seu início já é muito súbito, intenso e grave, normalmente acontecendo dentro de 2 a 3 semanas após o parto.

Os sintomas podem incluir:

  • Comportamento bizarro;
  • Pensamentos suicidas;
  • Alucinações e/ou delírios;
  • Vontade de se ferir, ou ferir o bebê;
  • Mudanças de humor repentinas;
  • Hiperatividade.

Vale lembrar que a Psicose pós-parto é considerada uma emergência médica e deve ser tratada imediatamente, combinado?

Em uma escala de Depressão Pós-Parto, em qual nível você está?

via Getty Images

Brincadeiras à parte, existe um conjunto de perguntas que os profissionais da psicologia chamam de Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo (EPDS). Ela nada mais é que uma lista composta por 10 perguntas que pode indicar se a pessoa apresenta sintomas comuns de ansiedade e depressão pós-parto. Porém, vale ressaltas que essa escala seja feita com o acompanhamento de um profissional da saúde. Afinal, ela, por si só, não é capaz de definir um diagnóstico exato.

Para acessá-la, é só clicar aqui.

Independentemente de tudo, procure ajuda de um profissional!

Mulher, se depois de ler esse texto você sequer desconfiar que sofre de depressão pós-parto, procure pela ajuda de um profissional, ok? Promete isso pra gente?

Então tá.

Imagem: via Getty Images


E o que você responderia a essa pergunta logo abaixo, feita por uma de nossas usuárias do Clube Superela?

@ load more