Quais desses temas você mais curte? Vamos fazer uma seleção especial pra você!










O que você procura?

O ano de 2018 já está batendo à nossa porta e, entre os planos para celebrar o fim de 2017, também vem a preocupação com o bolso. Afinal, se suas finanças pessoais não estiverem bem equilibradas, essa é época que pode fazer tudo desandar de vez.

Você também é daquelas que lista tudo que deseja alcançar/mudar/desfazer no próximo ano? Eu, particularmente, acredito que fazer uma lista de coisas para deixar pra lá e outras que quero conquistar me ajuda a manter o foco pelos 12 meses que estão por vir.

Por mais que a gente saiba que nem tudo escrito ali acaba virando realidade, colocar no papel todas as suas metas pode ser uma ótima ideia para refletir sobre seus erros e também reconhecer seus acertos.

Você pode se lembrar daquele vestido que custou uma fortuna e você usou só uma vez. Ou recordar aqueles meses em que a grana ficou curta e você se viu praticamente contando moedas.

Para não cair nos mesmos erros financeiros de 2017, que tal seguir algumas dicas e fazer das finanças pessoais a estrela principal do seu novo ano?

Como turbinar suas finanças pessoais em 2018:

1. Perca o medo de falar sobre dinheiro

Tudo que escuto é blah blah blah

O primeiro passo para turbinar suas finanças pessoais é parar de tratar o assunto como um tabu. Já imaginou quantas pessoas ao seu redor passam pelos mesmos perrengues que você? Melhor trocar figurinhas e aprender com quem já passou por uma situação parecida, do que enfrentar uma barra sozinha.

Sem contar que, quanto mais você conversar com amigos e familiares sobre dinheiro, mais vocês poderão aprender juntos. Seu pai pode te ensinar como fazer a declaração do imposto de renda, enquanto você pode ensinar sua irmã mais nova a começar a poupar ainda criança.

Nossa cultura ainda não tem esse hábito de falar sobre dinheiro abertamente e eu acho que este é um erro ENORME. Se a gente aprende desde pituquinha, fica mais fácil lidar com as responsabilidades quando formos adultos. Concorda?

Por isso, da próxima vez que juntar as amigas, pergunte como elas fazem para fechar o mês sem cair no cheque especial. Certeza que você vai receber boas dicas e ainda se sentir aliviada em saber que você não é a única lutando para deixar as contas em dia.

2. Defina um objetivo para conquistar

É um fato.

Muita gente funciona da seguinte forma: enquanto tem um objetivo claro na cabeça, o caminho até ele parece ser apenas uma etapa do processo. Isso vale para dieta, faculdade, carreira e, claro, para as finanças.

Eu funciono muito bem desse jeito. Enquanto minha meta está ali, bem fresquinha na minha mente, eu consigo focar meus esforços e chegar lá sem sofrer tanto. Mas quando o objetivo é muito abstrato, eu sempre desanimo e acabo me perdendo pelo caminho.

Se sua ideia é passar 2018 sem viver no sufoco financeiro, sugiro que você defina objetivos desde já. Quer fazer uma pós-graduação? Comprar um carro? Pagar a dívida do cartão de crédito? Fazer um curso no exterior? Dar uma festa de aniversário de arromba?

Não importa qual é o seu sonho: se organizar, todo mundo realiza. É claro que não dá para querer ficar milionária antes do carnaval. A não ser que você consiga se casar com um sheik árabe, esse é um objetivo praticamente impossível de alcançar.

É só manter os pés no chão, e o foco no que você quer, que você já estará mais próxima de viver um ano muito próspero para o seu bolso.

3. Fique de olho no que acontece

Nem só de redes sociais vive o homem, não é mesmo? Olhar o Instagram por alguns minutos para ver o que suas amigas e as celebridades mais bombadas estão aprontando, tudo bem. Mas que tal também ficar de olho no que rola mundo afora?

Uma forma de ter as finanças pessoais mais organizadas é prestando atenção nas novidades que surgem. Um novo aplicativo que te ajuda a economizar dinheiro todo mês pode ser o que faltava para você conseguir fazer a tão sonhada viagem para a praia na semana santa. Ou, então, saber que o rendimento da poupança não está lá essas coisas também pode ser uma forma de proteger seu dinheiro e buscar opções mais rentáveis.

Vale visitar diariamente os principais portais de notícias, assinar o RSS dos blogs que falam sobre finanças e até seguir economistas que você gosta no Twitter. O mais importante é ficar ligada no que está acontecendo para não comer mosca, ok?

4. Explore novas possibilidades

Você deve ser novo aqui

Sabe uma expressão que o pessoal está gostando de usar por aí para tentar tirar a galera do comodismo? Pois é, a tal “zona de conforto” vive sendo usada para nos falar que a gente não pode e nem deve se apegar sempre às mesmas coisas.

Isso não quer dizer que você não possa ter um restaurante favorito ou que precise trocar de namorado a cada estação. Na verdade, o que quero dizer é que você precisa estar aberta para testar novas possibilidades.

Se no trabalho sempre surge um desafio que pode te abrir muitas portas, por que não pegar o espírito da coisa e levar isso para a sua carteira também? Em 2018, nada de deixar seu dinheiro no que é mais prático. Afinal, nem sempre a opção mais fácil é a mais interessante.

Isso acontece com a conta no banco que você tem há séculos e paga uma fortuna de taxa de serviços. Quando pensa em mudar para uma opção mais em conta, o gerente te mima com um cafezinho e você acaba deixando pra lá. Também vale para os investimentos que você pensa em fazer pensando na aposentadoria, mas sempre coloca em segundo plano por preguiça de pesquisar as melhores opções.

Amiga, a melhor coisa que você faz é dedicar alguns minutos do seu tempo para sair do lugar comum e conhecer coisas novas. O novo pode ser assustador à princípio, mas também pode ser a chance de transformar sua vida para melhor com mudanças simples.

Se 2018 será um ano com boas memórias ou um período de pura sofrência, só depende de você! Quem sabe ano que vem será a vez de resolver suas finanças pessoais de uma vez por todas e conquistar a tão sonhada independência financeira?

A contagem regressiva começa

Imagem de capa: Reprodução

@ load more