Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

Fala-se muito em felicidade atualmente. As redes sociais estão repletas de fotos e imagens que remetem a esse sentimento, vários textos, livros e receitas que induzem a essa conquista. Muito se tem comercializado em nome de se adquirir esse estado de espírito que vale ouro em nossa sociedade. Muitos cursos, workshops e filosofias de toda ordem. Muitas propagandas sorridentes e imagens de alegria que difundem o tão desejado estado pleno de uma felicidade midiaticamente moldada.

Diante de todas essas informações, de minha busca pessoal e de me propor à degustação da vida em todos os seus sabores, penso que a conquista da tão sonhada felicidade se faz através de um caminhar leve, de uma sinceridade de propósitos e de uma maior atenção ao que nos cerca.  E isso se dá através de uma interiorização, de parar e olhar para si e ao redor.

Não que todo esse material disponível na mídia e no mercado literário para a reflexão e auto ajuda não sejam válidos, pelo contrário, são incentivos importantes, instrumentos que nos conduzem a essa parada necessária para reflexão do que é real e cabível em nossas vidas. Eles representam o início de um processo que é muito mais amplo e que nos leva ao encontro de nós mesmos, com nossas nuances, com nossas dores e nossa luz.

Algo que não é vendido, que não está fora ou exposto em uma vitrine reluzente. Que não está nos relacionamentos amorosos idealizados, marcado pela busca do príncipe moderno, uma figura que ainda cumpre o velho papel do salvador, que vem para resolver nossas questões e suprir nossas carências. Na conta bancária rechonchuda, que nos propicie muitas compras, não está nas drágeas vendidas nas farmácias com promessas de bem estar.

A correria do dia a dia, o peso das incertezas, culpas, insegurança e medos são entraves a essa plenitude que, muitas vezes, é confundida com prazer. Felicidade vai muito além da sensação prazerosa ou de um conforto proporcionado pelas conquistas materiais e acredito que, para ela fazer morada, a alma tem que estar leve.  Isso é possível? Diante de tantos conflitos, de um turbilhão de sentimentos e emoções. É esse o meu questionamento diário e a minha resposta é sempre sim. Podemos ser plenas e acho que o empoderamento feminino segue esse tom, do autoconhecimento e auto amor.

e essa tal felicidade? 1

O caminho do autoperdão e do perdão traz entendimento e aceitação como processos, como uma trilha que prepara a casa interior para o recebimento dessa tão desejada felicidade. Perdoar nossas falhas, aquilo que fazemos ou que deixamos de realizar, perdão em relação as nossas sombras e incapacidades momentâneas, perdão a todas as pessoas que machucamos e que nos magoaram, perdão em relação aos sonhos não realizados e todas aquelas expectativas frustradas, as ações impulsivas e mesmo aquelas que não foram tão impulsivas assim, perdão a tudo que queríamos ser e ainda não somos. Perdão para recomeçarmos e permitirmos construir cada dia como único sem o peso do passado e os anseios do futuro, deixando nossos fantasmas e culpas para trás.

Há alguns anos conheci uma técnica de cura chamado Ho”oponopono, criado por um terapeuta havaiano. Ele implementou esse método em um hospital psiquiátrico, analisando as fichas de seus pacientes, vibrando pelo seu  próprio perdão e amor e, consequentemente, de cada um deles. Referenciando o processo de cura como inicialmente interior, assim, a medida que ele, como ser, melhorava, os seus pacientes também melhoravam.

Se você assume a completa responsabilidade por sua vida, então tudo o que você escuta, olha, pensa, saboreia, toca ou experimenta de qualquer forma é sua responsabilidade porque está em sua vida e a mesma tem um poder transformador em você e naqueles que estão ao seu redor, que começa a partir de um novo pensar e um novo agir. A escolha é sempre nossa. Que possamos escolher uma felicidade que se transfigura em pequenos gestos, olhares, gentilezas, olhos nos olhos e respeito.

Por isso, enfeita essa alma, irradia seu sorrir e prepara o seu dançar porque a opção de ser e estar feliz perpassa pelo cansaço da massificação do sentir, pela rotina do pensar e pelas amarras do seu expressar. Pinta seu ser com as cores mais vivas e se permita provar o gosto do encontro com você mesmo. Escute o seu silêncio, envolva seus desafios e acolha seus medos, sua coragem pulsa junto com o seu coração. Abrace suas vontades e voe com seus sorrisos, permitindo ser feliz com as pequenas grandes situações que fazem seu coração mudar o ritmo.

Imagem: Pinterest

@ load more